Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Em busca de pontos

Paulo Caculo - 12 de Outubro, 2017

Proletários e palanquinos medem forças no estádio Edelfride da Costa em Benguela

Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Dois jogos marcam hoje á tarde abertura da 27ª jornada do Girabola Zap. Em Benguela, o 1º de Maio recepciona o Kabuscorp do Palanca ao passo que, em Luanda, o Progresso Sambizanga enfrenta o Desportivo da Huíla.

Do desafio entre 1º de Maio e Kabuscorp, realce para o facto de estarem separados na tabela de colocação por 13 pontos. A percorrerem objectivos distintos, proletários (10º/33 pontos) e palanquinos (3º/46) travam no estádio Edelfride Costa, um duelo interessante, mas com desfecho imprevisível.

Depois do rigoroso empate (2-2) imposto ao Kabuscorp na primeira volta, o 1º de Maio chega a este desafio extremamente motivado com o feito, mas também ciente de que em casa e diante do seu público é obrigado a repetir a exibição, mas sobretudo justificar a solidez competitiva e força colectiva para encarar o resto de campeonato com a maior tranquilidade.  Num desafio com elevados níveis de dificuldades para ambos os conjuntos, a julgar pela qualidade individual e colectiva dos dois conjuntos, não se pode deixar de repartir o favoritismo aos contendores, pois o Kabuscorp nas últimas jornadas tem-se mostrado bastante irregular, alternando muito entre o oito e o oitenta.

Ao contrário do 1º de Maio, que vem de uma derrota ante o sagrada Esperança por duas bolas sem resposta, o Kabuscorp está com os níveis de motivação em alta, após o triunfo (1-0) sobre o ASA, na ronda anterior, acalentador em relação aos objectivos de encurtar a distância que o separa do 1º de Agosto e do Petro de Luanda, respectivamente primeiro e segundo classificados.

Ainda hoje, o Progresso Sambizanga recebe a visita do Desportivo da Huíla, em jogo agendado para as 17h00, no estádio dos Coqueiros. Os sambilas ainda acreditam que podem alcançar a quarta posição, mesmo desiderato perseguido pelos militares huilanos, que encetam uma árdua batalha pela melhoria da actual nona posição que ocupam no campeonato.

Do lado dos sambilas, a ambição em voltar rapidamente às vitórias pode igualmente complicar os intentos dos huilanos. Aliás, o conjunto às ordens de Kito Ribeiro ainda não digeriu a inesperada derrota na recente deslocação ao Lobito, onde defrontou a Académica, pelo que, os pupilos de Mário Soares podem aguardar por um jogo complicado.

Sobre o Desportivo se destaca o facto de atravessar excelentes níveis de motivação, a julgar pela enorme surpresa protagonizada na jornada anterior, em que vergou o Petro de Luanda, por 2-0, no Lubango.


HOJE à TARDE EM BENGUELA
Tramagal quer fazer “gracinha”


A equipa do 1º de Maio de Benguela tenciona terminar o Girabola Zap 2017 com 39 pontos, uma pretensão que começa no desafio de hoje, às 15h30, no estádio Edelfride da Costa “Miau” , diante do Kabuscorp do Palanca, na abertura da 27ª jornada, segundo o treinador José Agostinho “Tramagal”. O técnico proletário garante ter um plantel competente e capaz de produzir mais na competição, embora, o clube estar a atravessar dificuldades financeiras.

“Estamos convictos de que é possível fazer mais na presente competição. Os jogadores estão bem desportivamente. Precisam de ver satisfeitos o que lhes são devidos. Os 33 pontos conseguidos, deu-lhes como prova de que com um pouco mais de atenção, podem produzir muito mais e melhor”, disse De acordo com Agostinho Tramagal, apesar de o 1º de Maio de Benguela estar menos abastecido financeiramente, supera muitas agremiações desportivas que contam com o apoio directo e indirecto do Orçamento Geral do Estado, por intermédio de entidades públicas ou privadas.

“Estamos a fazer a nossa parte, espero que as pessoas reconheçam o trabalho que desenvolvemos. Não é fácil passar por necessidades. Mesmo assim, estamos determinados a não desistir das nossas pretensões, que passam necessariamente por somar o maior número de pontos (12) que restam por se disputar”, precisou.

O 1º de Maio de Benguela defronta esta tarde, em Luanda, o Kabuscorp do Palanca, para a 27ª jornada do Girabola Zap2017, um adversário que nas últimas jornadas tem dado mostras de “quebra de rendimento”. As suas principais unidades da equipa revelam cansaço.

 E, para a felicidade dos proletários, o técnico palanquino, que já lamentou o facto, não vê alternativas aparentes para mudar o quadro, estando a remediar com as unidades menos produtivas.

A equipa técnica da formação proletária, atletas e dirigentes estão atentos a este pormenor e sabem que é possível vencer e, assim, confirmar a qualidade e capacidade competitiva que a equipa adquiriu nas últimas 11 jornadas, isto é, na segunda volta, em que se pontifica na terceira posição, superada apenas pelo 1º de Agosto e Petro de Luanda.

“Foi preciso incutir aos jogadores a cultura e o espírito de sacrifício para se chegar a esta performance. Nesta segunda volta, os jogadores foram, simplesmente, espectaculares.

 Jogaram ao bom jogar. Suaram à camisola e venceram a dificuldade que os assola. Garantida que está a nossa permanência na competição, espero que no jogo de amanhã (hoje), consigamos protagonizar mais uma gracinha e festejar com o público que, de certeza, estará no estádio para nos apoiar”.


CONFIANÇA NOS  PROLETÁRIOS
Técnico desdramatiza “onda” de lesões


A grande confiança manifestada pelo técnico do 1º de Maio de Benguela, Agostinho Tramagal, contrasta com o quadro clínico que o plantel apresenta. Ou seja, quatro jogadores influentes podem não actuar no jogo desta tarde, diante do Kabuscorp do Palanca, por lesão, facto que deixa preocupado a massa apoiante proletária, que torce pela recuperação dos mesmos antes do início da partida.

O Jornal dos Desportos sabe que as lesões dos defesas Cristiano Kitembo e Yeyé Sanda, bem como dos médios Bartholo Teng e Alé, resultaram dos esforços empreendidos nos últimos jogos, referentes ao Girabola Zap 2017 e à Taça de Angola, provocando contusão nos músculos. Daí a incerteza na utilização dos mesmos para o embate desta tarde, no estádio Edelfride da Costa “Miau”.

Sobre esta possibilidade, Agostinho Tramagal disse que a sua equipa técnica teve o cuidado de trabalhar nas alternativas, pelo que se mostra tranquilo por aquilo que pode vir a ser a atitude da equipa no desafio de logo mais, diante do Kabuscorp do Palanca, que está em Benguela para vender caro à derrota.

“Temos um plantel de 30 jogadores, todos eles em condições de actuarem ao mais alto nível. Por isso, na eventualidade de não os podermos utilizar no jogo contra o Kabuscorp outros poderão ser chamados para preencher o vazio. Podem ficar descansados que vão entrar com uma equipa determinada e confiante na conquista dos três pontos”, assegurou.  
 
Sem precisar o “onze” inicial para o confronto com o Kabuscorp do Palanca, tudo aponta que, caso os jogadores não recuperem a tempo, o técnico do 1º de Maio de Benguela pode apostar em Rui; Lara, Oliveira, Jó e Márcio Luvambo; Brasuca, Pakesa, Fatite e Maria Pia; Bumba e Caporai.   
 JG