Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Equilbrio no campeonato ajuda seleco

Daniel Melgas - 22 de Outubro, 2015

Prova interna tem contribuido para formao de uma seleco nacional competitiva

Fotografia: Santos Pedro

O equilíbrio que se verificou no último Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, Girabola, reflectiu-se no comportamento da Selecção Nacional no desafio da primeira mão, em Joanesburgo, diante da África do Sul, em que Angola venceu por 2-0,  algo que não acontecia há muitos anos. A constatação é do presidente da associação provincial da modalidade do (APFM), Frederico Lucas.

Frederico Lucas, entretanto, lamentou a despromoção do FC Bravos do Maquis, pois, como avançou, quebrou o prestigio do desenvolvimento que se assistia na província, mas ainda assim, mantém fé no regresso da  formação do Leste à ribalta em 2017.

O presidente da APFMX elogiou o nível competitivo do Girabola 2015, pois como avançou, o Campeonato Nacional da Primeira Divisão foi dos mais equilibrado que já assistiu, mormente o facto do campeão e as equipas despromovidas terem sido conhecidos no final da prova.

Analisando a recém-terminada competição, o dirigente da APF disse que o equilíbrio veio ao rubro, principalmente na segunda volta da competição. Explicou que as equipas tidas como “grandes” em o caso do Petro de Luanda, Kabuscorp do Palanca, Interclube, enfrentaram enormes dificuldades para fixarem-se nos lugares em que terminaram.


SEGUNDA MÃO
Frederico Lucas quer reedição do "onze"


O presidente da Associação Provincial de Futebol do Moxico (APFMX), Frederico Lucas, afirmou ontem, no Luena, que os Palancas Negras têm tudo para ultrapassar sábado, em Luanda, os Bafana Bafana, no jogo da segunda mão da última eliminatória qualificativa para o CHAN do Rwanda, em 2016, “desde que não se faça muitas alterações”.

O dirigente desportivo reconhece que o resultado não é de muito confortável, mas é um “grande caminho andado” rumo ao Rwanda, por isso aconselha que apresentem a mesma postura do jogo da primeira mão da eliminatória. “É preciso não mexermos na equipa, a não ser que aconteça lesões ou outras preocupações de última de hora, mas também respeito as opções o seleccionador nacional, porque ele faz tudo para o bem do futebol angolano e vai conseguir levar pela segunda vez os Palancas ao CHAN”, disse.

Sobre a forma como deve se apresentar a selecção, o dirigente associativo defende a manutenção da rapidez ofensiva, pós entende que mesmo com o facto de Angola entrar em vantagem nos últimos 90 minutos, os Palancas Negras terão de preocupar-se em marcar golos, sobretudo nos minutos inicias, para desencorajar os Bafana Bafana.   

Disse serem poucas as possibilidades dos sul-africanos virem ao país para vencerem, tal como fez Angola, apesar do relativo favoritismo que se atribuiu aos Bafana Bafana no jogo da primeira mão, uma vez que os Palancas Negras “estão embalados” e motivados e com maior ou menor dificuldade vão garantir a qualificação. “Alguém poderá dizer que é cedo, mas deve se dar crédito ao técnico”
DaNIEL  MELGAS, NO LUENA