Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo da Hula fragilizado

Benigno Narcisco , no Lubango - 28 de Março, 2019

Fotografia: Benigno Narciso-Lubango

A equipa principal de futebol do Desportivo da Huíla, terceiro classificado do Girabola Zap 2018/2019, com 35 pontos, trabalha limitado e envolta em adversidades, devido à ausência, por lesão, há já várias jornadas, das suas unidades fulcrais na manobra da equipa.Dentre as ausências prolongadas, os destaques recaem para o avançados Razaq (nigeriano) e o congolês Jacques, bem como o médio central nigeriano Ibukun.

  As três unidades chegaram ao clube da Região Militar Sul, como aquisições de peso, vindos do 1º de Agosto. Contudo, não justificaram as expectativas e o rótulo de “grandes” reforços. Razaq, ausente desde a 10ª jornada, recupera na África do Sul e o Jacques, igualmente em tratamento, alinhou em dois jogos, enquanto que Ibukun nunca chegou a fazer parte das opções da equipa técnica do Desportivo da Huíla.

Essa realidade, obriga o técnico Mário Soares a recorrer a atletas juniores para colmatar o vazio, como de entre outros, o caso do jovem avançado Pedro, de 19 anos, autor do segundo golo na vitória com o Cuando Cubango FC na 20ª jornada.Diante deste quadro, Mário Soares entende que só os presentes é que fazem falta, pelo que valoriza e potencia os disponíveis. “Temos um plantel vasto e por isso, só os presentes estão disponíveis e nos fazem falta, e é com eles que devemos contar e trabalhar”, esclareceu.

O técnico não deve contar com o avançado Leonel, melhor marcador da equipa e o segundo do campeonato, com sete golos, no desafio com o ASA, no domingo, em Luanda, para a 21ª jornada, assegurou que privilegiou a recuperação da equipa durante os primeiros dias do interregno da prova, devido os índices de fadiga resultantes da sequência de jogos na competição.Mário Soares rejeitou que haja preparação específica para o desafio com a formação aviadora, afina a equipa com trabalho habitual, sem inovações nas sessões de treino, com incidência nos aspectos técnicos e tácticos.

 “Tivemos tempo, duas semanas de paragem, então, essas duas semanas, primeiro, recuperamos a equipa fisicamente, e agora que estamos em vésperas do jogo com o ASA, mais estamos a preparar a nossa forma de estar e jogar”, disse.Ontem, o grupo trabalhou em sessão única, no relvado do Estádio do Ferroviário, no Lubango, no período da tarde e o mesmo acontece hoje.