Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

DAgosto e Cala acertam o calendrio

Betumeleano Ferro - 19 de Outubro, 2019

1 de Agosto almeja mais 3 pontos na luta pela conquista do penta campeonato nacional

Fotografia: Annio Soares | Edies Covembro

O campeonato fica amanhã com os jogos completos, com a realização do 1º de Agosto - Clube Recreativo da Caála (CRC), às 17h00, no 11 de Novembro, um desafio em que todo o foco vai estar no campeão, pois tem a chance de aproveitar para ganhar e mandar um recado competitivo aos rivais, que esperam pelo seu deslize, para manterem a esperança de impedir que o Girabola Zap termine com o mesmo fim de há quatro épocas seguidas.
A ambição do campeão de ser o segundo penta do futebol nacional, por ora o Petro é o único que venceu cinco edições consecutivas, fez o 1º de Agosto cair na real, ainda bem que acordou cedo demais, porque não está a dar mais margens aos adversários de fazer qualquer tipo de graça. Há todos os motivos que os militares ainda têm nas mãos a fórmula de vitórias das últimas jornadas, vencer folgado ou no aperto tanto faz, parece ser essa a imagem que o D\'agosto passa a cada ronda.
Os militares estão confortáveis na liderança do campeonato, como quem sabe o que quer prossegue a sua marcha imparável pela revalidação, pelo que o CRC tem se pôr a pau para não ser engolido pela avalanche competitiva do 1º de Agosto. Mesmo sem ser brilhante sempre que as bancadas pedem, os militares estão a fazer o mais importante, assim como o monge mantêm o hábito de ganhar, quando assim acontece, é sempre mais fácil arranjar soluções contra adversários complicados como os caalenses.
Antes da chegada da tempestade, não há como fingir que não está a molhar, os caalenses estavam na mó de cima mas afinal era mesmo fogo de palha, os papéis agora se inverteram, o comando trocou de mãos, é por isso que o CRC vai tentar assumir uma postura humilde, para tentar surpreender nem que seja com um empate no final dos 90 minutos.
Ninguém está a insinuar que o CRC vai entrar com o autocarro em campo, essa não é a postura que tem exibido no campeonato, porém, engana-se quem quiser exigir que os forasteiros façam um jogo de redenção no 11 de Novembro. A realidade não permite aos caalenses almejar grandes coisas, é por isso que a equipa do Huambo vai tentar tirar todo o proveito dos minutos em que o 1º de Agosto o deixar mostrar as suas acções em campo.
A diferença entre os contendores é grande em tudo, mas seria demasiado considerar que é um jogo de extremos, a realidade favorece o 1º de Agosto mas há poucos motivos para acreditar que o relvado vai estar inclinado. É ponto assente que os militares vão ter muito mais bola, por mais que tente, os caalenses não têm sequer força anímica para tentar impedir que o campeão tenha mais bola, então, para evitar desperdiçar as poucas forças que os maus resultados lhe deixaram, o CRC vai se encolher sempre que necessário, para ter mais chances de conseguir, no mínimo, o pontito.
A fase do campeão é boa demais para os seus adeptos se apressarem a fazer contas, quem olha para as exibições do 1º de Agosto tem motivos para concluir com exactidão, que os militares têm tudo sob controlo. Se o CRC estivesse como naquelas jornadas em que estava com a cotação em alta, seguramente seria o adversário ideal para testar o poder de fogo do 1º de Agosto, ainda assim, ninguém está a espera que as cores da camisola rubro-negra chegue e basta para vencer, algo mais vai ter de acontecer.