Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Dérbi testa chama do Petro(leiro)

Betumeleano Ferr?o - 25 de Fevereiro, 2017

Partida de sábado exige mais do Petro que do Interclube

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os tricolores perderam na jornada passada, estão na obrigação de reajustar o passo diante de um adversário que alterna os resultados, o bom com o mau.

Os petrolíferos sabiam de antemão, que tinham um calendário difícil nas primeiras jornadas, diante de dois candidatos ao título. Jogar em rondas sucessivas, com equipas do top do campeonato, traz  grande carga emocional e competitiva, com as quais a equipa de Beto Bianchi tem lidar, para evitar pôr em cheque as chances de chegar ao título, nas contas finais.

A partida mais aliciante de sábado, exige mais do Petro do que do Interclube, mas é ponto assente que os polícias tentam evitar dar a iniciativa de jogo aos tricolores, para que as várias individualidades do adversário, não apareçam para dar um confortável avanço à sua equipa.

A época começou mal, para a formação do Rocha Pinto, mas o cumprimento do dever na jornada passada , devolveu o espírito competitivo necessário para o dérbi. A qualidade do adversário serve de motivação para os pupilos de Paulo Torres. Vencer, empatar ou perder, são as três hipóteses reais.

Um jogo de candidatos, no início do campeonato, é sempre bom para a competição, porque obriga os contendores a mostrar o melhor que têm. O Petro de Luanda e o Interclube vão para o Estádio11 de Novembro em igual de circunstâncias, quem se apegar melhor aos detalhes pode lograr somar e seguir em frente.

As duas equipas têm filosofias de jogo diferentes, mas a única coisa que se espera delas, é que façam uma abordagem correcta  para que possam corresponder com as expectativas. O Petro de Beto Bianchi, é um projecto de continuidade, ao contrário do Interclube de Paulo Torres, cujos alicerces competitivos foram lançados há pouco tempo.

O dérbi entre os dois conjuntos é capaz de ser decidido a partir dos bancos, o que pode exigir dos dois treinadores fazer as leituras rápidas e correctas para que os jogadores em campo não degenerem.

O 1º de Agosto reagiu com vitória à eliminação das afrotaças, mas esta tarde às 15h30, no Municipal, tem de fazer mais do que confiar na tradição de bons resultados, em casa do 1º de Maio de Benguela. Os militares vão estar focalizados nas provas internas, pelo que nada os pode desviar dos três pontos, diante de um adversário que demonstrou na ronda passada, ser capaz de surpreender quando menos se espera.

Os militares costumam passar por dificuldades, nas acácias rubras,  sempre foi assim, para que não aconteça é determinante que a equipa relaxe só depois do apito final. A grande dinâmica que os rubro - negros estão a imprimir, esta temporada, é capaz de forçar os proletários a correr, para acompanhar a passada larga do histórico adversário.

O campeonato mal começou para os agostinos, e vai efectuar o segundo jogo num espaço de três dias, mas é ponto assente que Dragan Jovic e pupilos vão repetir o mesmo começo vitorioso nas jornadas inaugurais, para a fuga à consagração. A exibição até pode deixar muito a deixar, mas os adeptos militares querem a equipa a cumprir com os mínimos, em Benguela.

A visita do 1º de Agosto vai agitar Benguela, e vai atarefar em demasia o 1º de Maio. Os proletários sabem para onde vão estar direccionados  os olhares. A equipa caseira, não pode ter vergonha por ser mais humilde, realmente, não tem as mesmas armas para jogar de peito aberto, mas se for eficiente em aproveitar as sobras dos militares, é capaz de sair do Municipal de barriga cheia.

 Kabuscorp tenta
segurar liderança

O líder Kabuscorp é favorito, fora de portas, diante do FC Bravos do Maquis. Os palanquinos começaram o Girabola ZAP com força competitiva e veia goleadora, itens que seguramente podem fazer a diferença, na difícil deslocação às chanas do Leste.

A equipa sabe ser intratável, no momento certo. A maneira eficiente como matou os jogos anteriores, revela que Romeu Filemon foi bem sucedido ao inculcar na mente do plantel, como se alia a vitória,  ao domínio exercido.

O Kabuscorp está com o foco no título nacional, até agora, tem sabido justificar o rótulo de candidato. Não deu nenhuma chance de recuperação aos adversários, e esta tarde no Mundunduleno, vai repetir a receita das rondas anteriores. Manter o bom momento no campeonato, pode ser crucial, para aumentar os níveis motivacionais.

