Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Drbi dos totalistas

Betumeleano Fer?o - 14 de Maio, 2017

1 de Agosto procura a liderana no drbi mais antigo do Girabola

Fotografia: Jornal dos Desportos! Edies Novembro

O regresso à liderança é o objectivo supremo, que o 1º de Agosto vai abordar no dérbi com o ASA, o rival mais antigo na prova. Os militares sabem da importância de um bom resultado, para recuperar a posição que perderam na abertura da jornada,  entram em campo só esta tarde.

À espera de um deslize dos rubro -negros, o Kabuscorp vai ao difícil terreno do Clube Recreativo da Caála \"CRC\",  colocar pressão ao seu concorrente. Por jogar primeiro, os palanquinos vão fazer a sua parte, para ver se no final da jornada ficam acima ou atrás do D\'agosto.

O 11 de Novembro é capaz de testemunhar mais um dérbi, sem história, se os anfitriões voltar a serem intratáveis frente aos aviadores. O conjunto orientado por Dragan Jovic tem levado à melhor, e a trajectória dos contendores no campeonato parece indiciar mais uma vitória fácil do \'Pri\'.

As últimas jornadas provaram que o 1º de Agosto também sofre para ter o que é seu. Ninguém está a espera, que contra o ASA haja necessidade de um esforço extra, para confirmar a vitória. Ainda assim, é ponto assente que vão recorrer a todas as alternativas do vasto reportório, para não perder o embalo na recta final da primeira volta.

O perdulário ataque militar, dá sinais de querer redimir-se das críticas, por isso, é justo esperar que o dérbi fique marcado com a festa de golo dos técnicos, jogadores e adeptos rubro -negros. O jogo não é de vida ou de morte, mas a equipa sabe quão importante é impedir a todo o custo, que no final haja um desperdício de pontos, seja por via do empate ou da derrota.

Os aviadores estão sedento de vitórias e de pontos, para saírem da zona aflitiva, penúltimo lugar,  há poucos motivos para acreditar que será esta tarde que iniciem o processo de recuperação. Os derbies têm a mesma peculiaridade em todo o mundo, parece que a lei do mais forte prevalece de novo como parece virar moda, a menos que a equipa do aeroporto esteja a preparar uma surpresa inesperada.

As dificuldades do Kabuscorp contra o CRC são por demais conhecidas. A relva é apenas uma delas, mas os palanquinos não têm como perder tempo com lamentações, por isso é que se espera a confirmação da capacidade de acabar em definitivo com a intermitência de resultados dos últimos tempos.

O Caála conhece melhor os cantos da casa, ainda assim, tem de fazer uma exibição irrepreensível para pontuar, por via da vitória ou do empate. Os caálenses não podem recear de ganhar, até porque é consensual que prefiram entregar, por uma questão estratégica, o comando de jogo aos visitantes, sem perder a sua identidade em campo. 

O Interclube continua com o discurso de candidato, na  8ª posição em que se encontra, é incapaz de ver as acções que valem muito mais do que as palavras do técnico Paulo Torres. Esta tarde, na altitude do Lubango, os polícias têm de mostrar  a autoridade de que se revestem, para travar os militares, uma tarefa e tanto. Por isso, é urgente que Paulo Torres e pupilos percebam que ficaram sem margem de erro no campeonato.

Os militares do Lubango têm trocado o bom com o mau, e a classificação está aquém do potencial do plantel, embora, em termos pontuais estão a um da meta estabelecida pela direcção. O Desportivo parece que vai tirar proveito do ar rarefeito, para desgastar o Interclube, uma boa condição física pode fazer que no final respirem de alívio com os três pontos somados.

As duas equipas estão pressionadas, devido a obrigação de vencer, até ao momento ambas mostram dificuldades de fazerem dos bons resultados, uma rotina de jornada a jornada, mas esta tarde as duas equipas podem dar mais um ar da sua graça.

 IVO TRAÇA
“Teremos de correr muito para ganhar”


O técnico - adjunto da equipa do 1º de Agosto, Ivo Traça, antevê o jogo de hoje às 17h00, no Estádio 11 de Novembro, diante do ASA, como possivelmente um dos mais difíceis que vão fazer neste Girabola Zap, daí reforçar que vão ter de correr muito para levar de vencida a formação aviadora, apesar do mau momento que atravessa no campeonato.

"Será um jogo muito difícil, talvez o mais difícil que vamos fazer na primeira volta, porque vamos jogar com uma grande equipa que é o ASA, não está a atravessar um bom momento desportivo, mas com todo o respeito dizer que é uma grande equipa. E nós trabalhamos  arduamente, com alegria, vontade,  crer, e muito atentos ao adversário. Para ganhar este jogo vamos ter que correr, dar tudo de nós para ganharmos este desafio", disse em conferência de imprensa, na última sexta-feira, no ex-RI20.

O auxiliar de Dragan Jovic deixou em aberto, a utilização do médio central nigeriano Ibukun, ausente dos jogos por encontrar-se a recuperar de uma lesão, situação que depende exclusivamente do jogador. "O Ibukun está a treinar, até agora tem treinado bem, e se ele estiver em condições físicas para estar no jogo será convocado, senão vai esperar, porque teremos depois mais um jogo que é com o Kabuscorp e pode ser que ele apareça contra os palanquinos. Mas tudo depende da disposição dele dizer que está bem fisicamente", disse.

