Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Encarnados traam estratgia para travar o campeo nacional

Manuel Neto - 06 de Março, 2013

Benfiquistas trabalham com afinco para derrotarem campees nacionais em Calulo

Fotografia: Jornal dos Desportos

O técnico principal do Benfica de Luanda, Abílio Amaral, disse ontem ao Jornal dos Desportos que o grupo está a interpretar da melhor maneira a estratégia que vem ensaiando para enfrentar o Libolo, no próximo sábado, em Calulo, em jogo referente à antecipação da terceira jornada do Girabola.“A vitória alcançada no passado sábado diante do Atlético do Namibe já faz parte do passado. Agora o nosso pensamento está virado para o ensaio da estratégia para enfrentarmos o próximo adversário que é o Recreativo do Libolo”, disse.

“O trabalho está no bom caminho, uma vez que os meus rapazes estão a interpretá-lo da melhor maneira. Espero que este comportamento prevaleça até ao dia do jogo, de forma a obtermos um resultado que satisfaça as nossas ambições”, acrescentou. Amaral minimizou a boa prestação da equipa de Calulo nas Afrotaças, onde eliminou a equipa tanzaniana do Simba, porque, a seu ver, além de cada jogo ter uma história diferente, nos últimos anos os inquilinos do Girabola estão cada vez mais maduros para enfrentar qualquer adversário sem menosprezo por eles.

Por essa razão, o técnico promete apresentar uma equipa batalhadora do primeiro ao último minuto. “Temos um grande respeito por todas equipas do Girabola, apesar de o Libolo estar a subir cada vez mais de ritmo competitivo, conforme notamos no jogo internacional que efectuou e venceu em Calulo”, disse. Abílio Amaral disse que “não há motivos para nos inferiorizarmos, pelo contrário, vamos continuar a fazer o nosso trabalho sem pressão com o fito de obtermos um resultado positivo”.

A equipa encarnada volta hoje, às 15h30, no Complexo Demóstenes de Almeida, Catetão, a aprimorar a estratégia para o jogo. Ontem, no mesmo recinto, a equipa técnica fez os jogadores trabalharem com insistência os sectores defensivo e ofensivo, de modo a dotá-los de coesão e boa finalização.

REGRESSO
Senegalês Babakar
retoma ao trabalho


O defesa central Babakar Fall do Benfica de Luanda retomou ontem os treinos após15 dias de ausência. O senegalês, contratado este ano para reforçar o sector defensivo encarnado, trabalhou apenas com o grupo durante a primeira fase do estágio da equipa no país e dias depois teve de partir para a terra natal, para tratar de assuntos pessoais. Ontem, o atleta treinou sem limitações de forma a obter um ritmo competitivo ao nível dos seus colegas, objectivo para o qual o central encarnado se empenha agora a fundo.

Abílio Amaral revelou que o atleta deve continuar a trabalhar muito, uma vez que o grupo precisa de consolidar todos os sectores e acredita que o atleta pode ser uma mais-valia para a defensiva da turma da águia, caso continue a cumprir à risca as orientações que lhe são dadas. “O Babakar é um bom atleta e, apesar de ter estado ausente por algum tempo, penso que nada vai alterar a sua qualidade, uma vez que é um atleta dedicado e disciplinado, que pode dar muitas alegrias ao grupo”, disse.

FRENTE AO 1º DE MAIO
ASA procura primeira vitória


O Atlético Sport Aviação (ASA) tenta hoje, às 16h00, no estádio da Cidadela, alcançar a primeira vitória no Girabola 2013, quando defrontar o 1º de Maio de Benguela, em jogo da segunda jornada do Campeonato Nacional de futebol. A equipa, que nesta altura ocupa a nona posição na tabela classificativa com um ponto, fruto do empate conseguido na jornada inaugural, com o Sagrada Esperança, vai procurar a todo custo “colocar a aeronave no ar” para dar tranquilidade à equipa e aos adeptos. 

O técnico Ricardo Almeida mostrou-se cauteloso face ao pouco tempo de recuperação que a equipa teve para o duelo com os proletários. “Tivemos muito pouco tempo de trabalho. Chegámos na quarta-feira, jogámos fora de Luanda, no sábado, e voltamos a jogar amanhã (hoje), isso pode afectar um pouco o rendimento da equipa”, disse. O treinador aviador esperar um jogo “muito difícil”, pois a equipa de Benguela vem a Luanda para lutar pelos três pontos, depois do desaire caseiro no sábado, frente ao FC Bravos do Maquis.

“Eles vêm de uma derrota com o FC Bravos do Maquis, o que torna o embate muito mas difícil, pois vão querer vencer este jogo para mostrar que a derrota do jogo passado já foi esquecida”, sublinhou. Ricardo Almeida promete continuar a trabalhar para aumentar a rentabilidade da equipa.“Tivemos um empate na estreia com o Sagrada Esperança, na Lunda-Norte, e isso prova que nós estamos a começar bem. Vamos trabalhar no sentido de continuarmos a obter bons resultados”. Para este jogo com o 1º de Maio de Benguela, o técnico do ASA pode apostar no mesmo “onze” que actuou no jogo da primeira jornada com o Sagrada, com Die; Ângelo, Enoque, Sérgio e Yamba Asha; Ady, Matias, Tony Osódio e Mauro; Yanick e Amarildo.
VALÓDIA KAMBATA

1º DE MAIO
Proletários querem abater
os aviadores em Luanda


O 1º de Maio de Benguela tem a pontaria afinada para defrontar e vencer o Atlético Sport Aviação (ASA), em partida agendada para esta tarde, na Cidadela Desportiva, em Luanda. A derrota consentida na jornada inaugural, diante do Bravos do Maquis do Moxico, por 0-3, já foi digerida, pelo que no desafio diante dos aviadores apenas os três pontos interessam.

O técnico Edy Cardoso preparou uma equipa combativa, com forte pendor para o ataque e capaz de anular os intentos do adversário, que na jornada passada arrancou um empate (2-2) diante do Sagrada Esperança da Lunda-Norte. Os proletários vão defrontar um adversário forte do ponto de vista atlético e bom a atacar, além de apresentar uma disciplina táctica eficiente, pelo que esperam por uma disputa renhida, com desfecho imprevisível.
“Nem por isso estamos melindrados. Trabalhámos afincadamente, pensando numa vitória diante do ASA que, apesar de tudo, está melhor preparado do que a nossa equipa que, ainda assim, vai entrar determinada para no, mínimo, não perder”, disse o professor Artur Dinis da Fonseca.

Diante do ASA, o técnico Edy Cardoso vai privilegiar o sistema que utilizou no jogo contra o Bravos do Maquis, com quem perdeu por 0-3. Ou seja, 4x4x2, desdobrável para o 5x4x1, podendo a variante actuar diante das circunstâncias do jogo. O onze a destacar para anular o teórico favoritismo dos aviadores são: Boneco; Samuel, Oliveira, Luizão e Hélder; Coimbra, Rui Faial, Itumba e Gerson; Sylla e Chiklay.
JÚLIO GAIANO, no Lobito