O FC Bravos do Maquis regressou ao campeonato, disposto a evitar os erros, que originaram o descalabro das épocas passadas. O jogo desta tarde vai ser um teste à capacidade competitiva da equipa orientada por João Pintar, que tem uma boa oportunidade para atrasar o passo rápido, de um dos candidatos ao título.

A diferença de qualidade dos planteis, e até o alvo traçado pelas direcções,  coloca os palanquinos sem liberdade de escolha, têm de vencer porque reúnem todos os requisitos necessários para ir a casa alheia conquistar três pontos.

A equipa maquisarde, é orientada por um treinador que gosta de aparecer nos jogos contra os grandes, o que a acontecer esta tarde, vai dar espaço para os dois contendores  esticarem-se no relvado, para jogar de maneira aberta.


Ainda assim, é possível que o anfitrião adopte um pouco mais de cautela, porque não tem os mesmos recursos do visitante. Uma coisa é adoptar uma postura atacante, outra bem diferente é deixar que os nomes do adversário joguem sem pressão, e dão liberdade a doutor Lami consultar quem quiser, e ser capaz de causar dissabores aos maquisardes.


INTERCLUBE
Técnico dos “Polícias” mostra optimismo


O técnico principal do Interclube , Paulo Torres, disse que a equipa vai fazer um bom resultado no jogo de hoje, a partir das 15h00, no Estádio 11 de Novembro. \"Nós temos trabalhado para vencer e estamos prontos a fazer um bom resultado diante  do Petro de Luanda \", salientou.

Ao longo da semana, a equipa trabalhou sem grande  pressão,  e o técnico garante que  está satisfeito  com a entrega  dos jogadores. \" Estou satisfeito  com o nível  de resposta  dos meus jogadores, penso que estamos no caminho certo, e embora saiba que o  jogo é sempre difícil” salientou .

Em relação ao seu adversário, o técnico dos policias foi categórico. \"É um adversário difícil, tem grande tradição no futebol angolano, e por isso, merece todo o respeito. Este, é mais um jogo de nível alto  contra uma equipa  que já trabalha há  algum tempo, tem quase todos processos  consolidados, é muito aguerrida. O pretendemos  é também aproveitar este  jogo para  crescer na fase inicial do campeonato\", disse .

O técnico  Paulo Torres garante  que não está preocupado  com as individualidades  do seu adversário. \" O jogo do Petro assenta,  principalmente,  no colectivo. Não vou particularizar nenhum jogador,  embora,  tenha  alguns atletas  com muita qualidade\",  salientou .

No tocante ao aspecto clínico, no Interclube, o  médio ofensivo Paty, que na jornada passada se lesionou, está completamente  recuperado, porém,  pode não ser opção  porque  ainda não recebeu o parecer  do departamento médico .

O vice- capitão sofreu um  estiramento  muscular, lesão indirecta caracterizada pelo alongamento das fibras dos músculos,  para  além dos limites normais.  Em face desta situação, o atleta  foi substituído ainda  a meio da primeira  parte, deixou  apreensivos  a equipa técnica  e os adeptos .

O treinador dos polícias  disse que \" Paty  é um jogador  que ainda  esta num processo de recuperação. \"Ainda não sabemos, porque  ainda é uma  questão do departamento médico, vamos esperar  que  tudo corra bem  e que esteja  disponível para dar o seu contributo\", revelou
Em função da  actuação  da equipa,  no jogo  com o Santa Rita, em que venceu, por 2-0, o Interclube deve   entrar em campo com uma equipa  diferente,  para manter o ciclo de  vitórias. Deve  entrar  com o  \"onze\"  formado por Neblu, Filipe, Valdez, Fabrício, António, Pirolito, Paty ou Kiloy,  Lindala, Dasfaa, Karanga; Moco e Chico.
VALÓDIA KAMBATA


PETRO DE LUANDA
Wilson e Malud  falham jogo


O central Maludi e o médio Wilson voltam a baralhar, pela segunda vez consecutiva, as opções do técnico Beto Bianchi. Depois de falhar o jogo da jornada passada, frente ao Libolo, os dois jogadores voltam a desfalcar o \"onze\" do Petro de Luanda no jogo de hoje, às 17h30, no Estádio 11 de Novembro, frente ao Interclube, a contar para a terceira jornada do Girabola Zap.

