Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo escorrega no Ferrovia

Benigno Narciso, no Lubango - 14 de Março, 2016

Desportivo da Hula desperdiou a possibilidade de continuar a co-liderar

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Desportivo da Huíla desperdiçou a possibilidade de continuar a co-liderar o Girabola ZAP 2016, com o 1º de Agosto, ao empatar ontem, no estádio do Ferroviário, no Lubango, a duas bolas, diante do 1º de Maio de Benguela, em desafio referente à quarta jornada da prova.

A entrada pressionante do 1º de Maio de Benguela, que manteve domínio sobre o adversário ao assumir a iniciativa do jogo,  inibiu os comandados de Ivo Traça, que não conseguiram construir acções ofensivas  necessárias para travar o ímpeto dos proletários.

Com um futebol apoiado, envolvente e rápido, com realce para os médios e os laterais, que faziam da velocidade a arma para surpreender e chegar à área do guarda-redes contrário, o 1º de Maio dominou a primeira parte e fruto disso chegou ao intervalo com a vantagem de 1-0, golo do avançado Kikas, aos 25´, depois de uma triangulação rápida à entrada da grande área do Desportivo.
O intervalo terá servido para Ivo Traça rever as estratégias e assumir uma nova postura.

Efectuou duas substituições numa só sentada, no início da segunda parte, com Mendes e Cassinda a entrarem para os lugares dos “apagados” Lito e Tchitchi. Duas mexidas que surtiram efeito, já que Cassinda repôs a igualdade três minutos depois, ou seja, aos 48´.  Animado pelo golo da igualdade, o Desportivo assumiu a iniciativa do desafio e inverteu a tendência do jogo ao passar de dominado para dominador. Contudo, a falta de eficácia na finalização, impediu melhor sorte.

E como quem não marca sofre, o 1º de Maio não se fez rogado. Assegurou-se bem da pressão e do ascendente adversário e num golpe fatal, chegou aos 2-1, resultante de um contra-ataque que iniciou no guarda-redes, que endossou o esférico para o lateral esquerdo, corredor em que seguiu a jogada até à entrada da pequena área, onde pleno de oportunidade, Frank, que entrara na segunda parte, desfez a igualdade.

Pressionada pelos seus adeptos, os militares da Região Sul conseguiram forças e motivação para minimizar o mal. Foram necessários apenas três minutos e estava reposta a igualdade. O experiente avançado Kêmbwa, num movimento de rotação rápida em plena pequena área, atirou para o fundo da baliza defendida por Lókwa.

O árbitro Rodrigues Aleixo teve uma actuação discreta, sem interferência no resultado do jogo. Esteve sempre em cima das jogadas, fruto da boa forma física que evidenciou. Foi bem auxiliado por Paulo Van-dúnem e Nicodemos Calembela.