Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Emena condena direco leonina

Jlio Gaiano, no Lobito - 01 de Novembro, 2018

A derrota sofrida pelo Sporting de Cabinda no jogo de estreia do Girabola Zap 2018/19 frente a Académica do Lobito, por 3-0, no passado domingo, no estádio o Buraco, espevitou um mal-estar entre os membros da equipa técnica e a direcção dos leões do Norte. O técnico Emena Kwazambi apontou possível desorganização reinante no \"reino leonino\" como estando na base da fracassada deslocação à cidade ferroportuária.
Mal terminou a partida, do lado do Sporting de Cabinda estava todo mundo aborrecido. Instalou se um ambiente de insatisfação no seio do colectivo. Estava tudo numa confusão autêntica. Nervosos, como estavam, deu para ver que ninguém quis assumir a derrota. Foi, justamente, neste clima de tensão que nas entrelinhas, o técnico Emena Kwazambi soltou a voz e apontou a falta de organização no seio da direcção, responsabilizando-a pela derrota da equipa. 
Visivelmente entristecido com a situação, Emena Kwazambi disse que a direcção o informou  que o desafio contra a Académica do Lobito seria realizado na terça-feira (anteontem). E, assim sendo, estavam todas as atenções viradas para esse dia, mas contra todas as expectativas, à última da hora receberam outra informação de que o jogo seria mesmo no domingo, 28, pelo que, às pressas e despreparados para o embate, tiveram de seguir ao Lobito para jogar. 
“Infelizmente, foi isso que aconteceu. Quando a organização é deficitária as coisas dão nisso. Inicialmente, foram-nos comunicado que iríamos jogar na terça-feira e, como é óbvio, direccionamos todas as atenções para esse dia. Mas, contra todas as expectativas, à última da hora, disseram-nos que já não seria terça-feira mais sim no domingo. Diante dessa confusão, nada mais fizemos senão partir para Lobito e jogar. Chegámos a escassas horas do jogo (teve início às 15h00) e o resultado não podia ser diferente”, lamentou.
Durante a colectiva bastante concorrida, Emena Kwazambi evitou apontar nomes dos eventuais culpados pelo desaire da sua equipa diante da Académica Petróleos do Lobito. Ainda assim, deu para perceber que as coisas no grémio leonino andam às avessas e que muitas “verdades”, ainda estão por se descortinar. Aliás, isto mesmo ficou patente, quando um dos repórteres presentes no local procurou saber do técnico se existiam condições materiais e psicológicas para a equipa se aguentar no Girabola Zap2018/19, tendo este dado por terminar a entrevista.