Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Ditadura proletria impe ordem

Jlio Gaiano-Benguela - 22 de Agosto, 2016

1 de Maio dificultou a vida ao Interclube e conquistou trs preciosos pontos para os seus objectivos

Fotografia: Jos Cola

O 1º de Maio não se deixou intimidar pelo percurso do Interclube nas últimas três jornadas e marcou um passo importante, rumo a manutenção no Girabola Zap, revelando-se bastante competente e não vacilou diante de um potencial candidato à conquista do ceptro. Os proletários apostados a encetar à fuga da zona de despromoção cumpriram o serviço de casa e conquistaram três preciosos pontos rumo a posições mais tranquila na tabela de classificação, com um golo madrugador de Márcio Luvambo, logo aos 2'.

A vitória da equipa comandada por Hélder Teixeira não merece contestação, mas para alcançar os objectivos que pretende precisa de alterar ainda em muitos aspectos, caso contrário as coisas podem complicar-se ainda mais.  Com esta vitória ressurgiu a confiança e certeza de que, ainda é possível, sonhar na permanência. Ontem, após o soar do apito final, deu para perceber isto mesmo.

Os proletários foram, simplesmente, briosos diante dos polícias que, apesar da voluntariedade e luta por que se bateram ao longo da contenda, estiveram longe das suas reais potencialidades. Ou seja, deixaram-se dominar acabaram por ser vergados. O Interclube ainda tentou inverter o quadro, mas a ditadura proletária se fez sentir.

Fecharam todas as linhas de passe do adversário e tomou a liderança do jogo, ante um conjunto que não encontrava soluções e manifestou um relativo cansaço.A actuação da equipa de arbitragem chefiada pelo internacional, Romualdo Baltazar, foi impecável. Mostrou estar a altura da contenda, tanto é que no calor do jogo, chegando a roçar à virilidade, soube colocar ordem e admoestou, com justiça, cartolinas amarelas aos infractores.

Declarações dos técnicos

Hélder Teixeira 1º de Maio-“A vitória soube a pouco”“ A minha equipa soube bater-se com valentia, mas poderia ter feito mais, não fosse o elevado número de falhanço que cometeu. O Interclube foi um digno vencido, porém, se ganhássemos por mais golos, não constituiria escândalo nenhum. Por isso, digo que apesar dos três pontos, acho que foi uma vitória que poderia ser melhor se concretizássemos os golos desperdiçados”..

 

Alves Simões Presidente do Interclube

“Revelamos cansaço
”“ O 1º de Maio surpreendeu-me pela positiva. Ganhou o jogo por merecer. Foi a equipa que mais procurou pelo golo, não fosse os falhanços dos seus avançados teria feito melhor. Tenho a lamentar pelo desaire da minha equipa, mas perdeu por culpa própria, tanto é que no fim vimos alguns jogadores a revelarem cansaço. Desta forma, não se ganham jogos, infelizmente”.