Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Empate com polcias revela curiosidades

Jorge Neto - 25 de Maio, 2016

O tcnico Dragan Jovic tem a misso de colocar a equipa novamente no caminho das vitrias

Fotografia: Jornal dos Desportos

O empate inesperado com o Interclube revelou algumas curiosidades na equipa do 1º de Agosto, que pela primeira vez sofreu três golos no Girabola Zap, mas não perdeu o jogo.

Nas duas derrotas consentidas até ao momento, os militares sofreram dois golos e não marcaram nenhum, mas no domingo com os polícias, os pupilos de Dragan Jovic não mantiveram a vantagem no marcador de 3-0.

Outra das curiosidades, é que pela primeira vez marcaram três golos na primeira parte, e não tiveram arte nem engenho para segurar o resultado, o empate a três bolas provou as debilidades que existem no sistema defensivo da equipa.

Pela primeira vez, também, sofreram três golos neste campeonato. É o maior número de tentos já consentidos até ao momento, com a particularidade de dois dos golos serem apontados com remates fora da grande área.

O conjunto agostino continua a sofrer golos de forma sistemática, desde a quarta jornada que procura a bola no fundo da sua baliza. O avançado Gelson marcou o 12ª tento e tanto Ary Papel como Ibukun regressaram às finalizações.

O técnico Dragan Jovic tem a missão de colocar a equipa novamente no caminho das vitórias, estão há dois jogos sem ganhar, pretende-se  melhoria nos sistemas defensivos.
JN

MOTIVAÇÂO
1º de Agosto recupera  aspecto psicológico


A recuperação psicológica dos jogadores é o que está preconizado para o primeiro treino da semana, hoje às 8h00 no ex -RI20, a pensar no dérbi de sexta-feira às 16h00 no Estádio dos Coqueiros, com o Atlético Sport Aviação (ASA) para a 14ª jornada do Girabola Zap.

O técnico Dragan Jovic pretende trabalhar  o aspecto psicológico dos seus pupilos, após o empate diante do Interclube no domingo, em que os militares estavam a vencer por 3-0.

Além da conversa com os atletas, a equipa técnica programa a preparação do desafio com os aviadores, a começar com a correcção de erros cometidos frente ao conjunto do bairro Rocha Pinto.

A equipa técnica não gostou da forma como a equipa encarou os últimos minutos, sofreu dois golos em quatro minutos, a demonstrar  permissividade.
Nas duas últimas jornadas, os agostinos perderam cinco pontos devido à derrota contra o Kabuscorp do Palanca e do empate na recepção ao Interclube, situação que resultou no encurtamento da diferença pontual para quatro, em relação aos dois segundos classificados, Recreativo do Libolo e Petro de Luanda, respectivamente.

O ambiente que se vive no seio do plantel é de inconformismo, por terem deixado escapar uma vitória, quase consumada. O sistema defensivo continua a consentir golos, o que constitui uma preocupação em função da grande motivação que atravessa o adversário a enfrentar na sexta-feira.
Desde a entrada do técnico Corola,  os aviadores não perderam os dois jogos, aliado ao facto de terem marcado nestes desafios.

A vitória dos aviadores contra o Benfica de Luanda  serve de alerta  aos líderes do Girabola Zap  para despertarem e inverterem o quadro negativo que assombra a equipa.

Neste momento o pensamento está totalmente virado para o jogo com o ASA e os jogadores sabem que estão pressionados pelos segundos classificados e não podem desperdiçar mais pontos, sob pena de ficarem com um ponto de vantagem.
JN

GOLOS SOFRIDOS
Defesa agostina precisa de coesão


O ex - guarda - redes do Bravos do Maquis, Nascimento dos Santos "Chila -Verde", considerou no Luena (Moxico) que 1º de Agosto precisa de consolidar o sector defensivo, sob pena de perder jogos no final da primeira volta ou no princípio do Girabola Zap2016, e ver gorado o plano de ser campeão

Em jeito de balanço  da 13ª  jornada, "Chila -Verde" destacou a eficácia "militar" no ataque, acompanhado de transições rápidas, porém, peca ao defender porque fazem-no com pouca velocidade, “esquecem que as defesas ganham os campeonatos”.

Disse que o empate com o Interclube (3-3) demonstra que os jogadores são pouco combativos a defender, descem de forma não uniforme, embora acredita que o resultado volumoso (chegou a ter uma vantagem de 3-0)  deixou “relaxados” os militares que já pensavam na vitória.

A defesa da equipa militar a jogar em casa já consentiu 19 golos e fora oito, no total 27 tentos, o que preocupa a massa de adeptos, dirigentes e a equipa técnica.