Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

David Dias abraça novo projecto

Paulo Caculo - 18 de Abril, 2017

Técnico volta a liderar projecto futebolístico na cidade de Manchester onde reside há mais de vinte anos

Fotografia: Nuno Flash | Edições Novembro

O técnico angolano, David Dias, abraçou um novo projecto futebolístico na cidade inglesa de Manchester. O antigo treinador do Progresso do Sambizanga, Recreativo da Caála e Santos FC encabeça o quadro de treinadores da academia de formação \"Hoppwood College Middleton\", para futebolistas dos 16 aos 20 anos.

À semelhança da grande visibilidade conquistada ao serviço da cedo entrou para projectos desenvolvidos pela Academia de Futebol de Rochdale e Roftra, antes da passagem pelo Bacup Borough, da II divisão semi-profissional de Manchester, onde teve papel fundamental na formação de jovens talentos dos 7 aos 18 anos, o treinador angolano garantiu estar a viver uma nova experiência.

\"Estou vinculado a uma academia de futebol na cidade de Manchester. Todos os colégios de futebol na Inglaterra estão associados a algum clube. E estas equipas disputam a Liga de College e no final o campeão defronta o vencedor de cada cidade, numa espécie de finalíssima. Muitos destes jogadores que evoluem nestas academias são federados, porque têm contratos com os clubes da primeira liga e podem ser enquadrados a qualquer altura\", esclareceu David Dias, que se encontra em Luanda a gozar férias.

O treinador confessou estar a gostar da experiência, sobretudo por tratar-se de um projecto semelhante aquele que abraçou durante os primeiros anos que esteve a viver em Manchester. Acredita estar a ser um autêntico sucesso, sobretudo pelo facto de estar a competir na liga de academias de futebol da cidade e estar na liderança, com 14 vitórias em igual número de jogos.

\"Estou a gostar do projecto, porque sempre trabalhei na formação. Toda a gente sabe que na Inglaterra o futebol é a modalidade de topo e todo o trabalho que é feito nos escalões de formação conta com um grande apoio das altas estruturas do futebol das cidades. O projecto do Hoppwood College Middleton tem como objectivo descobrir talentos, que depois ascendem para o primeiro escalão do futebol inglês\", disse.

\"Tenho um contrato de dois anos e estou no segundo ano, mas tenho cláusulas que me permite rescindir unilateralmente, caso não queira continuar. Quando fui ao Quénia foi a mesma coisa. Tinha esta cláusula de rescisão e não tive problemas nenhuns\", acrescentou David Dias.

CONVITE DO QUÉNIA

Antes de abraçar o projecto futebolístico em Manchester, cidade onde reside há sensivelmente 22 anos, o treinador angolano esteve no Quénia, a convite da Federação Queniana de Futebol, para liderar uma equipa de cinco treinadores qualificados da União das Federações Europeias de Futebol (EUFA), para a formação de jovens talentos daquele país africano.

 Durante aproximadamente dois meses, David Dias  percorreu as localidades de Mombasa, Kakemega, Kkisumu, Nakumu, Tthika e Nairobi, com objectivo de ajudar a descobrir jovens talentos e promissores, no âmbito de um programa gizado pela federação local, cujo principal objectivo visa dotar as futuras selecções de futebolistas de qualidade.

\"Penso que vivi a minha melhor experiência no Quénia. Trabalhar na Inglaterra é diferente, mas o que mais me espantou no Quénia foi constatar um nível de organização excelente, dos poucos que se vê em África. Estava num projecto de descoberta de novos talentos\", sublinhou o técnico, destacando em seguida a aposta da federação queniana numa selecção de topo. 

David Dias é licenciado como treinador pela União das Federações Europeias de Futebol (EUFA). Teve uma passagem como jogador na selecção nacional angolana de futebol, tendo feito parte do grupo que, sob orientação do malogrado Carlos Alhinho, ajudou a dar corpo a selecção que se estreou em 1996 no Campeonato Africano das Nações (CAN), realizado na África do Sul.

 Durante três anos, o ex-craque dos Palancas Negras esteve igualmente ligado a um projecto com os escalões de formação do F.C Bury, tendo sido nomeado, por duas vezes, o treinador do ano da Rochdale Borough Comunidade Sports Awards. Com o Pro-Vision Academy North, David sagrou-se campeão da edição 2009 do Torneio Internacional Umbro World Cup, disputado em Manchester.

FUTURO
“Regressar só se for para ser campeão”


O técnico angolano residente na Inglaterra não fecha portas a uma nova oportunidade no Girabola. David Dias afirma estar sempre disponível para abraçar novas oportunidades e experiências, mas assegura que estaria muito mais disposto a um projecto ambicioso e focado no título. \"Voltar a treinar no Girabola? Ainda não pensei nisso. mas se tivesse de regressar, só se for para ser campeão.

Gostava muito de estar ligado a um projecto que estivesse focado na conquista do título. Sou um treinador também ambicioso e gosto de ser campeão\", confessou David Dias.\"Sei que ser campeão em Angola não é fácil, mas estaria muito mais satisfeito se viesse um convite de um clube candidato ao título. Penso ser justo acreditar que estando num \'clube grande\' as hipótese de eu ser campeão seriam maiores\", acrescentou.

Antes de finalizar, David Dias fez questão de recordar a sua passagem pelo Progresso do Sambizanga, a última equipa que orientou no Girabola, depois do Recreativo da Caála e Santos FC. O treinador garante ter vivido uma excelente experiência e agradece a forma carinhosa e profissional como foi tratado pelos dirigentes e jogadores do clube.
  
  GIRABOLA
“Campeonato é complicado”         
     

David Dias considera o principal campeonato angolano de futebol, Girabola, uma prova muito complicada e difícil de vencer. Quatro anos depois da sua saída do comando técnico do Progresso do Sambizanga, última equipa que orientou antes de regressar a Inglaterra, o treinador garantiu ao nosso jornal ser campeão em Angola é uma missão hercúlea. 

\"O Girabola não é um campeonato fácil. É uma competição muito é difícil. Por isso, ser campeão em Angola é muito complicado, mas manter-se na prova e fazer-se uma competição tranquila também é difícil. É um campeonato para treinadores de barba rija\", disse.

O treinador acredita, por outro lado, que este ano o campeonato está muito mais complicado e relação aos anos anteriores. Justifica a sua tese com o facto de notar maior equilíbrio entre as equipas, mas sobretudo por verificar uma certa aproximação entre as equipas candidatas ao título.

\"Este ano o campeonato está complicado. Algumas equipas que no ano passado deram o ar da sua graça, a exemplo do Progresso da Lunda Sul, estão em dificuldades. A Académica, que andou sempre com a corda na garganta, este ano também não está muito bem. Entre os candidatos, vejo um 1º de Agosto que é campeão a justificar a sua condição de detentor do título.

Mas vejo também uma equipa do Kabuscorp com uma enorme vontade de ser campeão, apesar dos últimos empates. O Petro e o Libolo são muito imprevisíveis e estão na luta e, também, podem ser campeões. No fundo, a competição está muito equilibrada\", referiu David Dias.A desistência do Benfica de Luanda mereceu, igualmente, comentários do treinador angolano a trabalhar na Inglaterra. Lamenta a ausência forçada das águias na maior competição de futebol do país e espera que tão breve quanto possível a equipa consiga regressar ao campeonato.

\"Esta saída do Benfica é um mau presságio para o nosso futebol, porque era uma equipa que estava a ser de topo e tinha feito coisas boas. Só podemos lamentar, porque o Benfica estava para ser campeão, tinha uma excelente equipa comandada pelo professor Zeca\", deplorou.