Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo trava altitude do ASA

Benigno Narciso, Lubango - 22 de Agosto, 2016

O conjunto orientado por Ivo Traa regressa aos triunfos diante do mesmo adversrio que venceu pela ltima vez

Fotografia: Arimateia Baptista

A crença e a determinação demonstradas ontem permitiram ao Desportivo da Huíla somar a sexta vitória no Girabola Zap 2016, por coincidência diante do mesmo adversário que venceu, pela última vez,  na primeira volta. Por ironia do destino é a primeira vitória no segundo turno. Com o triunfo, os comandados de Ivo Traça tiram “a barriga da miséria”, fruto de uma estratégia que apesar de a sua implementação ter começado mal foi capaz de dar a volta à desvantagem  no marcador, fruto da entrada em grande do adversário que entrou para o jogo a vencer.

Quando aos 5´, Amarildo colocou o ASA em vantagem, nada fazia crer numa reviravolta dos donos da casa, já que o adversário vinha de um percurso impressionante e os anfitriões até à entrada desta jornada  não demonstraram capacidade de superação e reacção. As doze jornadas seguidas sem vencer espelham bem a descrença dos adeptos presentes no estádio que se viam sob  o espectro de mais uma derrota. Contudo, a imprevisibilidade e o factor surpresa inerentes ao futebol, cedo se revelariam.

A equipa visitada, “farta” dos maus resultados buscou força  interior  e não se abalou pela entrada em falso no desafio e manteve uma postura firme.Imprimiu solidez defensiva, cultivou a criatividade e lucidez no meio campo e virou as suas armas para a baliza contrária. Lances de golos eminentes foram surgindo, ascendente que deu segurança à equipa e destabilizou o adversário.

E, como água mole em pedra dura tanto bate até que fura, oito minutos depois, Dani Traça, repôs à igualdade no marcador, fazendo assim jus ao ascendente caseiro. A obrigação de vencer obrigou o Desportivo a ambicionar muito mais no desafio, para lá do empate. Motivada pelo golo da igualdade, a formação huilana reforçou a capacidade defensiva e no meio-campo e passou a apostar tudo no ataque.

A reviravolta no marcador não surpreendeu ninguém, quando deu a cambalhota no marcador ao chegar ao 2-1, aos 24´ por intermédio de Nandinho, que se antecipou ao último defesa e ao guarda-redes contrários no seguimento de um passe longo do meio-campo.
Na segunda parte, o jogo perdeu alguma emotividade.

Contudo, diante da pobreza futebolística do adversário, os militares da Região Sul foram sempre os que ditaram as regras do jogo.Malamba que entrara na etapa complementar desequilibrou toda a defensiva adversária e em plena pequena área com espírito colectivo e de equipa, serviu Bruno que com a baliza escancarada, aos 88´, atirou para o terceiro golo que fixou o resultado final do desafio em 3-1, a favor do Desportivo da Huíla.

OPINIÕES
Ivo Traça (Desportivo)
"Ainda não ganhámos nada"


“Ganhámos o jogo, mas ainda não ganhamos nada. Acusamos muitas responsabilidades por jogarmos em casa. Contudo, valeu a vitória e estamos de parabéns. Quero dar os parabéns aos meus jogadores porque entramos a perder e conseguimos dar a volta ao marcador, pois, tivemos força anímica para virar o resultado diante de um adversário muito bem arrumado”.

José Alberto “Corola” (ASA)
"Mérito do adversário"


“O futebol tem dessas coisas. Entramos a ganhar, mas não conseguimos manter os níveis iniciais com que entramos para o desafio. Tivemos algumas oportunidades para fazer melhor mas, não conseguimos. O adversário teve o seu mérito, lutou e quando isso acontece temos que reconhecer. Está de parabéns a equipa de casa. Vamos continuar a trabalhar”.