Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo anseia vitria em casa

Benigno Narciso - Lubango - 26 de Fevereiro, 2017

Os militares da Regio Sul esto com passo lento, mas ainda vai a tempo de comear a tirar bom proveito do factor casa.

Fotografia: Jos Soares

Os militares da Região Sul estão com passo lento, mas ainda vai a tempo de começar a tirar bom proveito do factor casa. Os visitantes até podem jogar com outra disposição, mas os militares são forçados a fazer a sua parte em campo. Um triunfo sobre o primodivisionário é uma obrigação mínima para a equipa caseira, até porque tem um plantel com muito mais qualidade. A localização geográfica dos dois contendores é capaz de ser o ingrediente necessário para que o jogo seja bem disputado, já que, nenhuma das equipas vai precisar fazer gestão de esforço por causa da altitude, pois, o clima é o ideal para os artistas deixarem a pele em campo.

O Desportivo da Huíla tem abundância de soluções e vai querer mostrar muito cedo que é capaz de ditar o ritmo em campo. Além de conhecer bem os cantos do Ferrovia, os militares precisam mostrar por que têm no seu plantel o excedente de qualidade do 1º de Agosto. A derrota do JGM no acerto ao calendário, com o 1º de Agosto, estava dentro das previsões e esta tarde a equipa pode aumentar a fasquia, mas sem perder a humildade.

A equipa do Huambo só precisa ter paciência para colocar em campo a sua estratégia e ser eficiente nas acções defesa/ataque. Se errar demais pode perder, se marcar um golo a mais, alcança a primeira vitória no Girabola ZAP.

De resto, o plantel está a aprender a conhecer o campeonato e ainda não foi bem-sucedido como queria, mas a cada jornada começa a ver que cada adversário merece uma abordagem bem diferente. O técnico Luís Borges deve ter ajudado os atletas a perceberem que um ponto na deslocação ao Lubango pode significar muita coisa nas contas finais, ainda porque os militares às vezes jogam no campeonato da manutenção.

O Desportivo da Huíla trouxe de volta o treinador Mário Soares, ainda assim, demora a reviver algumas alegrias do passado. Nem existem duas épocas iguais, é verdade, mas o Desportivo e o seu técnico podem ficar mal na fotografia, se não derrotarem o estreante JGM.


ESTÁDIO DO FERROVIA
Mário Soares assume obrigação de vencer


O técnico principal do Desportivo da Huíla, Mário Soares, considerou que o histórico do clube em participações no Girabola, impõe a obrigação da sua equipa vencer amanhã, a partir das 15h30, o estreante JGM do Huambo, no estádio do Ferroviário, no Lubango, em desafio pontuável para a terceira jornada do Girabola Zap 2017.

“A obrigação do Desportivo da Huíla nesse jogo é de longe maior que a do adversário e, é de vencer. Nunca tivemos semelhante obrigação, porque atendendo ao histórico da nossa equipa em relação ao adversário, a obrigação está do nosso lado. Temos a obrigação de saber lidar com essa exigência e estamos preparados para não sermos surpreendidos e conquistarmos a vitória”, alertou o treinador.

Com o foco virado para o triunfo, o técnico apresentou-se confiante na conferência de imprensa de antevisão ao desafio desta tarde e assegurou que tecnicamente os militares da Região Sul conheceram melhorias significativas.

Indicou que em função desse progresso, o grupo está muito melhor em relação às duas primeiras jornadas da prova, em que somou um empate a zero, diante do ASA e derrota, 2-1, frente ao Kabuscorp. Reforçou que nas hostes do conjunto cada dia é melhor que o anterior, daí a aposta total na primeira vitória.  “Não haja dúvidas de que tecnicamente estamos melhores. Temos estado a trabalhar para isso e, sempre a dizer que cada dia terá de ser melhor que o anterior.  Então, vamos apresentar um Desportivo ainda melhor em comparação com o que apareceu até a jornada anterior”, reforçou.

Ao avaliar o adversário, Mário Soares considerou ser uma equipa voluntariosa, com alguma juventude sustentada por atletas experientes, atrevidos e com qualidades o que impõe uma certa cautela aos militares da Região Sul.

“É uma boa equipa, voluntariosa e não é tão nova como parece, porque tem  no seu seio jogadores que já têm algum andamento no Girabola. Mas, é muito voluntariosa, atrevida e temos que nos precaver para isto”, avaliou.

O atacante Bongó e principal referência da lista de reforços da equipa continua sob cuidados médicos pelo que falha o terceiro jogo e vê adiada, uma vez mais, a sua estreia.

A par do avançado camaronês o seu compatriota Kristian, está em dúvida ao passo que Milton e Severino, entregues ao departamento médico, desfalcam o representante huilana no desafio da terceira jornada do Girabola Zap 2017.
Benigno Narciso, no Lubango