Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo tem "calendrio" apertado

Morais Canmua - 15 de Setembro, 2016

Desportivo, na preparao para o desafio

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Desportivo da Huíla nos sete jogos que tem para disputar,  para o fim do Girabola ZAP, vai ter de fazer das “tripas coração” para somar pontos   à paupérrima safra conseguida até ao momento, que proporcione alento e garantia para continuar entre os grandes do futebol nacional.

Os 23 pontos conseguidos até agora, acabam por ser ilusórios, a julgar pela maratona que ainda deve fazer para no mínimo lograr mais 10 ou 12 pontos, e assegurar o “passe” de permanência.

Para a  jornada que se disputa  neste final de semana, a equipa do técnico  Ivo Traça tem pela frente o Benfica de Luanda, com quem perdeu copiosamente na primeira volta, por 4-0, em Luanda.

Foi dos jogos atípicos, que começaram a marcar a decadência da equipa, depois de ter um início fulgurante. Realmente, ficou demarcada a fronteira entre a sensação e a decepção.

Nesta segunda volta, a jogar em casa, Ivo Traça e pupilos têm tudo para preparar a “vingança”, se tivermos em conta que deve ser em casa onde tem de começar a reviravolta, rumo à permanência.

O desiderato pode muito bem ser alcançado,  porque o  Benfica de Luanda orientado pelo técnico Zeca Amaral vive igualmente momentos conturbados na competição, com muitas irregularidades nos resultados.

Na 25ª jornada, o Desportivo recebe em casa, o seu “irmão mais -velho”, o 1º de Agosto. Um jogo difícil, que nesta fase do campeonato, de certeza que os do “Rio Seco” tudo vão fazer para esquecer o laço umbilical que  os liga, e vai “enterrar”  mais, o irmão do Sul.

 No desafio com o 4 de Abril, para a 26ª jornada no Lubango, o CDH tem tudo diante de um adversário do “seu” campeonato para sobrepor-se e aumentar a  safra. Porém, há que ter em conta que na primeira volta, em Menongue os conjuntos empataram a zero.
Na 27ª jornada, os militares da Região Sul vão ao Lobito, no Estádio do “Buraco”, para jogar com a aflita Académica, com quem perdeu em casa, na primeira volta por 1-2.

Trata-se de um jogo extremamente difícil, que pode definir muitas coisas na campanha de ambas na competição. Nas duas jornadas subsequentes, o Desportivo recebe primeiramente o Progresso da Lunda-Sul, depois desloca-se à vila da  Caála, ao encontro do Recreativo local. São dois jogos em que os rapazes de Ivo Traça vão ter de “comer relva” para lograr os seis pontos em disputa, já que se tratam de adversários directos na luta, que empreendem os objectivos que perseguem.

Na primeira volta, os huilanos perderam os dois jogos. Contra a equipa de Kito Ribeiro, perdeu em Saurimo por 1-0, diante dos pupilos de Beto Cardeau, no Lubango, foi por 3-1, no tal jogo que quase precipitou a auto-demissão de Ivo Traça, tal foi a desilusão.

Na última jornada, o CDH recebe o Recreativo do Libolo, num jogo que pode ser decisivo para o campeão nacional, em título, que se esmera para a renovar, a julgar pela pontuação entre estes e o 1º de Agosto, por sinal  irmão “mais velho” do Clube Desportivo da Huíla.

Sete jogos a doer, de certeza  transformados em autênticas finais na saga de permanecer entre os grandes do futebol nacional.
MA

REGIÃO SUL
Militares ensaiam defesa e finalização


A correcção da fragilidades defensiva e a melhoria da capacidade de finalização, constituem os aspectos  que a equipa técnica do Desportivo da Huíla está a incidir, na preparação para o desafio com o Benfica de Luanda, no domingo, no Estádio do Ferroviário, no Lubango, pontuável para a 24ª jornada do Girabola Zap 2016.

A aposta de fortalecer a coesão defensiva e em potenciar as virtudes ofensivas , tem em vista suprir o défice que a equipa apresentou no desafio com o Petro de Luanda, em que perdeu por 2-0, permitir que o grupo se apresente melhor dotado nestes aspectos com o Benfica da capital.

Lacerda Tchipongue, um dos adjuntos de Ivo Traça, no comando técnico da equipa afecta à Região Militar Sul, referiu com satisfação que a implementação do plano correctivo decorre de forma positiva.

“Felizmente,  os atletas estão a interiorizar da melhor forma o que temos solicitado. Estamos focados na correcção da movimentação ofensiva e defensiva. É aqui, em que estamos virados. Não estivemos bem no último jogo. O próximo adversário é o Benfica, dispensa apresentação, e por isso, temos de estar prevenidos para não cometer os mesmos erros”, relatou Lacerda Tchipongue.

No prosseguimento da preparação iniciada na segunda-feira, a equipa trabalha hoje de manhã em sessão única, no relvado do Estádio de Nossa Senhora do Monte.

Acções ofensivas a envolver os médios e os avançados que procuram a finalização,para superar os defesas e guarda-redes, num frente a frente entre a defesa e o ataque, circulação, controlo, domínio, passe e recepção orientada da bola para além de jogadas ensaiadas de bola parada, constituem a súmula da sessão a ser efectuada hoje.

Ivo Traça lamentou no final do jogo com o Petro de Luanda os erros de posicionamento,  e de marcação cometidos pelos seus defesas, situações que permitiram ao médio Job marcar de cabeça os golos que deram  vitória ao Petro, mostra-se  estar atento pelo que procura debelar essas falhas para apresentar uma equipa coesa na defesa e produtiva no ataque.

BENIGNO NARCISO - Lubango