Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Espectculo pobre e sem sal

Valdia Kambata - 10 de Setembro, 2016

guias falham oportunidade de conquistar mais trs pontos na caminhada pela melhoria da classificao

Fotografia: Jos Soares

O favoritismo atribuído ao Benfica de Luanda no duelo de ontem à noite, nos Coqueiros, não passou disso. A águia não conseguiu fazer jus a tal condição e repartiu pontos com o lanterna vermelha do campeonato, num jogo bastante pobre, não obstante os donos da casa, terem mandado, em largos momentos, na partida que abriu a 23ª jornada do Girabola Zap 2016. 

O jogo até que prometia, principalmente pela condição aflitiva do Porcelana FC, mas o que se viu, como se fez alusão mais acima, foi um jogo péssimo. As equipas não encontravam argumentos para dignificar o espectáculo. Embora as águias tivessem a maior posse de bola, pouco ou nada faziam para se adiantar no marcador.

A equipa do Cuanza Norte, por sua vez, deixava tudo nas mãos do adversário para depois sair em contra-ataque. Bem que tentou, porém Cabibi aparecia sempre sozinho e não conseguia dar  seguimento às jogadas.

Zeca Amaral vendo a sua equipa a actuar de forma desordenada, alterou a forma de jogar,  bem como o posicionamento dos jogadores. Miranda desceu para lateral direito, Borges foi para o lado esquerdo e Amaro subiu como médio ala esquerdo. 

A partir deste momento o Benfica passou  a ser mais ofensivo e o primeiro grande perigo surgiu mesmo do pé esquerdo de Amaro que facilmente passou pela defesa e cruzou tenso para cabeça de Kiloy que levou muito perigo à baliza do guarda-redes Defesa.

No reatamento a equipa encarnada entrou mais determinada, com a clara intenção  de resolver  o jogo nos primeiros minutos. E por conta deste desejo, o Benfica praticamente ocupou o meio campo do Porcelana que procurava defender na tentativa de preservar o empate, o que aconteceu.

O árbitro José  Álvaro realizou um bom trabalho. Foi muito bem acompanhado pelo assistentes Wilson Ntyamba e Estanislau Guedes. Quanto a cartolina amarela aplicada ao lateral Borges, do Benfica de Luanda, e que gerou alguma polémica, o juiz esteve bem, pois o atleta dos encarnados dirigiu palavras menos correctas ao árbitro.