Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Encontrei um bom ambiente de trabalho

Paulo Caculo - 15 de Setembro, 2016

O jogador esclareceu que ganhou o apelido "Azulo" ainda nos escales de formao, no Brasil,

Fotografia: Jos Soares

Tiago Azulão disse que um dos grandes factores que contribuiu para a sua rápida adaptação ao futebol angolano, foi o facto de encontrar um país que fala a língua que domina. O médio acredita piamente, que a facilidade que tem de comunicar-se com os colegas de equipa, é fundamental para o sucesso de qualquer jogador expatriado.

"Acho, que um dos aspectos que facilitou a minha rápida adaptação foi a língua, e a facilidade de comunicação, mas também não posso deixar de referir à forma como fui recebido aqui, pelos colegas, direcção do clube e pela equipa técnica. Encontrei um bom ambiente de trabalho e tudo isso, foi importante para mim", referiu.

O médio brasileiro considera ainda que a língua permitiu sentir-se muito mais a vontade para estar dentro do grupo e familiarizar-se.Acrescenta, no entanto, que fruto desse "à vontade" que sente hoje, acabou por ser também com naturalidade que começou  a sobressaiu a sua qualidade e os golos surgiram. O jogador esclareceu que ganhou o apelido "Azulão" ainda nos escalões de formação, no Brasil, dado pelos colegas de equipa, pelo facto de apresentar-se vestido todo de azul, incluindo as chuteiras.

CONQUISTA DO CAMPEONAATO
Brasileiro define objectivo


O médio ofensivo Tiago Azulão, reforço do Petro de Luanda na segunda volta do Girabola Zap, afirmou na sexta-feira no final da sessão de treino da equipa, no Catetão, estar surpreendido com o rápido sucesso alcançado na  primeira experiência no futebol angolano.O brasileiro não esperava ao cabo de dez jogos, marcar seis golos e transformar-se no actual melhor marcador dos tricolores. Considera ter superado à expectativa criada em si mesmo, porque nunca tinha conseguido num curto espaço de tempo adaptar-se a um campeonato diferente.

"Acho, que superei à expectativa que tinha criado em relação a mim mesmo, porque não era tão grande em relação ao que está a acontecer, sobretudo em relação aos golos, e acho que é a primeira vez que chego a seis golos em nove jogos. Estou feliz pelo contributo que estou a dar à equipa", disse o camisola 28 do Petro de Luanda.

Tiago Azulão disse ainda, ter encontrado um campeonato em que se corre muito com a bola, menos objectivo e que se privilegia muito as jogadas individuais ou os dribles. Confessa serem características de um futebol um pouco diferentes do praticado no seu meu país."Sou adepto de um jogo mais objectivo. Mas está a ser uma boa experiência, porque no Brasil o futebol é mais cadenciado. Penso que o campeonato é mais ou menos competitivo, onde tem duas equipas na frente a brigarem pela liderança. Cheguei na segunda volta, e penso que aos poucos estamos a conseguir uma melhor posição", acrescentou o médio.

Questionado se tinha objectivos imediatos a alcançar neste primeiro ano no Petro de Luanda, Tiago Azulão foi peremptório na resposta: "Cheguei aqui para tentar dar títulos ao Petro. Todo o jogador quer conquistar alguma coisa, e as chances de ser campeão são boas. A gente tem esperança, porque sabemos que é difícil, mas estamos focados".

O jogador espera, naturalmente, continuar a somar golos, uns atrás de outros, mas deixa claro que não está focado em ser o goleador do campeonato, porque o seu grande propósito é ajudar o Petro a ganhar jogos."Era bom ser o melhor marcador do campeonato, mas se conseguir ser o segundo melhor, seria também muito bom. O mais importante para mim é continuar a marcar golos, para ajudar a equipa a vencer os jogos", rematou Azulão.