Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Disputa renhida no topo

Betumeleano Ferro - 09 de Agosto, 2016

Campeo nacional aproveitou o deslize do lder para encurtar a diferena pontual na tabela de classificao

Fotografia: Paulo Mulaza

O 1º de Agosto voltou a ser, pela segunda vez consecutiva, o candidato ao título mais beneficiado da jornada. Os militares até perderam o seu jogo, por isso, não pontuaram, mas como o Libolo e o Petro empataram no embate entre si, a liderança dos rubro negro contínua sem ser contestada, mas com a aproximação do campeão nacional que ganhou um ponto na ronda.A jornada prometia ser favorável aos militares, porque o campeão nacional e os tricolores não tinham como aproveitar ao mesmo tempo, um eventual deslize do líder.

O desaire extramuros dos agostinos colocou enorme pressão aos candidatos que jogariam dia seguinte.Os libolenses tinham chances de ficar a escasso um ponto de distância do comandante da prova, caso vencessem, e os tricolores que a entrada da ronda estavam a quatro, uma vitória colocaria a formação do Catetão a um do segundo e quatro do primeiro.

E como os dois não podiam atingir o mesmo alvo, nenhum deles conseguiu sair do campo com motivos para festejar.Se o Libolo vencesse ao Petro iria aquecer em definitivo a questão do título, mas como empatou, deixou o 1º de Agosto com algum conforto na liderança com os seus três pontos de avanço. A vantagem não é larga, mas também não é apertada e isto significa que o jogo do título não vai acontecer daqui a duas jornadas, no Libolo-1º de Agosto, em Calulo, amenos que este fim de semana as duas equipas voltem a ter uma jornada indigesta.

As contas do títulos podem demorar a ser feitas se as equipas com mais chances de terminar em primeiro, repetirem mais vezes a intermitência de resultados que vêm protagonizada na segunda volta do Girabola ZAP.Os militares demonstraram estar ansiosos demais para quebrarem o jejum de uma década sem erguer o maior troféu nacional, mas os que perseguem, estão com sérias dificuldades de aproveitar os passos em falso do líder, desde que o campeonato retornou das prolongadas férias.

O tempo de paragem do Girabola ZAP foi o mesmo para todos, mas a sequência de resultados prova que há equipas que têm mais motivos de queixa do que outras. A inédita intermitência do 1º de Agosto está aos olhos de todos. Na segunda volta ainda não venceu 2 jogos consecutivos.Vai ser necessário esperar mais algumas jornadas para se concluir, com exactidão, se o conjunto orientado por Dragan Jovic está apenas a atravessar uma fase má ou se está a remar contra a mesma correnteza, que nos últimos anos lhe tem afastado do título, num abrir e fechar de olhos.

O 1º de Agosto é até ao momento a única equipa a depender de si para erguer o tão desejado caneco, mas estão a desperdiçar muitos pontos na segunda volta e a permitir o reacender da esperança  do Libolo e do Petro. Os perseguidores ainda estão um pouco distantes, mas se o líder não recuperar a sequência de resultados da primeira volta, é capaz de ser apanhado ou até mesmo ultrapassado dentro de muito ou pouco tempo.

O campeão perdeu cinco pontos no mesmo número de jornadas que disputou na segunda volta e no mesmo período o 1º de Agosto desperdiçou sete.No primeiro turno, os militares tinham o aproveitamento de cem por cento e foi necessário esperar seis rondas para escorregar pela primeira vez no Girabola ZAP, na derrota extramuros com a Caála de 2-0.