Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Encarnados negam incumprimentos nos contratos

Paulo Caculo - 07 de Julho, 2016

Balnerio do Benfica agitado por alguns jogadores exigirem o pagamento em dlares em vez de valores em moeda nacional

Fotografia: Jos Soares

A direcção do Sport Luanda e Benfica esclareceu, em comunicado distribuído ontem aos órgãos de comunicação social, não haver razões para alguns jogadores do plantel manifestem insatisfação pelo facto de o clube estar a efectuar os pagamentos dos contratos em kwanzas, porque todos os acordos rubricados com os atletas, técnicos e demais elementos da estrutura da agremiação, foram em moeda nacional.

O comunicado do grémio, presidido por Joaquim Sebastião, acrescenta por isso, que tudo que se diz à respeito, não passam de rumores postos a circular por alguns jogadores do plantel sénior, dando conta de incumprimentos por parte da direcção do clube, relativamente ao facto de alegadamente haver dificuldades no pagamento dos contratos em dólares.

"Tendo a Direcção do Sport Luanda e Benfica tomado conhecimento de rumores sobre descontentamento de alguns jogadores da equipa de futebol sénior, relacionados com a dificuldades do clube em honrar com os compromissos contratuais em moeda estrangeira, nomeadamente dólar americano ", lê-se no referido comunicado, assinado pelo director desportivo, Isaías Rubens Luciano.

Esclarece, por outro lado, a direcção do clube limita-se a cumprir com os procedimentos exigidos no país e consagrados por lei, mediante a nova realidade económica vigente.
"Vimos com a presente esclarecer aos interessados, que todos os contratos celebrados entre o clube e atletas, treinadores ou outros elementos da estrutura, foram rubricados em moeda nacional, o Kwanza (AOA), conforme orienta  a lei nº 2/12, de 13 de Fevereiro, definido pelo aviso nº 20/12 de 25 de Abril (art.º 3º, nº 3)", sublinha.

O Benfica de Luanda é o segundo clube a rejeitar o pagamento aos funcionários em moeda estrangeira, depois do Petro de Luanda fazer o mesmo pronunciamento durante uma conferência de imprensa de balanço da primeira volta do Girabola Zap.

Na ocasião, o presidente de direcção, Tomás Faria, presidente de direcção dos tricolores, fez questão de assegurar que o seu elenco não aceita mais contratar jogadores que exijam o pagamentos do vínculo contratual em qualquer moeda estrangeira.