Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Drbi luandense no cartaz

Betumeleano Ferro - 02 de Março, 2019

O estádio 22 de Junho vai ser o palco da partida de cartaz do dia, com o apetecível Interclube - Kabuscorp do Palanca, um duelo muito mais do que um dérbi. O jogo começa às 15H30 e tem tudo para ser interessante do princípio ao fim, ainda mais porque tratam-se de duas equipas, cujo percurso intermitente contrasta com as metas traçadas no início da época.
Com as duas formações a quererem agora reajustar o passo para provarem, que ainda vão a tempo de alcançarem os seus objectivos, o embate de mais logo promete fazer jus a dimensão e o estatuto dos intervenientes.
Depois de entrarem com pés diferentes na segunda volta, os palanquinos suaram mas conseguiram chegar aos três pontos diante do Cuando Cubango FC, lanterna vermelha do campeonato. Já os polícias empataram contra o 1º de Agosto e não conseguiram acabar com o longo jejum sem vitórias diante dos militares.
O Kabuscorp aparente ter estabilidade emocional e competitiva, para se impor em casa alheia, ainda assim a ambição da dose dupla vai seguramente atarefar Paulo Torres e seus pupilos. Não obstante o favoritismo recair sobre si, têm de ser cauteloso antes de pensar nas recompensas que podem obter. É verdade que há muitas chances de ascenderem ao terceiro lugar do campeonato, mas têm de contar com a revolta do seu oponente.
A má campanha dos polícias está evidente na \\\'péssima\\\' posição em que se encontram. Uma vez mais, o agitado bastidor do Interclube estorvou o desempenho no campeonato, pelo que é urgente Bruno Ribeiro começar a perceber, que mudança de treinador é prática recorrente da direcção de Alves Simões. Aliás, por mais que o presidente dê voto de confiança, a realidade fala alto. Ou os bons resultados aparecem ou o técnico cai na rotina.
Os palanquinos sabem do estado de aflição dos polícias e a forma como vão tirar proveito da situação, será determinante para o resultado final. É muito importante que consigam pegar de imediato no jogo, para impedirem que os donos da casa se embalem e consigam a motivação necessária, para recuperarem o ânimo contra um adversário, que está melhor no campeonato.
A fase actual do ASA é tudo menos animadora. A incerteza mora na mente do plantel e dos adeptos. A falta de comparência, na jornada anterior, é o retrato fiel da crise que impede os aviadores de voarem. O FC Bravos do Maquis vai aos Coqueiros desconfiado com o que vai encontrar, quando o apito soar a partir das 15H30\\\'. As incidências do jogo vão ajudar os maquisardes a perceberem se a turbulência sentida por todos vai dificultar ou facilitar as coisas em campo.
Um triunfo dos anfitriões seria mais do que um prémio justo e merecido ao corpo técnico e atletas, que têm feito pela vida para manterem o brio profissional. Ainda assim, é consensual que todas as questões extra-campo possam virar trunfos importantes nas pernas dos maquisardes, se estes entrarem com pressa. Zeca Amaral é bem capaz de tirar bom proveito da condição física dos pupilos de José Dinis, que nesta altura está longe de ser a ideal.
O Recreativo do Libolo e o Saurimo FC são verdadeiros parceiros na desgraça. A fase negra por que passam no campeonato, tem muito a ver com as mesmas razões e esta tarde, a partir das 15h no estádio de Calulo, as duas equipas vão ter 90 minutos para esquecerem a desgraça em que estão mergulhados. É ganhar ou ganhar, para levantar a cabeça.
Se os libolenses ainda respiram aliviados, por estarem uns lugares acima da linha de água, o contrário sucede com os lundas. A cada derrota, o regresso à segundona começa a se tornar mais real. É por esta e outras razões, que os visitantes vão tentar fazer tudo o que estiver ao seu alcance, para estragarem o dia aos donos da casa. Até um empate já vai contentar a aflita equipa da Lunda Sul.