Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

De regresso s emoes do girabola

Paulo Caculo - 16 de Agosto, 2010

Huilanos s pensam na conquista dos trs pontos no desafio da 21 jornada

Fotografia: Jornal dos Desportos

Empenho e forte motivação.È desta forma que o FC Bravos do Maquis, sexto colocado do Girabola 2010, prepara o desafio de amanhã, às 15h00, no estádio Mundunduleno, no Luena, diante do Recreativo da Caála, referente à 21ª jornada da competição.Os jogadores empenham-se nas tarefas de preparação para esse importante duelo com o líder do campeonato.

 No seio do grupo às ordens do português Daniel Portela reina forte motivação e boa disposição em torno do objectivo que passa pela conquista dos três pontos.A equipa técnica tem orientado as sessões de preparação na hora do jogo (15h00) e sob olhar de alguns adeptos da equipa que diariamente incentivam a equipa para um triunfo caseiro sobre a formação do Huambo.

Daniel Portela e seus colaboradores mostram-se satisfeitos com a prestação positiva dos jogadores escolhidos para os lugares dos lesionados.

O médio Saidi e o ponta-de-lança Igor Nascimento trabalham sem limitações para o jogo diante do Recreativo da Caála e que pode catapultar a equipa para o terceiro posto da competição, caso o 1º de Agosto, o Petro de Luanda e o Recreativo do Libolo não vençam na jornada.

Os dois jogadores estiveram ausentes dos relvados durante algum tempo devido as lesões.Saidi estava a conta com uma micro-rotura na coxa esquerda, contraída no jogo com o Benfica do Lubango, no estádio do Ferroviário, onde havia sido expulso o médio Bebe que regressa à equipa terminado que está o castigo federativo, enquanto Igor Nascimento sofreu uma lesão no tornozelo direito no confronto com o Desportivo da 

Huíla, no estádio Mundunduleno.O Boletim clínico da equipa regista as lesões do lateral direito Tião, dos centrais Nando e Edson e do médio Benvindo Regresso.

CR da Caála e Interclube
com calendário complicado


Primeiro e segundo classificados do campeonato defrontam os mesmos adversários até ao fim da prova.Dez jornadas restam para o fim do Girabola´2010.Do topo ao centro da tabela de classificação as equipas podem ainda sonhar com o título de campeão, mas apenas duas, Recreativo da Caála e Interclube, se apresentam, à entrada da 21ª ronda, em situação privilegiada para alcançar a meta na condição de líder.

Para que tal desiderato seja um facto, caalenses e polícias terão, ainda, de enfrentar o calendário desfavorável que têm pela frente, com o particular de alguns desafios serem diante de equipas também candidatas ao título.Tendo como sombra um pelotão à espreita da liderança, ao Recreativo da Caála e ao Interclube não será permitido perder mais pontos, sob o risco de se verem arredados da linha da frente. 

E como nenhuma das equipas tem calendário favorável, dir-se-ia que o primeiro e segundo colocado do Girabola entram, a partir da jornada 21, na fase mais complicada do campeonato, em que serão obrigados a justificar as posições e os números que ostentam.
Embalando nesta visão, na jornada que amanhã começa a ser disputada, Recreativo da Caála e Interclube terão pela frente jogos complicados, diante do FC Bravos do Maquis e do 1º de Agosto, respectivamente.

Qualquer uma das equipas estará atenta ao deslize da outra, embora a equipa do Huambo, na condição de líder, procurará apenas cumprir com a sua parte, mantendo a distância de apenas um ponto (38/37) que o separa do seu mais directo perseguidor.

Da caminhada do Caála e do Interclube para o título ressalta uma curiosidade: vão defrontar os mesmos adversários.Ou seja, todas as equipas que jogarem primeiro com a equipa da Polícia enfrentarão depois o conjunto do Huambo.O adversário dos polícias na jornada 21 (1º de Agosto) será o mesmo dos caalenses na ronda 22, facto que permite perspectivar uma longa disputa e enormes surpresas.

Depois da 21ª jornada, cujos jogos estão agendados para os dias 17 e 18, o Caála enfrentará o 1º de Agosto, enquanto o Interclube medirá forças com o ASA. Na jornada a seguir, os polícias deslocam-se ao terreno do Sporting de Cabinda, ao passo que os caalenses recebem o ASA.

Na 24ª jornada o Interclube defronta a Académica do Soyo, para a Caála jogar diante do Sporting, já que na 25ª ronda a equipa do Huambo recebe a Académica do Soyo, enquanto o conjunto da Polícia procurará roubar os pontos ao Kabuscorp do Palanca.

Mais Saidas 
Nova deslocação terão os polícias na 26ª jornada, ou seja, vão à Huíla defrontar o Benfica do Lubango, enquanto os caalenses viajam até Luanda para discutir os pontos com o Kabuscorp.Na jornada a seguir o Sagrada Esperança será o visitante do Interclube, ao passo que o Caála receberá, no Huambo, a visita do Benfica do Lubango. 

" de Calulo jogar contra o Recreativo do Libolo ao passo que a equipa do Planalto Central receberá o Sagrada Esperança.É provável que por altura da disputa da penúltima jornada (29) a luta pelo título esteja já resolvida.

O Caála jogará diante do Libolo, em casa, enquanto o Interclube enfrentará o campeão Petro de Luanda, no estádio 22 de Junho. Enquanto no fecho do campeonato a equipa do Huambo terá pela frente o Petro, a turma da Polícia procurará somar os últimos pontos diante do Santos FC.

                                                      Paulo Caculo 



Percurso semelhante

A história do Recreativo da Caála e do Interclube tem um percurso semelhante.Embora tivessem assumido objectivos diferentes no campeonato – o primeiro luta pela manutenção e o segundo para o título – qualquer uma das equipas passou por caminhos complicados no passado, ainda que sobre os polícias a má fase de campeonato resume-se a época de 2009.

Tanto David Dias, treinador do Caála, como Álvaro Magalhães, técnico do Interclube, realizam a primeira época no Girabola, com a particularidade de o primeiro ter chegado no meio do campeonato.

 Seja como for, sobre qualquer um dos técnicos recai o mérito de terem efectuado uma revolução nas respectivas equipas.Enquanto os polícias vinham de uma época "desgraçada",os caalenses conviviam com o "espectro das despromoção" na sua segunda época, à entrada da 13ª jornada, em virtude das constantes derrotas.

Na presente época o brilharete em termos de resultados e de exibição representa a e marca dos dois primeiros colocados do Girabola. Se o campeonato terminasse hoje, o campeão seria considerado justo, ainda que, parafraseando o treinador português, Álvaro Magalhães,"não seria justo que o Interclube perdesse o título agora depois de liderar desde o princípio de campeonato".Mas, fundo, acabará por ser o justo vencedor aquela equipa que menos erros cometer durante os próximos 10 jogos.PC