Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Emoes do campeonato esto volta

Antnio Jnior - 10 de Julho, 2015

Recreativo do Libolo e 1 de Agosto protagonizam amanh em calulo o jogo de maior cartaz do campeonato nacional

Fotografia: Jos Soares

A festa do futebol doméstico está de volta. O público ávido dos jogos do Girabola, começa a saciar esta noite a maior prova futebolística nacional, com o início da tão esperada segunda volta e que promete ser renhida.

As tardes húmidas de cacimbo podem tornar-se quentes com o regresso do mais esperado espectáculo do desporto “rei” no país. Vive-se neste momento, um grande clima de expectativa por parte das direcções, técnicos, atletas e adeptos dos clubes envolvidos na prova.

Depois das dispensas e contratações de jogadores, na reabertura do mercado de transferência, com o objectivo de reforçarem os respectivos planteis cresce a expectativa em torno do regresso do campeonato nacional. As dezasseis equipas, em função dos respectivos objectivos, aproveitaram o máximo a pausa de quarenta dias para corrigirem o que esteve mal na primeira volta e melhorarem na fase derradeira da competição.

Para o tão ansioso regresso do Girabola, até o calendário foi generoso e bastante simpático ao colocar frente a frente na jornada de (re) abertura da prova, o emocionante Recreativo do Libolo – 1º de Agosto, por coincidência o primeiro e o segundo classificado.

Os dois planteis estão prontos para o desafio, seguramente o mais esperado, sem qualquer menosprezo para a outras partidas, mas pelo facto da posição que ocupam na tabela de classificação e os objectivos que os dois conjuntos perseguem.

Revistos e melhorados que estão, os aspectos que estiveram mal no primeiro turno, os artistas estão preparados para o desafio que lhes espera.
Ao longo deste período, de mais umas férias forçadas, a maioria dos clubes trabalharam longe dos seus “aposentos”, onde aproveitaram para manterem a tranquilidade e a união do grupo.

De resto, alguns corações que ao longo do jejum de quarenta dias sem competição doméstica, tiveram um período de calmia, estão condenados a voltarem a bater com forte emoção quando as suas equipas ou aqueles a quem nutrem uma certa simpatia, entrarem em campo.