Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Empate justo no Buraco

Jlio Gaiano, no Lobito - 29 de Abril, 2019

Libolenses tiveram forma anmica suficiente para formar os estudantes ao empate em casa

Fotografia: Edies Novembro

A Académica do Lobito teve de empenhar-se ao fundo para arrancar o empate a um golo diante do Recreativo do Libolo, no confronto realizado, ontem, no estádio do Buraco, a contar para a 28ª jornada do GirabolaZap2018/19. Um resultado que acaba por frustrar os intentos dos estudantes que vêem adiado o sonho da manutenção para as próximas duas (e últimas) jornadas da compita.
 A Académica do Lobito só pode queixar-se de si própria, não fosse as inúmeras oportunidades de golos desperdiçadas, ante um Libolo que se limitou a jogar no erro do adversário. Ou seja, os libolenses, não precisaram de empenhar-se ao fundo para assustar os intentos dos estudantes que, diga-se de passagem, escaparam de uma derrota por incoerência da equipa técnica liderada pelo professor Júnior Paulino.
 Na verdade, o técnico da Académica estragou tudo, quando no minuto 55 tirou Cláudio Sozinho, para no seu lugar meter o jovem Gaston Tshabalala.
Uma substituição que só facilitou as acções do adversário que, aproveitou o momento para subir as linhas e tomar conta do jogo, ante a aflição do público que, a partir das bancadas, gritava de forma incessante pela mobilidade da equipa. Estava tudo complicado e a medida que tempo passava, a derrota desenhava-se.
 No entanto, para a felicidade dos adeptos afectos à formação da casa, o pior não aconteceu, porque no minuto 69, num lance fortuito, nasceu uma grande penalidade bastante contestada pelos libolenses. Márcio Luvambo, chamado a executar, fê-lo com mestria, anulando a desvantagem construída aos 37’ da contenda, por intermédio de Jared.
A actuação da equipa de arbitragem liderada por José Álvaro Chitumba foi regular. Começou bem, mas acabou mal. Fruto da pressão que sofreu ao longo do jogo pelos jogadores do Recreativo do Libolo. Revelaram-se autênticos desordeiros. Não sabem jogar limpo, pelo que prejudicaram em demasia o trabalho do árbitro que acabou em baixa, roçando pela mediocridade.