Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo busca fontes de receita

BENIGNO NARCISO, NO LUBANGO - 24 de Setembro, 2018

Clube militar da Regio Sul quer competir sem sobressaltos na temporada 2018/2019

Fotografia: EDIES NOVEMBRO

A direcção do Desportivo da Huíla (CDH) lança nos próximos dias, uma mega campanha de angariamento de sócios a nível da província, no âmbito do alargamento e busca de fontes de receitas para sustentabilidade e redução das limitações financeiras que afectam a participação da equipa principal de futebol no Girabola Zap.
“A breve trecho vamos fazer uma campanha de angariamento de sócios. Acima de tudo, pretendemos como alvo, não só aqueles sócios que de facto se inscrevam, mas que também de forma regular possam pagar as suas quotas”, anunciou Adriano Lopes, director de Imagem e Marketing do Desportivo da Huíla.
De acordo com o responsável pela imagem e marketing do grémio huilano, o clube conta actualmente com o “insignificante” número de 600 sócios, que para além de reduzido, se revela de forma permanente, inconstantes no pagamento das suas quotas, o que não contribui na satisfação das necessidades e custos financeiros da colectividade.
“Contamos apenas com 600 sócios. O número de sócios, para além de representar um número muito abaixo do desejado, são inconstantes no pagamento das suas quotas”, disse.
Lamentou neste sentido que, a irregularidade que se regista de forma recorrente no pagamento das quotas pelos sócios, interfere de forma negativa, pois não contribui em nada para aliviar os gastos e as despesas correntes e diárias do clube afecto à Região Militar Sul.
“A irregularidade dos sócios no pagamento das quotas não contribui muito para fazermos face a aquilo que são as despesas que a direcção do Desportivo da Huíla tem no dia-a-dia”, referiu o dirigente desportivo.
A participação da equipa principal no Girabola Zap envolve uma engenharia financeira enorme, desde a disponibilidade de verbas para a contratação de jogadores, equipa técnica, pagamento de salários, prémios de jogo, alojamento, transporte e alimentação para os jogadores, técnicos e equipas de arbitragem para além dos bilhetes de viagem para as deslocações às províncias que têm equipas na prova.