Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Dirigentes maquisardes esto de costas viradas

Betumeleano Ferro - 21 de Junho, 2015

Fotografia: Jos Cola

"Nunca estivemos tão tremidos como agora. Os próximos dias podem ser determinantes para tornar pública a nossa saída ou não do campeonato", alertou.

O Maquis começa a segunda volta com uma deslocação extramuros ao Lobito, uma viagem que pode não acontecer porque a equipa nem tem dinheiro para sair do Luena, mas como a esperança a última a morrer, os maquisardes clamam por milagre.
 
"O grande problema é onde encontrar ajuda financeira para sairmos de casa. Depois de chegar a Luanda, poderíamos até poupar alguns valores e viajar de autocarro para o Lobito, infelizmente nem para isso temos capacidade financeira", assinalou.


GRITO DE SOCORRO
“A situação está feia para nós”


A crise financeira que o FC Bravos do Maquis enfrenta vai privar o técnico Vítor Manuel de reforços. O treinador solicitou, ontem, alguns jogadores, mas a direcção não conseguiu contratar os atletas pretendidos.

"A situação está tão feia para nós, que não sabemos onde encontrar dinheiro para trazer novos atletas para reforçarmos o  nosso plantel", lamentou. O nosso jornal soube que a carência impediu o Maquis de dispensar alguns jogadores, já que todos eles ainda têm contrato com o clube e dispensá-los de mãos vazias, poderia criar mais um problema.

"Já temos muitos problemas e não queremos criar mais um. Por isso, vamos manter connosco os atletas porque ainda têm contrato e estamos sem dinheiro para indemnizá-los", esclareceu a nossa fonte.

A equipa maquisarde tentou remediar a situação e promoveu quatro ex-juniores, Paizinho, Sapalo, Kiloy, Bruno e Alex, que regressarem de Portugal, mas a inscrição destes jovens está tremida.  "Infelizmente estamos a dever à Federação Angolana de Futebol. Temos emolumentos em atrasos e não temos certeza se os processos de inscrição que demos entrada terão o tratamento devido, porque a federação está rigorosa com os devedores. A Federação Angolana de Futebol sabe das nossas dificuldades, agora resta-nos, esperar para ver se seremos uma excepção", completou.

O plantel do Maquis retomou os trabalhos sem os préstimos de Rasca e os internacionais moçambicanos Josimar e Miro, o trio foi autorizado pela direcção a ficar mais uns dias ausentes da equipa.

A nossa fonte garantiu que os atletas vão se apresentar nos próximos dias porque estão solidários com os colegas. "Os nossos atletas estão a ser profissionais, é claro que estariam muito mais motivados se estivessem com os salários em dia, mas neste momento o mais importante é que continuam connosco.