Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Despique surpreende estrangeiros do Interclube

Paulo Caculo - 18 de Outubro, 2016

Treinadores estrangeiros do Interclube estão satisfeitos com experiência no campeonato angolano

Fotografia: José Soares

O treinador croata, Aleksandar Starcic, e o sérvio, Branko Bozovic, ambos ao serviço do Interclube, manifestaram-se em declarações ao nosso jornal, ontem, extremamente impressionados com o nível de competitividade do principal campeonato angolano de futebol, vulgo Girabola Zap. Os dois adjuntos do croata Zdravko Logarusic, técnico principal da equipa da Polícia, afirmaram  viver uma agradável experiência em Angola.

"Quando cheguei aqui, não sabia falar português. Tudo que aprendi sobre a língua e a cultura angolana, devo ao Interclube. Tem sido uma boa experiência. Estamos a gostar de estar aqui, encontramos muitos amigos, que nos têm ajudado a estar em Angola, como se estivéssemos no nosso país", frisou  Aleksandar, técnico de guarda-redes, para em seguida o professor Branko confirmar.

"A experiencia é boa, porque as pessoas que encontramos são muito simpáticas, estão sempre dispostas a ajudar os estrangeiros a falar português", assegurou. Os dois treinadores foram unânimes em afirmar, que a satisfação de estar em Angola é ainda maior, após constatarem que os níveis de competitividade do campeonato em que estão a trabalhar são elevados, e a disputa pelo título é bastante renhida.

"Já estivemos em outros campeonatos, na Europa, mas devemos reconhecer que este campeonato angolano está a ser muito bem disputado. Há muita competitividade cá,  é interessante ver que a três jornadas do fim, o título ainda é uma incógnita", observou Branko, treinador que se notabilizou ao serviço da selecção nacional da Sérvia.

"Mesmo ao nível do futebol praticado cá, notamos que tem qualidade. Há jogadores que se destacam nas suas equipas, sobretudo no Interclube, temos muitos talentos quer na equipa principal quer nos escalões de formação", disse Aleksandar, antigo técnico de guarda-redes do Manchester City, da Inglaterra, e do Bordéus, de França.

As condições de trabalho, no Interclube, agradam igualmente os técnicos expatriados. Ambos confessam, que quando foram convidados a trabalhar em Angola, por ser um país africano e se ter a ideia de que em África não existem boas condições para o futebol, chegaram a ter algum receio.

"Quando chegámos ao Interclube, ficamos surpresos com os campos e as condições de trabalho. Cheguei aqui em 2014,  na altura ainda não havia campo para a formação treinar,  hoje temos um campo de relva sintética para trabalhar com os nossos jovens talentos", congratulou-se o preparador de guarda-redes da equipa da Polícia.

"Como trabalhei muito com a equipa principal e  com a formação, vejo que os guarda-redes têm uma atitude muito boa e gostam de trabalhar. Tenho  transmitido aos nossos atletas da baliza, aspectos muito bons de treinos, muito utilizado nos tempos em que andei no Manchester City, e no Bordéus. Estou a ver que somos muito felizes no trabalho que fazemos, porque os jogadores estão a aprender rápido", asseverou Aleksandar.

"A qualidade do campeonato angolano e os jogos são muito bons, atraentes e notamos que os jogadores têm qualidade para jogar em qualquer campeonato. Penso que os jogadores podem ser muito bem aproveitados. Precisa-se às vezes, de incutirmos novos métodos de trabalho, e é o que temos procurado fazer no Interclube", emendou Branko Bozovic.

FUTURO
Treinadores esperam
prolongar contrato


Aleksandar Starcic e Branko Bozovic acreditam, que podem  ajudar  muito o Interclube. Em face disso, os técnicos- adjuntos de Zdravko Logarusic, esperam continuar no clube nas próximas épocas, garantem ser uma decisão da competência da direcção de Alves Simões.

"Acho que o objectivo, é continuar a ajudar o Interclube a voltar a ser campeão, como nos anos anteriores. O que mais desejamos, é continuar  em prol do clube e da direcção. Temos contrato até ao final da época e tudo depende da vontade do presidente", disse Aleksandar.

"Seria muito bom continuar a vestir a camisola do Interclube, sobretudo por ter sido um clube que nos recebeu muito bem em Angola, e nos proporcionou a oportunidade de ganhar uma nova experiência no futebol africano. É claro, que quero continuar cá, se for possível, porque estou feliz neste clube", acrescentou Branko.

Instado a analisar a época e o percurso do Interclube, quer o croata como o sérvio concordaram que a equipa da Polícia está a fazer um bom campeonato, podia estar muito melhor posicionada, caso não perdesse alguns pontos com equipas teoricamente mais fáceis. "Estamos a jogar muito bem, tivemos algumas dificuldades com equipas teoricamente mais pequenas, com quem perdemos pontos.

Os próximos três jogos não serão também fáceis, temos de tentar o melhor para vencer", perspectivou o técnico Branko, antes de Aleksandar finalizar: "O grupo está muito bom, coeso e acredito que a direcção escolheu um bom plantel e precisamos de acreditar mais nos próximos jogos".                                                  
PC

DETERMINAÇÂO
Sagrada luta até à última ronda


O Sagrada Esperança da Lunda Norte não obstante empatar (0-0) com o Recreativo da Caála, no Huambo, o técnico -  adjunto Rui Sapiri considera que a equipa regressou ao Dundo galvanizada para lutar até à última, para obter melhor classificação.

A equipa diamantífera está na nova posição. “Queríamos ganhar o jogo, mas fomos surpreendidos pelo adversário que fez um bom espectáculo, motivado pelo desejo de vencer para garantir a permanência no campeonato”, referiu.

O treinador sublinhou que o empate nulo diante do Recreativo da Caála  satisfaz-lhe,  destacou a qualidade competitiva demonstrada pelo adversário durante o desafio, felicitou os seus jogadores pela determinação e bravura na conquista de um ponto, que para si galvaniza os objectivos do clube, de melhorar a posição na tabela classificativa". Roque Sapir apontou igualmente o terreno do jogo como outra dificuldade que a equipa enfrentou durante o encontro.

ROMEU FILEMON
“O 1º de Agosto já é campeão”

O técnico do Kabuscorp do Palanca, Romeu Filemon, disse no sábado que a equipa do 1º de Agosto, actual líder do Girabola ZAP já é campeã  nacional, sem contudo justificar.

 De forma irónica, após a derrota (2-0) da sua equipa diante da formação militar, Romeu Filemon sublinhou que " sabem que o 1º de Agosto já é campeão mesmo a faltarem três jornadas para o fim da competição, está bem claro".

O técnico  felicitou  a equipa militar, aditando que foi mais um jogo do campeonato e que o Kabuscorp  continua a dar o seu melhor até no fim.
Do lado militar foi evidente a capacidade demonstrada pelos jogadores do 1º de Agosto para a vitória de 2-0 sobre o Kabuscorp do Palanca, que garante a manutenção da liderança isolada do campeonato.

Por este facto, o treinador - adjunto do 1º de Agosto, Filipe Zanza,  disse no final da partida que "foi um jogo  sofrido que devia ser resolvido na primeira parte, mas a decisão teve de ser remetida para o segundo período",

" O Kabuscorp criou-nos imensas dificuldades, mas fomos eficazes na importante vitória. Não vamos entrar em euforias já que faltam ainda três jornadas, apesar de serem três pontos importantes", reconheceu.