Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Dragon Jovic com regresso ensombrado

31 de Dezembro, 2018

Militares foram travados na deslocao ao Estdio das Mangueiras

Fotografia: Vigas da Purificao| Edies Novembro

O campeão nacional voltou a ceder pontos, na caminhada rumo à revalidação do título. Os militares consentiram o terceiro empate consecutivo na prova, ante um adversário que enfrenta inúmeras dificuldades e que luta para se manter na competição.
A deslocação ao Leste, à priori, antevia-se difícil, o 1º de Agosto não conseguiu fazer jus ao seu estatuto, muito menos, à qualidade do seu plantel. Todo o mérito recai para a equipa da casa, que se impôs ante um adversário em quem recaía todo o favoritismo.
A maldição, de que \" não se banha duas vezes na água do mesmo rio\", parece estar a perseguir o técnico Dragan Jovic. O sérvio, desde que regressou ao comando dos rubro - negros, não acerta com os resultados que teimam em surgir e nem as exibições são convincentes.
Depois do afastamento, de forma prematura das Afrotaças, logo na primeira preliminar, o 1º de Agosto continua a não dar gosto. De equipa com um discurso futebolístico fluido, distinto e temido, corre o risco de passar à vulgaridade. A saída de Geraldo, peça que se destacava no plantel, sem desprimor para o restante plantel, parece afectar o grupo.
É bem verdade, que ainda não perdeu nenhum jogo, não sofreu qualquer golo, mas a perda sucessiva de pontos pode influenciar e ser determinante nas contas finais para os objectivos traçados.
A reacção do técnico -adjunto, Filipe Nzanza, em declarações à imprensa, após o desaire no Estádio da Mangueiras, é prova inequívoca de que o ambiente no balneário do tricampeão não é dos melhores. Considerou ser uma derrota, o empate nulo consentido.
O treinador foi mais longe, alertou aos atletas que se \"quiserem reconquistar a prova, terão de mudar de atitude, nos próximos jogos\", desabafou inconformado com a atitude e o comportamento do plantel ao longo da partida.
Lamentou a falta de aproveitamento nas oportunidades criadas durante o jogo, por ineficácia na finalização. \"Criamos várias oportunidades, mas a equipa falhou muitos golos. E, quando assim acontece, torna-se difícil vencer\", sublinhou.
Do lado contrário, o técnico do Saurimo FC, Diogo Pedro, exaltou a atitude dos seus jogadores. São \"verdadeiros heróis\", foi assim que se pronunciou à prestação dos pupilos, que estão há mais de quatro meses sem salários.
“Sabíamos, que o 1º de Agosto era o favorito e praticamente era impossível conseguir um bom resultado\", reconheceu com humildade. Apesar de perder 99 por cento dos jogadores da equipa principal, sob alegação de falta de vencimentos, prometeu trabalhar com a rapaziada, que alinhava na equipa secundária.