Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Desportivo triunfa em casa alheia

Jorge Neto - 14 de Outubro, 2017

As duas equipas correram atrs do golo embora com estratgias diferentes, pois os caseiros

Fotografia: Dombele Bernardo

O pragmatismo apresentado pelo Desportivo da Huíla surpreendeu a formação do Progresso do Sambinga que esbarrou numa defesa sólida e consistente. A vitória de 1-2, dos huilanos ajusta-se por aquilo que as duas equipas fizeram em campo, deixando os adeptos sambilas entristecidos.

Os visitantes entraram no jogo da melhor maneira imaginável com um golo madrugador aos 6´, por intermédio de Nandinho, que aproveitou uma desatenção da defesa adversária para abrir o placar a favor da sua equipa.

Depois disso, os huilanos mostraram ter cabeça mais fria e foram gerindo o desafio, até que os sambilas despertaram e perceberam que jogavam em casa e tinham que tomar às redes do jogo. Começaram por encostar o adversário ao seu último reduto, apesar de chegam a baliza de Lambito sem causar grandes perigo.

Porém, o golo surgiu na cobrança de um livre directo bem cobrado por Almeida aos 26´, após uma falta cometida sobre Vá, perto da grande área. Justifica-se a igualdade pela atitude que os pupilos de Kito Ribeiro assumiram no desafio, fazendo com que os comandados de Mário Soares recorressem ao contra-ataque para assustar os sambilas.

Com o adiantar no terreno da formação luandense os huilanos tiraram partido e voltaram a adiantar-se no marcador por Kêmbua aos 34´, aproveitando o espaço na grande área, rematou para o fundo das redes defendidas por Titi.

Os sambilas voltaram a estar numa posição de desvantagem e procuraram o segundo empate, sem sucesso até ao apito para o intervalo do árbitro Ailton Carmelino.

No reatamento pouca coisa mudou, ou seja, as duas equipas correram atrás do golo, embora com estratégias diferentes, pois os caseiros arriscaram mais e os visitantes pautavam por um jogo mais de posse de bola, procurando adormecer o adversário e dar o golpe fatal no momento certo.

Ainda assim, o técnico Mário Soares teve duas contrariedades para conseguir segurar a vitória, pois viu serem expulsos dois jogadores seus, Zé e Belito, por faltas perfeitamente evitáveis, uma vez que já haviam recebido o primeiro cartão amarelo.

Mesmo assim os huilanos não perderam a cabeça e apostaram numa defesa sólida para travar os intentos dos sambilas que apesar de carregar não chegaram ao objectivo, acabando por averbar uma derrota em casa.


ARBITRAGEM 


O árbitro Ailton Carmelino não teve influência no resultado final. Ele teve genica para acompanhar muito  de perto todas as jogadas. E este certo quando, decididamente, decidiu expulsar os dois jogadores da equipa do Desportivo da Huíla, por acumulação de cartões amarelos.


DECLARAÇÕES


Diogo Pedro
PROGRESSO

“Não estava
nas previsões”


“Sabíamos que iríamos encontrar grandes dificuldades diante do Desportivo, por ser uma equipa que joga muito bem e estava moralizada. Sofremos um golo muito cedo, que veio dificultar ainda mais, porém felizmente fizemos o empate mas não conseguimos aguentar o resultado. Voltamos a sofrer um golo, tivemos a oportunidade para igualar, mas não conseguimos porque o adversário defendeu-se muito bem, só nos resta trabalhar para o próximo jogo”.

Mário Soares 
CHD

“Foi uma vitória
sofrida”


“É uma estratégia e bem montada por nós, enfrentámos uma boa equipa, mas, para ganhar, é preciso defender bem e fizemos isso muito bem. O Progresso deu luta, nós defendemos muito bem e fizemos dois golos. Vamos agora ver os vídeos do jogo do Recreativo do Libolo para atacarmos o próximo jogo. Depois de garantir a permanência queremos somar mais pontos. Tenho mais um ano de contrato com o Desportivo”.