Depois da inesperada derrota averbada na ronda anterior, o regresso às vitórias é a palavra de ordem que domina o balneário dos tricolores. Nas hostes dos orientados pelo técnico hispano-brasileiro, ninguém ousa falar em outra coisa, que não seja a conquista dos três pontos.

Ao contrário do cenário de vitória, em que se justifica a repetição do \"onze\", no desafio desta tarde, espera-se por mudanças ou alterações à equipa que perdeu com os libolenses, em Calulo, deve Beto Bianchi apostar, seguramente, no regresso de  Mateus e Abdull no \"onze\". Espreita, ainda, as opções iniciais, o médio Nandinho.

De acordo com o que deixou transparecer o treinador do Petro, nas sessões de treino realizadas na véspera do jogo, os tricolores devem sair a jogar num 4X5X1, com Gerson na baliza,  com apoio no eixo defensivo de Abdull e Élio, enquanto nas laterais devem actuar Mira e Herenilson. Partem em condições de povoar o meio -campo Carlinhos, Manguxi, Rubinho, Nandinho e Job, ao passo que no ataque Tiago Azulão pode ser a aposta.

ANTEVISÃO

O treinador do Petro Atlético, Beto Bianchi, deixou claro durante a habitual conferência de imprensa de antevisão ao jogo, que não existe dois jogos iguais, pelo que o desafio frente ao Interclube pode produzir uma história completamente diferente.

\"Cada jogo é uma história. No Libolo, mudámos alguns conceitos de jogo, porque não podíamos contar com o Wilson, durante a semana, e no último treino fizemos o teste e o jogador não aprovou, então, optamos por outro sistema que contra Libolo pensávamos que fosse o mais adequado. Tivemos mais posse de bola e controlo de jogo, mas infelizmente faltou o golo. Sofremos um golo no final do jogo, por clara falta defensiva\", adiantou-se a esclarecer.

\"Neste jogo, o adversário é outro, com outras características,  preparamos durante a semana a equipa para o jogo contra o Inter. Nunca me sinto favorito em nenhum jogo, porque sinto que a minha equipa está a trabalhar bem, tenho confiança nos meus jogadores e acredito que o favoritismo é depois do jogo\", acrescentou.
PAULO CACULO


DUNDO E UÍGE
ASA e Santa Rita
têm dia atarefado


O ASA e o Santa Rita começaram mal o campeonato. As duas equipas estão atrás da primeira vitória, e esta tarde às 15h30, os aviadores visitam o Sagrada Esperança no seu Estádio, enquanto meia hora antes no 4 de Janeiro, o Santa Rita recebe o Progresso da Lunda Sul. Para qualquer uma delas, é um adversário indesejável para quem esteja ávida de triunfar.

A campanha aviadora, no Girabola, está longe de ser ideal, mas a formação do aeroporto entra em igualdade de circunstâncias para pontuar, diante dos diamantíferos. As duas equipas até chegam a ser equivalentes, ainda assim, estão a ter desempenhos diferentes,  cada uma está ao alcance da outra.

O Sagrada tenta ser a imagem e semelhante do técnico Ekrem Asma, e esta tarde vai ter um adversário, cuja postura facilita em demasia a estratégia do treinador turco - alemão. Os diamantíferos vão pegar no jogo para imprimir o ritmo e a necessidade de pontuar, podem dar aos aviadores pontas para pegar, e sacudir as hostes adversárias.

A procissão ainda está no adro, mas o técnico João Machado, quer o quanto antes, afastar os temores na aeronave, a equipa precisa com urgência de uma vitória para tranquilizar os adeptos. O Sagrada e o ASA lutam pelos seus objectivos, pelo que é importante que ganhem pontos, diante de um concorrente directo na obtenção da melhor classificação possível.

Os milagres não chegaram ao Girabola ZAP, com a subida do Santa Rita da Cassia, o primodivisionário está a servir de saco de pancadas dos adversários, uma situação que obriga a uma rápida reacção, quem sabe já a partir de hoje, ante o Progresso da Lunda Sul.

Os lundas demoram a ganhar no campeonato, esta tarde têm uma oportunidade de ouro para matar o borrêgo. Aqui , não há voltas a dar, a equipa de Paulo Figueiredo vai ao 4 de Janeiro com todas as doses de favoritismo. Se facilitar as coisas em campo, a sua mais-valia é capaz de sobressair, contra um adversário ansioso em surpreender.