Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo da Hula espreita liderana do campeonato

Betumeleano Fero - 19 de Janeiro, 2019

Militares da Frente Sul tm uma deslocao difcil a Cabinda onde jogam com o Sporting local

Fotografia: Paulo Mulaza | Edies Novembro

A décima terceira jornada do Girabola ZAP 2018/2019 abre esta tarde com apenas dois jogos, ao contrário dos quatro previsto com o risco do segundo não se disputar em virtude dos atletas da Académica do Lobito recusarem deslocar-se à Cuanza Sul.
Para hoje, as duas têm os ingredientes necessários para despertar a atenção de quem estiver no estádio ou fora dele a acompanhar o relato pelo rádio. Trata-se do Sporting de Cabinda - Desportivo da Huíla e Libolo - Académica do Lobito, todos com início às 15H00.
Mais uma vez o Desportivo da Huíla está diante da porta larga de oportunidade. A liderança à condição é o prémio que os militares da Frente Sul vão tentar conquistar no Tafe, casa do Sporting de Cabinda.
Os leões são sempre perigosos no seu reduto e nem sempre são imbatíveis. É verdade, mas num bom dia são indesejáveis para qualquer adversário.
Os militares sabem que são o alvo a abater, esticaram demais a corda e têm de lidar com isto. Eles mesmo é que criaram este tipo de situação agradável, capaz de fazer com que o Tafe seja pequeno demais para o grande jogo, que se espera.
As duas equipas têm tudo o que precisam para protagonizar uma jogatana e consigam ir ao encontro da expectativa de todos e que no final haja mesmo golos, que sejam estes a ajudar a encontrar o vencedor.
Sem força competitiva para esconder a má fase, o Recreativo do Libolo vai tentar \"lamber as feridas\" na difícil recepção ao Académica do Lobito. Há poucos motivos para acreditar que o estádio de Calulo vai estar agitado, pois os adeptos têm motivos para estar de costas viradas com a equipa. A primeira volta está quase a terminar, porém, até agora a equipa não consegue aparecer no campeonato. Ainda é cedo para o juízo final, é verdade, mas a pior prestação na prova aos poucos começa a ganhar forma, porque não há reacção.
Os estudantes estão mesmo em queda livre e parece que estão a pagar o preço da fama. Contudo, é ponto assente que este não é o adversário ideal para quem quer corrigir o último mau resultado, mas o lado bom é que o os lobitangas vão a Calulo com atitude sobranceira porque também é perseguido pela aflição.
No domingo, a partida do estádio do Dundo, tem tudo para ser das grandes atracções do dia ainda mais depois do que os contendores fizeram na jornada passada. A precisar de grandes resultados para reivindicar outro tipo de tratamento, os diamantíferos perseguem uma vitória que lhes valorize o brilho. 
Pelo facto de ser a primeira equipa a balançar as redes do 1º de Agosto no campeonato, o Sagrada Esperança subiu a fasquia e agora tem de provar que o 3-3, diante do campeão, foi por meu mérito competitivo. Os adeptos há muito que estavam à espera de ver a sua equipa a provar que podem competir contra os grandes. Fica claro que a pressão da vitória é enorme e vai exigir grande labor em casa.
O Kabuscorp teve tempo de testemunhar o susto que o seu adversário desta jornada deu ao campeão nacional, por isso, está ansioso em fazer o mesmo. Os palanquinos têm recursos suficientes para garimpar num dos estádios em que mais enfrentam dificuldades.
A deslocação ao Dundo é de alto risco, assim a equipa do Palanca tem de esforçar-se para se manter sólida do princípio ao fim para conseguir regressar a casa com qualquer ponto.
Ainda a precisar de juntar obras para provar que é mesmo candidato ao título, a equipa orientada por Paulo Torres tenta recuperar o que deixou de somar. Ainda há muito campeonato até ao fim, mas a matemática coloca a equipa sob obrigação de vencer. A primeira volta está na recta final e todos os triunfos são mais do que importantes para o embalo que se pretende para a segunda volta.

AMANHÂ
Líder nas "chanas" do Leste para reajustar passo

A deslocação do 1º de Agosto ao Mundunduleno é o cartaz para amanhã. O campeão joga com os resultados de todos os rivais, excepto o Petro que só entra em cena na quarta-feira. Este conhecimento antecipado talvez nem force recuperar à liderança, mas a obrigação de ganhar extramuros ao FC Bravos do Maquis, a partir das 15H00, é a mesma, ainda mais depois do empate caseiro na jornada passada, em que consentiu os primeiros golos no campeonato.
Os militares estão proibidos de falhar nesta ronda. A equipa teve oscilações de rendimento num passado recente e isso criou um mal estar que só não terminou com o divórcio entre com os adeptos, por causa da série de vitórias seguidas que acabou com a onda dos empates. Ainda é prematuro falar num regresso aos empates, mas o campeão já deu provas em diferentes ocasiões, neste campeonato, que sabe reagir quando todos duvidam do seu potencial.
O Mundunduleno tem sido um palco de boas e más recordações para os rubro e negro. O momento agora é outro e há todos os motivos para crer que os militares podem sair vivos do difícil reduto dos maquisardes, pois aparentam estar num dos melhores momentos de forma de todo o campeonato.
A necessidade de fugir dos directos perseguidores é coisa mínima para a equipa de Dragan Jovic. Na verdade, o plantel lida com isso desde a primeira jornada e sabe da importância de terminar a primeira volta folgado em relação aos concorrentes. Assim existe motivos para apostar todas as fichas numa vitória dos agostinos.
O Progresso Sambizanga voltou à primeira forma com o regresso de Hélder Teixeira. Os sambilas estão competitivos demais para darem confiança ao Cuando Cubango FC. O apito nos Eucaliptos também soa às 15H00, com uma certeza, o foco está nos sambilas, enquanto os donos de casa têm de ser humildes e aceitar que não têm as mesmas armas, aceitar que não podem tentar assumir o controlo do jogo, que seja o adversário a fazer isso.
Um empate vai ser uma das surpresas da jornada e as duas equipas sabem disso, porque os extremos vão estar em campo. Como penúltimo classificado está nos lugares de descida sem resultados regulares para poder se igualar ao seu oponente. Ninguém está a espera de um jogo de sentido único, pois a equipa da casa está a ser puxada para baixo, mas pode surpreender, se o vistante deixar.
O Clube Recreativo da Caála e o Interclube jogam à mesma hora, no estádio da Caála. O duelo promete ser bem equilibrado tendo em conta a intermitência dos contendores. Os papeis se inverteram e os polícias entraram melhor no campeonato, mas os caalenses conseguiram inverter a situação e estão na mó de cima com mais chances de facturar do que o irregular adversário.
Um escasso ponto separa o Saurimo FC do ASA. Os aviadores estão a respirar melhor, mas esta tarde têm de fazer pela vida para sair das Mangueiras com um resultado favorável, para alargar o fosso em relação ao concorrente directo. Antes do pontapé de saída do Girabola, ninguém imaginou que as duas equipas seriam concorrentes directos no campeonato da despromoção, mas como contra factos não há argumentos, este é dos jogos mais equilibrados da jornada.