Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Direco considera inoportuna

Betumeleano Ferro - 10 de Outubro, 2009

1 de Agosto precipitaram-se ao realizar um movimento

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os jogadores do 1º de Agosto precipitaram-se ao realizar um movimento de força para obrigar a direcção a saldar a dívida que tinha para com eles. O desabafo foi feito ao “Jornal dos Desportos” por uma fonte da direcção rubro-negra.
A fonte do “JD” considerou que os atletas não escolheram o momento certo para darem um ultimato ao executivo liderado por Raul Hendrick.
“Os jogadores poderiam ter escolhido qualquer dia para fazerem as suas reivindicações, mas nunca deveriam optar pela sexta-feira. Dessa forma, deixaram-nos sem margem de manobra para resolver a questão”, argumentou a nossa fonte.
A fonte afirmou não entender por que os jogadores decidiram partir para o braço de ferro em Outubro, por causa do prémio da qualificação à fase de grupos da Taça da Confederação, quando em Agosto a direcção tinha uma dívida mais volumosa com o plantel.
Sem receios, a fonte que vimos citando revelou que no mês da fundação do clube, Agosto, os atletas tinham por receber “quatro prémios de jogo, três tranches, sem falar em salários em atraso. Eles aguentaram toda essa situação sem nenhum problema, estranhamente agora por causa de dois prémios em atraso, eles decidiram agir antes do jogo com o Santos FC”.
A direcção militar de modo algum quer acreditar que os jogadores forjaram a derrota com os santistas para obrigar o rápido pagamento da dívida. "Este mês, vamos disputar a final da Taça de Angola, então se os atletas consideravam haver má fé da nossa parte, poderiam ter um pouco mais de paciência, depois poderiam colocar a direcção entre a espada e a parede, aí sim, a situação poderia ser mais grave, porque a Taça de Angola é a nossa última tábua de salvação para a época”, referiu a nossa fonte.
SEM PROBLEMAS
Embora não tenha culpado a crise económica mundial como a causa dos incumprimentos financeiros da direcção para com os atletas, a fonte do “JD” deixou ler nas entrelinhas que a saúde financeira do 1º de Agosto ainda não inspira grandes cuidados.
“Com maior ou menor dificuldade, temos conseguido honrar com a nossa parte. Podemos demorar algum tempo, mas acabamos sempre por liquidar todas as dívidas”, garantiu.
A nossa fonte garantiu que a direcção militar não guarda ressentimentos dos jogadores, tanto é assim que não abriu qualquer inquérito para achar e punir os cabecilhas da rebelião.
“Seria ingenuidade da nossa parte tentar punir os jogadores, eles ainda poderiam fazer coisas piores. Além disso, todos se aperceberam que não se tratou de um caso isolado, foi uma atitude colectiva, então a quem iríamos punir?”, interrogou-se.

Médio Paulo Muandumba
corre para a recuperação


O médio Paulo Muandumba, que recebeu alta na passada terça-feira, depois da operação ao joelho, já corre para a recuperação. A primeira fase do seu rigoroso programa de restabelecimento deve durar duas semanas, disse ao “Jornal dos Desportos” Hugo Zamora, médico do 1º de Agosto.
Conforme noticiamos oportunamente, o jovem médio deve ficar três meses sem contacto com a bola. Durante esse tempo, o jogador deve seguir à risca o plano de preparação elaborado conjuntamente pela equipa médica que o operou e pelo corpo clínico militar.
O Dr. Zamora falou na possibilidade de Paulo Muandumba fazer parte da sua recuperação no FC do Porto. Consta que antes de vir jogar em Angola, ele tinha celebrado um contrato de trabalho com os portistas, no qual há uma cláusula que lhe dá o direito, em caso de lesões, de receber assistência junto da equipa médica dos dragões.
Enquanto médico e jogador aguardam para ver se vale a pena ou não recorrer a Portugal, o atacante Tuabi mostra-se satisfeito por ver o seu tornozelo a desinflamar. Num rápido contacto com este diário, ele mostrou a satisfatória recuperação da zona afectada e garantiu que agora sente apenas ligeiras dores.
“Já dá para treinar normalmente”, afirmou o avançado Tuabi, cujas sucessivas lesões o têm impedido de mostrar serviço no 1º de Agosto.
O outro caso clínico no plantel militar é o do médio Philemon. O jogador sul-africano tem-se queixado há vários dias de uma lombalgia. O jogador dá indícios de estar a reagir ao tratamento e se não sofrer nenhuma recaída, o Dr. Hugo Zamora poderá dispensar o recurso a radiografia, procedimento normalmente feito para determinar as verdadeiras causas das dores lombares. BF


Kabuscorp e Santos FC
jogam hoje em amistoso


Aproveitando a pausa de duas semanas que se verifica no Girabola, devido aos compromissos dos Palancas Negras, que disputam dois jogos amistosos diante das selecções da Malta e dos Camarões, as formações do Kabuscorp do Palanca e do Santos FC defrontam-se hoje, às 8h00, no Estádio Nacional da Cidadela, em jogo de carácter amigável.
O desafio visa o ensaio das estratégias que essas formações vão utilizar nas partidas da 25ª ronda do Girabola, marcada para o próximo dia 18 do corrente, em que o Kabuscorp defronta o Recreativo da Caála, e o Santos, o Recreativo do Libolo.
Além disso, a partida desta manhã visa criar uma maior coesão no seio dos dois conjuntos, baseando-se na busca da assimilação e consolidação dos aspectos técnicos e tácticos a serem ministrados, quer por Drasko e seu adjunto André Nzuzi, quer por Mário Calado.
Desse modo, não vai estar em causa o resultado do trumunu. O jogo vai sim servir para os técnicos decidirem sobre os esqueletos-base dos plantéis para as duas derradeiras jornadas do Girabola, em que as duas equipas estão proibidas de perder.
Estando as duas equipas em igualdade de circunstâncias no que toca à pontuação, cremos que tanto Drasko, quanto Mário Calado, podem tirar boas ilações deste jogo, de forma a trabalharem melhor os variados aspectos dos seus conjuntos.
Entretanto, apesar do equilíbrio pontual, as motivações também jogam outro papel entre esses dois clubes, pois, o Santos FC vem de uma moralizadora vitória diante do 1º de Agosto, ao passo que o Kabuscorp arrancou um rigoroso empate a duas bolas diante do líder e campeão em título, Petro de Luanda.
O Santos FC ocupa a oitava posição, tendo na sua conta 29 pontos, enquanto o seu adversário desta manhã está em 10º lugar, com o mesmo número de pontos. Augusto Panzo