Ivo Traça minimizou a perda de liderança do campeonato, ainda que de forma condicionada  para o rival Petro de Luanda, e referiu que não vão entrar para este dérbi mais pressionados por isso, e que a pressão faz parte do dia a dia. "Não, nós não estamos pressionados, eu tenho dito que para nós a pressão está todos os dias nos treinos, nos jogos, no acordar, na rua, a gente está sempre pressionado. É verdade que o Petro já jogou e nós ainda não. Queremos trabalhar bem para conquistar os três pontos, conforme tenho dito, para estarmos sempre nos lugares da frente. Este é o nosso objectivo, o apanágio do 1º de Agosto", destacou.

O antigo médio militar admitiu ainda que estão preocupados com todas as equipas e que o objectivo principal passa por ganhar todos os jogos, apesar do respeito que têm pelos adversários, embora reconheçam que pode haver algum deslize. "Estamos preocupados com todas as equipas, as que estão à frente e as que estão noutras posições, temos de acompanhá-las, não no sentido de sentirmos pressão, mas porque elas também estão no campeonato. O nosso objectivo é ganhar todos os jogos, pode haver um jogo que nos corra mal e perdermos ou empatarmos, mas o nosso objectivo é ganhar todos os jogos", concluiu confiante no desempenho da sua equipa.
JN

ASA
Paulo Saraiva
com teste difícil

O treinador Paulo Saraiva entra no presente Girabola Zap de 2017 pela porta da "aeronave" do bairro Mártires de Kifangondo, e tem pela frente no seu primeiro grande teste esta tarde, o 1º de Agosto no Estádio 11 de Novembro, um dos jogos a contar para a continuidade da 14ª jornada.

Desde sexta-feira como novo "comandante" da formação do Atlético Sport Aviação (ASA), em substituição de João Machado, recentemente destituído das funções de técnico principal do conjunto do bairro Mártires de Kifangondo, Paulo Saraiva encontra a  nova equipa numa situação muito crítica, em função da complicada classificação, pois encontra-se em 15ª lugar, com oito pontos, em 13 jornadas  disputadas no Girabola Zap de 2017.

Conhecido pelas ascensões das equipas do Domant FC de Bula Atumba, do Bengo, em 2015, e do Santa Rita de Cássia FC, do Uíge, em 2016, à Primeira Divisão, Paulo Saraiva assume uma tarefa muito difícil e tem muito que trabalhar, para estabilizar a aeronave até ao fim do campeonato. E, como se não bastasse, Paulo Saraiva vai ser baptizado hoje com um velho clássico da capital e também do Girabola, em que dois velhos rivais e contemporâneos vão  defrontar-se para a sequência da 14ª jornada, penúltima da primeira volta do Girabola Zap de 2017, iniciada na quinta-feira, no Uíge.

Uma tradição é sempre uma tradição, porém, dados os actuais objectivos da direcção da equipa militar do 1º de Agosto, em função da  prestação nessa primeira volta, arriscamo-nos a dizer que o novo treinador do ASA entra no Girabola com o pé esquerdo, a julgar pelo quilate do adversário da jornada. A  jogar em sua casa e por ser um dos principais candidatos ao título de momento, o conjunto do sérvio Dragan Jovic vai aproveitar a ocasião para somar três pontos, e  manter-se na cúpula da tabela.
 
Como sonhar não é proibido, como se diz, dada  a situação aflitiva em que se encontra a formação aviadora, não é menos esperada uma possível surpresa  do ASA empatar a contenda,  roubar um precioso ponto aos agostinos. Militares e aviadores travam hoje o 74º clássico no Girabola, a primeira edição disputou-se no longínquo ano de 1979, e os últimos resultados são favoráveis à equipa militar, pese embora a maior goleada até aqui registada entre esses dois colossos do futebol nacional, pertencer  ao ASA (8-1). 
AP

BURACO
Académica pretende afundar Progresso

O Académica do Lobito e o Progresso da Lunda Sul estão separados por dois pontos na classificação, os estudantes podem anular a vantagem dos lundas se vencerem no Buraco. A jogar em casa, a equipa lobitanga tem de se bater, para suplantar um adversário que passa às mesmas vicissitudes no campeonato.

Mesmo sem favoritismo, os donos da casa têm de somar e seguir, o que pode ser determinante para a ambição de chegar aos lugares da tranquilidade o mais rápido possível. Contudo, nem sempre assimilam bem a lição, nada melhor do que esperar pelos 90 minutos para ver se desta vez a equipa lobitanga tem motivos para festejar.

O Progresso está a dar sinais de recuperação desde a entrada de Albano César, ainda assim, a equipa do Leste tem um longo caminho a percorrer. Um triunfo fora, é crucial para ter vantagem sobre o rival directo, pelo que os lundas vão fazer tudo ao seu alcance, para sair das terras do flamingo com o melhor resultado possível.

A maneira, como a formação de Albano César perdeu na ronda anterior, ilustra a importância de não se relaxar antes do apito final. É possível, no caso de voltar a colocar-se em vantagem, que se preocupe mais com os detalhes e não cometa os mesmos erros do jogo contra o 1º de Agosto, porque os pontos perdidos nunca mais são recuperados.

Os dois contendores andam nas ruas da amargura, e o estado de espírito nas duas hostes, as chances de (in)sucesso são as mesmas, para os dois lados. Ainda assim, quer o Académica quer o Progresso precisam de motivação extra, para cumprir os objectivos traçados para a jornada.

Um empate é capaz de satisfazer os dois lados, fica claro que as duas equipas preferem o empate para manterem as suas posições no campeonato. As incidências do jogo vão ajudar a perceber, sobretudo, quem estiver no Buraco, se as duas equipas entram em campo com vontade de jogar para a vitória.