Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo pretende surpreender

Betumeleano Ferrão - 17 de Fevereiro, 2018

Fotografia: Arimateia Baptista | Edições Novembro _Huíla

O técnico do Desportivo da Huíla admitiu que a sua equipa está prevenida para  defrontar o Sagrada Esperança, não obstante o potencial e as pretensões do adversário, porém, advertiu que mantém o objectivo de vencer o desafio, referente à segunda jornada do Girabola Zap 2018.
Mário Soares revelou que os seus atletas estão em condição atlética e mental para o embate. O treinador dos militares da Região Sul afirmou que ao longo da semana delinearam a estratégica para contrariar os donos da casa.
“Vamos defrontar mais um candidato ao título, depois do Interclube no fim-de-semana, para a primeira jornada. Creio, que temos condições atléticas, conjuntural e mental, estratégia de jogo e argumentos para contrariar o Sagrada Esperança”, revelou.
Sem tirar o foco no triunfo, o técnico antevê dificuldades ante um adversário que na época passada classificou-se na terceira posição, e este ano almeja melhorar a classificação.
“Conheço o treinador e creio que o Sagrada não foge muito da sua forma de estar. Teremos dificuldades, apesar de termos preparado a equipa para contrariar o adversário, que é o favorito em função da sua prestação no Girabola passado. Então, só há duas hipóteses: ser campeão ou na pior das hipóteses, ser segundo classificado do Girabola Zap 2018”, qualificou.
Mário Soares dispõe de dados e conhecimentos sobre a equipa da Lunda - Norte, o que contribuiu para definir a estratégia a utilizar, a fim de surpreender o adversário e pontuar.
“Acaba por ser o jogo mais importante, porque o nosso lema está sempre em centrar o foco no jogo seguinte, e esse é o próximo. Tenho uma equipa que trabalhou na recolha de dados e informação sobre o Sagrada Esperança. Então, durante a semana preparamos os nossos argumentos”, contou.
O defesa central Jó, é a única preocupação clínica. O atleta lesionou-se, na primeira parte do jogo com o Interclube, em que os comandados de Mário Soares empataram a uma bola, no Estádio do Ferroviário, no Lubango, para a primeira jornada da prova, e pode desfalcar o conjunto huilano.  

ACADÉMICA
Rui Garcia almeja primeira vitória


Ultrapassada a derrota na ronda inaugural do Girabola Zap 2018 diante do Sporting de Cabinda, o técnico da Académica do Lobito, Rui Garcia, considera imperioso vencer o JGM do Huambo, no desafio aprazado para esta tarde às 15h30, no Estádio do Buraco.
Para o desafio de mais logo, o treinador dos estudantes aposta numa equipa centrada no ataque, sem descorar a vertente defensiva, por sinal, o sector que denotou alguma fragilidade no desafio que resultou num inesperado desaire no jogo com uma equipa que soube tirar proveito dos erros cometidos.
Rui Garcia assegurou à imprensa, que no seio do colectivo reina o espírito de confiança e crença, fruto do trabalho psicológico e físico que se desenvolve. “Estamos bem do ponto de vista anímico e físico. Como puderam reparar, jogadores estão com vontade de ganhar. Aqui, a palavra de ordem é vencer e seguir em frente, que o passado já era”, reiterou.
O treinador lembrou que o adversário vem de um resultado moralizador (empatou a um golo com o Maquis)  pode servir de tónico para se agigantar. Contudo, garante ter a máquina preparada para evitar o pior, conta com o apoio incondicional do público lobitanga , que vai aparecer em massa no Estádio para o efeito.
 “Espero que no jogo de hoje, a equipa entre determinada e pronta a marcar os golos falhados na deslocação a Cabinda. Trabalhámos de forma insistente, na finalização e na defesa. O grupo está compenetrado e sabe da responsabilidade que tem para o jogo, apesar da complexidade que acarreta, apenas o triunfo interessa para os intentos do clube e da massa apoiante”, ajuntou.
A Académica do Lobito compete manter-se na primeira divisão, segundo revelação do seu presidente Luís Gonçalo Borges, para quem o alcance de tal desiderato está dependente da implementação dos apoios em falta, por parte da patrocinadora oficial, no caso da ESSO Exploration -Angola, via Sonangol, EP.
“Estamos de mãos atadas, para nosso desalento. Não está fácil”, clamou.
Júlio Gaiano - Lobito