Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo da Hula aponta a novos alvos

Gaudncio Hamelay | no Lubango - 26 de Outubro, 2015

Desportivo da Hula consegue melhorar a classificao do Girabola

Fotografia: Aro Martins

Depois de uma temporada atípica em que a equipa teve em algumas fases do campeonato uma prestação em que alternou os resultados, o sector atacante vai merecer maior atenção nas prioridades de reforços do plantel militar da Região Sul para a próxima época.

No balanço da prestação da equipa no recém-terminado Girabola e a perspectiva para a temporada 2016, o director administrativo do Desportivo da Huíla, Ezequias Domingos, disse ao Jornal dos Desportos, que tudo está a ser feito para que nada falte a equipa na rota dos objectivos que forem traçados. O dirigente desportivo comentou que o sector atacante constitui a prioridade de reforço, porque em termos de estatística a equipa ao longo da época passada, marcou apenas 24 golos, o que considerou de bastante irrisório para um campeonato com 30 jornadas.

“O sector atacante vai merecer maior atenção para o próximo campeonato nacional, assim como a linha intermédia com destaque para  os chamados médios franqueadores. São estes em principio, os sectores que o treinador indicou para reforçarmos. Os outros vão depender das saídas ou não de alguns atletas. Se calhar mais um lateral direito”, completou.

A grosso modo, avançou não ser pretensão da direcção do clube mexer muito na estrutura da equipa, pelo facto de não ser salutar para aquilo que é a política que pretendem implantar, pois, que pode atrasar o processo de conhecimento e entrosamento no grupo. Assegurou que se o clube conseguir manter o núcleo duro do plantel podemos ter uma melhor prestação. “Estamos em crer que um atacante ou dois, serão as nossas grandes prioridades para a próxima época desportiva em 2016”, anunciou.

Ezequias Domingos informou que a prioridade está centrada no mercado interno e para jogadores angolanos. Justificou que o mercado estrangeiro é muito dispendioso, pese embora, existir alguns empresários que oferecem jogadores ao Clube Desportivo da Huíla (CDH) com particular realce para camaroneses e senegaleses.

“Temos estado a dizer que a nossa politica é potenciarmos os jovens locais, porque um atleta estrangeiro tem outros custos, sobretudo residência, passe, bilhetes de passagens, só para citar estes. E, nós Desportivo da Huíla, não estamos como muita saúde financeira por ali além”, aclarou. 

O dirigente afirmou sem qualquer ressentimento que vão apostar em jogadores nacionais, “salvo se um clube grande tal qual aconteceu na temporada transacta emprestaram ao clube, um jogador estrangeiro”, salientou.

NOSSA SRA. DO MONTE
Desportivo da Huíla recupera relva do Estádio

A relva do estádio da Nossa Senhora do Monte, cedida ao único representante da província no Girabola, vai beneficiar de uma intervenção de fundo nos próximos dias para permitir a sua utilização no Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão de 2016.

“A partir da próxima semana, iremos iniciar a recuperação do relvado. É um trabalho que vai ser difícil, porque carece de verbas, mas naquilo que são as nossas disponibilidades financeiras, tudo iremos fazer para melhorar o tapete de formas a que até Janeiro possamos ter um campo com outra apresentação”, garantiu o director Administrativo.

Ezequias Domingos referiu que numa primeira fase, os trabalhos vão iniciar com o processo de adubagem e posteriormente com o lançamento de semente para que o tapete verde tenha outras condições de treino.

Revelou que fazer uma intervenção de fundo contratando uma empresa estrangeira ou nacional, ficaria muito caro e os recursos são poucos. “Aquilo que estiver ao nosso alcance é o que iremos fazer”, esclareceu. Ezequias Domingos anunciou que os trabalhos estão sob a responsabilidade do Clube Desportivo da Huíla e conta com o apoio de jovens locais, que tiveram um estágio junto da empresa SIS, que durante muito tempo esteve a tutelar a questão da manutenção do relvado.

Aclarou que na eventualidade de contratarem outra empresa, fica muito mais dispendioso. “Estamos em crer que aquilo que é o básico ou essencial, estes jovens estão em condições de tratarem e darem outra imagem a relva. Oxalá que outras componentes não falhem. Estou a falar por exemplo do abastecimento de água, que é fundamental e a energia”, salientou.

O director administrativo dos militares da Região Sul sustentou que se houver falha constante de água ou eventualmente de energia, todo o trabalho que se pretender fazer pode ir por água abaixo. Argumentou que a direcção tem de acautelar-se nesse aspecto e procurar encetar contactos com os responsáveis destas áreas do município do Lubango.

O responsável fundamentou que o Clube Desportivo da Huíla durante a época passada não realizou nenhum jogo oficial no estádio de Nossa Senhora do Monte, porque o tapete verde não reunia condições para realização de jogos. Por esse motivo, prometeu “é que vamos procurar melhorar a relva. Se de facto formos bem-sucedidos, nesse aspecto, quem sabe a próxima época teremos jogos oficiais naquele estádio”, garantiu.

