Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Empate amargo

Morais Canmua - 03 de Agosto, 2015

O 1 de Agosto acusou o golo e o jogo passou a uma fase de equilbrio com o Kabuscorp a reconquistar a confiana

Fotografia: Jose Soares

O Kabuscorp do Palanca e do 1º de Agosto atrasaram-se substancialmente no seu objectivo de conquista do título ao empatarem ontem a uma bola, num jogo emotivo e com imensa espectacularidade, pontuável para a jornada 19 do Girabola 2015.

As duas equipas nao tiveram competência para marcar mais do que um golo com que repartiram os pontos em disputa.

 A "avalanche" ofensiva dos militares na primeira parte fazia antever uma atitude plena no jogo, até porque, eram os comandados de Jovic Dragan quem procuravam assumir as despesas do desafio.

O povoamento no meio campo e as incursões ora de Ary Papel na esquerda, ora de Ndikumana na direita definiam o curso dos acontecimentos ante os palanquinos que, pouco operacionais no meio campo, permitiam ataques avassaladores, sacudiam a pressão e  tentavam o contra-ataque.

Nesta toada, quando eram decorridos 15', Ary escreveu em papel limpinho quando, na sequência de um passe primoroso de Ndikumana. Este evitou da melhor forma o permeável Panilson, endossou a bola à Ary que, diante de Mário,  com a maior calma do mundo, atirou para o melhor sítio. 

A partir daí, os rapazes de Miller Gomes recordaram-se que jogavam uma partida decisiva e procuraram diminuir os índices de ansiedade e aplicar o que era recomendável, mas, ainda assim, Dax, o médio que tinha a missão de cadenciar o jogo ofensivo da sua equipa, era praticamente uma nulidade.

Evandro e Lami, a par de Meyong tentavam contrapor a tendência do adversário, equilibrando a balanç e, aos 24', na sequência da cobrança de um livre indirecto no lado direito, como atacavam os palanquinos,  a bola é cruzada para a área dos agostinos que nao conseguiram interceptá-la, sobrando depois para o inevitável Meyong que, numa meia-volta perfeita,  atirava a contar, restabelecendo assim a igualdade.

O 1º de Agosto acusou o golo e o jogo passou a uma fase de equilíbrio, com o Kabuscorp a reconquistar a confiança. O seu meio campo interpretava melhor as marcações, as antecipações, as recuperações e o cadenciamento do seu jogo ofensivo mas, diga-se, no jogo defensivo pecava  em demasia, principalmente no lado direito onde as incursões militares eram feitas.

Aos 37' Ary Papel por pouco não chegou golo ao desferir um remate com muito veneno que Mário defendeu com imensa dificuldade. O empate a uma bola foi o resultado com que as duas equipas terminaram os primeiros 45'.

 SEGUNDA PARTE
Na etapa complementar, houve maior equilibrio mas, diga-se pouca eficácia das duas equipas que se igualaram em termos de oportunidades de golo falhadas. Logo aos dois minutos, Gelson, que jogou um pouco mais recuado, por pouco chegaria ao golo, quando, num remate surpreendente do meio da rua, obrigou o gurada-redes Mário a uma defesa espectacular.

Enquanto ambas equipas corriam para a necessidade de vencer a qualquer jeito o desafio esqueceram-se que o discernimento nestas altura acaba por ser o elemento fundamental. A verdade é que jogavam mais com o coração do que com a cabeça.

A entrada de Daniel Mpele Mpele acabou por ser determinante para estancar a avalanche ofensiva dos militares que, mandaram em quase todo jogo com um futebol total e bem rendilhado, com os palanquinos a tentarem jogar no erro do seu adversário para o golpe de misericórdia que pretendiam.
As entradas de Mingo Bile, no 1* de Agosto ajudou substancialmente no jogo ofensivo da sua equipa.

Nos palanquinos, Guilherme Afonso e Mpele Mpele proporcionaram o equilibrio fazendo com que a equipa chegasse com maior perigo à baliza contrária. O nigeriano Ibukun revelou uma peça de extrema importância para o meio campo agostino enquanto o burundes Ndikumana manifestou-se trapalhão na frente de ataque.

O resultado ajusta-se bem àquilo que as equipas produziram nos 90' regulamentares.

ARBITRAGEM
Apito em bom plano


O arbitro Benjamim Andrade  e sua equipa, com um e outro erro, acabou por fazer um bom trabalho. Bastante peremptório no ajuizamento da partida, demonstrou igualmente boa condição física e uma excelente coordenação com os seus assistentes. Por duas vezes anulou bem golos apontados pelos atacantes agostinos considerando off side.

MELHOR EM CAMPO
Brilho de Issac


Isaac,  lateral direito do 1º de Agosto jogou e fez jogar a sua equipa. Quer a defender como a atacar o jovem atleta cumpriu a sua tarefa tendo havido algumas vezes em que ousou em pisar terrenos alheios. Bastante disciplinado em campo foi dos jogadores que apresentou-se bastante voluntarioso e dispostos a tudo.

DECLARAÇÕES

MILLER GOMES
KABUSCORP - "Lutámos muito"

 Sabíamos que seria um jogo difícil.  Lutamos muito para pudermos vencer. Temos que parabenizar os nossos atletas pelo empenho que tiveram durante todo jogo. Vamos continuar a trabalhar, com a mesma determinação para vencermos os próximos jogos".


FILIPE N'ZANZA
1º DE AGOSTO - "Foi muito bom"

"Foi um bom jogo. As duas equipas jogaram muito bem. Claro que queriamos ganhar o jogo. Tivemos pouca sorte na frente de ataque mas, vamos continuar a trabalhar para encurtarmos a distância e continuarmos no nosso objectivo que é a conquista do título".