Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo sem suspeita tenta reajustar passo

Betumeleano Ferro - 09 de Março, 2019

Kabuscorp do Palanca vai tentar redimir-se hoje da derrota da ltima jornada

Fotografia: Jos Cola | Edies Novembro

As coisas andam feias para o Desportivo da Huíla, por culpa própria os militares da Região Sul marcaram passo contra o homólogo 1º de Agosto e também ficaram no centro da polémica. Hoje às 17h30, nos Coqueiros, o poder de reacção dos huilanos vai ser colocado à prova pelo Kabuscorp do Palanca, o resultado final vai ser o melhor juiz para julgar os militares, é verdade, mas as pessoas vão querer olhar para outras coisas, como por exemplo a qualidade da exibição, para aferir se o balneário é uno e indivisível ou se ficou fragmentado, com a maneira como se deixou apanhar no resultado pelo campeão.
Ainda bem que as duas equipas são mesmo rivais na classificação, um escasso lugar e ponto os separa, há todos os motivos para acreditar num jogo muito renhido, com todos os ingredientes necessários, para os militares da Região Sul provarem aos palanquinos, e também aos críticos, que a sua atitude competitiva ainda tem de ser levada em conta.
Os palanquinos têm suficiente experiência no campeonato, para perceber que o adversário tem de lamber as feridas, por mais que os militares da Região Sul façam um discurso contrário, eles são incapazes de tapar o sol com a peneira. O Kabuscorp vai tentar fazer a sua parte, tirar bom proveito da situação, para ultrapassar o concorrente inesperado que, com mérito próprio, se colocou onde ninguém pensou.
O Desportivo da Huíla já fez o seu campeonato, agora está na fase de lucro, mas pela primeira vez na época vai ser forçado a responder a uma situação inusitada, ou aparece nos Coqueiros como o esperado adversário do Kabuscorp do Palanca ou pode começar a colher os maus frutos da tempestade que criou.
A tentar dividir o protagonismo com o Desportivo da Huíla, o Progresso Sambizanga vai amanhã ao reduto do Clube Recreativo da Caála (CRC), manter o hábito dos bons resultados a pensar em colher onde não plantou. Uma vitória extramuros, no embate marcado para as 15h30, no estádio Mártires da Kanhala, pode ter um duplo sabor para os sambilas, tudo vai depender do que acontecer hoje no Kabuscorp - Desportivo. Fica claro que o Progresso, com 26 pontos, está na expectativa de algo, ao olhar para os 28 dos palanquinos e 29 dos militares.
O CRC conseguiu trocar velho por novos costumes, com esforço superou tudo e está algo folgado na classificação, ainda assim, os caalenses estão de sobreaviso para evitar cair nos mesmos pecados, que chegaram a colocar em perigo o cargo do técnico David Dias. A segunda volta mal começou, mas o CRC está consciente da importância de começar a amealhar com antecedência os pontos necessários, para consolidar a sua posição no campeonato, deixar para depois o que pode fazer agora ainda é capaz de trazer de volta a turbulência, que se pensava ser coisa do passado.
Mesmo em casa alheia, os sambilas são os favoritos, por causa da melhor regularidade competitiva, até agora o Progresso tem feito como o seu nome, dentro e fora de casa tem amealhado pontos importantes, então, é justo que o foco esteja todo nos sambilas, porque estão competitivos e recomendam-se.
O CRC não vai estar em campo para ser benfeitor de ninguém, também tem as suas chances, no plano teórico não aparenta ser muitas como as do Progresso, assim então que os caalenses provem que os prognósticos estão errados.