Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Drbi luandense centraliza atenes

Betumeleano Ferro - 21 de Maio, 2016

Carlinhos (Petro) e Yano (Progresso) dois atletas que tm estado em evidncia nos ltimos jogos das suas equipas

Fotografia: Dombele Bernardo

O Progresso Sambizanga – Petro de Luanda é o destaque dos embates previstos para esta tarde, sem desprimor para os outros jogos, Progresso da Lunda Sul – Desportivo da Huíla e 4 de Abril – Kabuscorp, mas o dérbi entre os sambilas e tricolores são sempre carregados de rivalidade e por vezes de resultados imprevisíveis.

As duas equipas iniciaram a época com resultados intermitentes, mas à medida que a primeira volta encaminha para o fim, os dois conjuntos acertaram o passo e estão na vertente de bons resultados em função dos objectivos traçados.

Ainda assim, o plantel dos dois contendores tem qualidade para resgatar a mística e o suspense que há décadas caracterizava os jogos entre estes dois emblemas, dos mais populares de Luanda.

O Petro de Luanda desloca-se à Cidadela com quatro pontos de vantagem, mas sem margem de erro, por que em termos pontuais está muito atrás dos outros candidatos ao título. A equipa de Beto Bianchi está sob obrigação de vencer, senão corre o risco de perder a passada dos outros competidores, na disputa pelo ceptro.

A velha questão da finalização está a colocar em xeque o poder ofensivo tricolor, a equipa precisa de uma referência no ataque para concretizar as inúmeras oportunidades que cria.

O meio -campo às vezes disfarça a visível brecha, mas é ponto assente que o Progresso viu este filme várias vezes e  evita que o efeito Carlinhos, médio que tem dado triunfos e pontos importantes, faça a diferença na Cidadela.

Os sambilas começaram o campeonato com alguma turbulência interna e  cobranças públicas do presidente Paixão Júnior estavam a estorvar a equipa. O Progresso ainda está longe dos lugares cimeiros, mas costuma ser  eficiente nos derbies, motivo por que há razões para considerar os tricolores favoritos à conquista dos três pontos.

O calendário apertado é capaz de cobrar um elevado tributo físico ao conjunto orientado por Albano César, ainda assim, é ponto assente que o jogo de segunda -feira com o Libolo deixaram os atletas e  adeptos com água na boca.

É verdade que não existem dois jogos iguais, mas aquilo que o Progresso fez em Calulo parece ser a verdadeira amostra da qualidade competitiva, sobretudo, quando defronta os chamados grandes. Por isso, pode não ser novidade e muito menos surpresa se vencer hoje o Petro.


PROGRESSO
Albano César atento aos detalhes


Os detalhes podem decidir o dérbi desta tarde, a partir das 15h30m na Cidadela, no jogo entre o Progresso de Sambizanga e o Petro de Luanda, mostrou-se convicto o técnico Albano César.“Os detalhes são aspectos fundamentais que acabam por ser decisivos em campo”, prognosticou. Durante os três treinos efectuados, o treinador sambila ensaiou algumas variantes para derrotar o Petro, tal  como sucedeu na primeira volta do Girabola 2015.

“Você tem uma estrutura de equipa, programa e elabora os princípios de jogo, mas é preciso que esse princípio seja bem elaborado para que dê certo em campo”, assegurou.

Albano César preparou tudo bem e agora aguarda os 90 minutos para ver como os pupilos se encaixam na hora de marcar para vencer. “Tudo o que preparamos tem de ser bem processado no desenrolar do jogo, para que tenhamos uma boa consistência quer na organização ofensiva quer na organização defensiva”, argumentou.“Quando tudo é bem processado e bem elaborado, há uma correspondência e uma consonância nos sectores que logicamente pode resultar em aspectos positivos”, garantiu.

A rigidez táctica com que o Progresso quer recepcionar o Petro pode ser determinante para a equipa sambila voltar a pontuar no dérbi, como parece ser sua 'sina' quando defronta equipas da capital.

“O que nós queremos, é que haja uma coesão pelo processo intersectorial, e é nesse aspecto que nos baseamos fundamentalmente, aprimoramos todos os aspectos para que haja ordem táctica”, sublinhou.

O técnico não concorda que existe um favorito no dérbi e argumentou que os mais apressados nem sempre têm o quadro completo da situação. “O favoritismo nem sempre tem a ver com as análises que se fazem antecipadamente, porque para mim o favoritismo recaí sempre para aquele que elabora bem os seus processos com boa consistência e demonstra capacidade em campo”, assegurou.

Sem receio comparar o peso dos dois emblemas, considera errado dar favoritismo ao Petro “por ter um nome de peso?”, questionou.

Disse que respeita a história tricolor, mas nega-se a aceitar que o passado vence jogos, “o favoritismo tem muito a ver com o estado anímico do grupo e com a maneira como se trabalha, são estes os detalhes que podem criar as condições que nos permitem dar o favoritismo a certa equipa”, garantiu.

A equipa inicial que Albano César vai lançar em campo ainda está guardada a sete chaves, mas tem princípios que permitem fazer escolhas acertadas.

“Há critérios que são presumíveis, prefiro dizer que as alterações são feitas de acordo com nossas conveniências e com aquilo que achamos ser o ideal para determinada jornada. Mudamos quando achamos que temos motivos, se não há razões, preferimos manter o grupo como está”, finalizou.
Betumeleano Ferrão  


“Precisamos de vencer”


O técnico do Petro de Luanda, Beto Bianchi, disse ontem ser imperioso vencer hoje o Progresso do Sambizanga para manter a posição e acalentar esperanças na subida ao pódio, na tabela de classificação. O hispano -brasileiro considerou, ainda, o desafio frente aos sambilas completamente diferente daqueles efectuados com o Interclube e o ASA.

"Acho que vai ser um jogo diferente. O Progresso empatou no último jogo com o Libolo e tem feito bons jogos. É uma equipa que gosta de jogar futebol, joga bem e é perigosa no contra-ataque. Temos de ter cuidado nesse sentido, esperamos conseguir as vitórias que não conseguimos nos últimos dois jogos", disse.

Beto Bianchi congratulou-se, por outro lado, com a recuperação do avançado Jiresse, mas lamentou o facto de não contar ainda com o lateral Mira.
Garante que o defesa "começou esta semana a trabalhar com o grupo". Recordou que na entrada de Fabrício no jogo frente ao ASA não deu para tirar proveito do jogador, em virtude da falta de ritmo.

"Acho que foi um pouco precipitada, porque vinha de muito tempo parado. Mas é um jogador que precisa de ritmo de jogo, porque se ficar muito tempo parado perde o ritmo", justificou.     
PC