PLANTEL
“Foram dignos profissionais”


A componente disciplinar constituiu a chave do sucesso da brilhante época que o Desportivo da Huíla realizou no Girabola2015 e encheu de orgulho todos aqueles que se identificam com as cores do clube.

O plantel conquistou uma posição aceitável e reconheceu que a equipa técnica liderada pelo Ivo Traça teve uma influência bastante positiva “há muito que já não tínhamos épocas tão disciplinadas como esta”, avaliou.

“Uma das grandes chaves do sucesso desta brilhante época desportiva em que o Clube Desportivo da Huíla efectuou, foi a componente disciplinar. Não tivemos casos de indisciplina de realce e nenhum atleta foi penalizado em termos de desconto salarial ou prémio”, sustentou.

Admitiu que a liderança no banco foi fundamental para este sucesso. “Acho que o nosso treinador teve uma influência muito positiva nesse aspecto. Há muito que já não tínhamos épocas tão disciplinadas como esta”, considerou.

Destacou que os atletas foram excepcionais, porque compreenderam as dificuldades financeiras que o clube atravessa e sempre que a direcção transmitisse esses obstáculos entendiam com naturalidade. Acrescentou que tudo isso, propiciou que no final da época “tivéssemos uma posição tranquila e bem merecido por tudo aquilo que os atletas fizeram”, realçou.

ENCERRAMENTO DA ÉPOCA
“O plantel cumpre período de férias”

Ezequias Domingos confirmou ao JD que a equipa técnica e jogadores do Clube Desportivo da Huíla (CDH), observa desde o sábado passado, um período de férias de aproximadamente dois meses.

“Encerrámos a época desportiva sábado com a realização de um jogo treino e a partir deste período os atletas e equipa técnica vão gozar as merecidas férias. O regresso dos mesmos está condicionado ao início do campeonato”, precisou.

Realçou que existe uma data previsional para o inicio da próxima época na primeira quinzena de Janeiro de 2016 “mas ainda não é uma posição definitiva”, frisou.
Avançou que tão logo a direcção do clube tenha confirmação sobre o inicio de campeonato “iremos então definir o período do inicio da preparação que em principio prevê-se que seja na primeira semana de Dezembro”, sustentou.

Esclareceu que mal termina a época, geralmente há um acompanhamento de alguns atletas que poderem reforçar este ou aquele plantel. Anunciou que a equipa técnica já indicou alguns jogadores que podem eventualmente reforçar o plantel para 2016.

“Tudo isso vai ser equacionado em função das eventuais saídas que se observar no plantel. Temos um ou dois atletas que manifestaram o interesse em sair do clube, mas não nos deram ainda uma resposta definitiva, já que carece de um respaldo e dos contactos que forem feitos”, asseverou.

Ezequias Domingos afirmou que seja como for, a direcção dos militares da Região Sul tem que ser rápida na definição do plantel para não ser apanhada de surpresa, porque há aspectos administrativos que têm que ser cumpridos, como preenchimento de fichas e outros. “Temos de nos acautelar para que até finais de Dezembro, possamos ter todo o expediente administrativo definido”, prometeu.

PRÓXIMA ÉPOCA
Técnicos recebem voto
de confiança do clube


Ezequias Domingos anunciou que a direcção do Clube Desportivo da Huíla, deposita total confiança a equipa técnica liderada por Ivo Traça e decidiu manter o mesmo elenco a frente dos destinos do plantel na próxima época. Recordou a máxima de 'equipa que ganha não se mexe'. 

“É a gíria desportiva que nos ensina isso. Então, foi o primeiro ano que o treinador Ivo Traça comandou uma equipa de seniores e pensamos que pelo facto de ter realizado um bom trabalho mereceu o voto de confiança da direcção”, destacou.

“Temos motivos para confiar nas suas capacidade e dar-lhe todo apoio possível para que continue a desenvolver o trabalho nesta agremiação desportiva e volte a ter bons resultados”, augura.

Ezequias Domingos disse ser motivo de orgulho permanecer na Primeira Divisão do Girabola uma vez que esta temporada, a competição foi bastante difícil. “É só vermos a pontuação e o equilíbrio que se registou ao longo da prova. Com o técnico Ivo Traça, apesar da sua estreia como técnico principal, conseguimos melhorar a nossa classificação, isto é, saímos em 7º lugar, o que é bom e bastante positivo. Resta-nos agora começarmos a preparar a próxima época”, sublinhou.

O dirigente perspectiva que a próxima temporada pode ser mais complicada para todas as equipas e para não serem surpreendidos, acrescentou que nos próximos dias a direcção vai reunir para analisarem a possível calendarização da FAF, que prevê abertura em Janeiro. “Todo cuidado é pouco, por isso, pensamos reunir com urgência para iniciarmos a preparação quanto mais cedo possível, do que tem sido habitual”, esclareceu.

Reforçou que não se antevê uma grande sangria do plantel, mas como o futebol é dinâmico, “o que é verdade hoje pode ser mentira amanhã. Agora uma coisa é certa vamos manter a mesma equipa técnica”, assegurou.

Afirmou ser fundamental para manter a estabilidade do grupo. “E se eventualmente sair um ou três jogadores é normal, mas o núcleo duro da equipa irá se manter”, garantiu.