Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo aperfeioa aspectos ofensivos

21 de Abril, 2016

Desportivo da Hula est a privilegiar o melhoramento, no aspectos ofensivos

Fotografia: Jornal dos Desportos

A equipa principal de futebol do Desportivo da Huíla está a privilegiar o melhoramento da movimentação ofensiva na preparação que realiza desde terça-feira no Lubango, com o propósito de consolidar a busca da perfeição e da eficácia na finalização, tendo em vista o desafio da próxima sexta-feira, em Luanda, diante do Benfica local, válido para a nona jornada do Girabola Zap 2016.

A atenção que a equipa técnica dá ao aperfeiçoamento da vertente ofensiva revela a ambição constante na busca do entrosamento da movimentação progressiva e na definição de um fio de jogo desde a defesa, com vista a suprir o défice registado na construção das acções atacantes nos desafios anteriores, sobretudo no último, empate a zero, diante do Petro, em que os atacantes revelaram falta de pontaria e perdulários.

Lacerda Tchipongue, um dos técnicos-adjuntos de Ivo Traça, esclareceu que o trabalho que está a ser efectuado parte do principio de que a primeira linha defensiva da equipa é o ataque. Reforçou que esse facto implica que os três sectores têm que trabalhar próximas umas das outras e quando estiver a defender todos defender atrás da linha da bola e depois ser incisivo nas transições ofensivas de forma rápida para o ataque.

“Cingimos mais nos aspectos ofensivos. Insistimos e vamos continuar para irmos buscando melhoria.

O melhor ataque é a defesa, daí que a nossa primeira linha defensiva é o ataque. Quer dizer que os sectores têm que trabalhar intrinsecamente, interligados, bem juntos. Quando a defender, todo mundo defender atrás da linha da bola e sermos incisivos nas nossas transições, sermos mais rápidos sempre para melhorarmos a movimentação ofensiva”, relatou Lacerda Tchipongue.

O adjunto de Ivo Traça assegurou que a preparação decorre sem sobressaltos e por isso de forma satisfatória. Justificou que o ambiente de trabalho resulta também do que considerou de bom resultado obtido diante do Petro de Luanda, empate a zero, na passada segunda-feira, para a oitava jornada da prova.

“A equipa está a trabalhar bem. Saímos de um resultado que na nossa óptica foi positivo, na medida em que não houve alteração na nossa classificação, continuamos em segundo lugar. É moralizante dado a dimensão do adversário, o resultado e a nossa realidade classificativa”, elucidou.

Longe do conformismo pelos louros alcançados pela equipa na prova, em que ocupa a surpreendente segunda posição com 17 pontos, o técnico reiterou a aposta no trabalho com os cuidados e rigor necessários, sempre com os olhos virados para o Benfica de Luanda, adversário de sexta-feira.

“Continuar a trabalhar. A preparação está a ser cuidada ainda mais na medida em que vamos defrontar um Benfica de Luanda poderoso, com todo o favoritismo,  Tem um bloco defensivo coeso e com um ataque venenoso. Mas nós Desportivo da Huíla estamos atentos a essas nuances para contrariar esse favoritismo do adversário”.