Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Esperana at ao fim

Armando Sapalo, no Dundo - 18 de Maio, 2016

Lundas precisam hoje do apoio dos angolanos para anular e a vantagem dos tanzanianos e garantir o passe fase de grupos da taa Nelson Mandela

Fotografia: Jos Soares

A equipa do Sagrada Esperança tem todas as condições para anular hoje à tarde, no Dundo, a desvantagem (2-0) na última eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação. Os diamantíferos defrontam às 15h30, o Young Africans da Tanzânia, em jogo referente à segunda mão.

3 da Tanzânia, que apesar de prognosticar muitas dificuldades, acredita que a qualidade, motivação, concentração e vontade de vencer levam a formação diamantífera a dar tudo durante os 90 minutos para anular a desvantagem na eliminatória, e garantir presença na fase de grupos. 

“O Sagrada Esperança vai dar durante os 90 minutos do jogo de amanhã (hoje) tudo dentro de campo, para virar o resultado e passar a eliminatória. Os jogadores estão conscientes das dificuldades a encontrar, mas eu transmiti-lhes que acredito na qualidade, motivação, concentração e vontade de vencer do grupo de trabalho”, afirmou.

Acrescentou que a jogar em casa com o apoio dos adeptos e dos angolanos no geral,  o Sagrada Esperança tem condições para anular a vantagem do adversário e continuar em prova. 

“Vamos jogar em casa, diante dos adeptos da equipa, aliado ao apoio que recebemos de Angola inteira, por isso, acredito que temos todas as condições para darmos  a volta à desvantagem e passarmos a eliminatória, porque a Nação quer voltar a ver o futebol a regressar nos principais palcos do continente africano”, disse.

Zoran Maki sublinhou que a experiência e os pormenores são muito importantes em jogos de competições, como a Taça da Confederação. Por isso, destacou que a concentração dos jogadores na abordagem do jogo e o apoio dos adeptos, vão ser determinantes para que o conjunto angolano contrarie a superioridade da equipa tanzaniana”, referiu.

“Nesses jogos, a experiência e os pormenores são muito importantes e neste sentido o nosso adversário está com alguma vantagem, mas o nível de concentração dos atletas na abordagem do desafio e o apoio dos adeptos, vão ser determinantes”, disse.

Com base na leitura e lições do primeiro confronto, o treinador garantiu que o Sagrada Esperança não vai repetir o que não fez de melhor no desafio anterior.“Depois da leitura e lição que tivemos do primeiro jogo, não vamos repetir aquilo que não fizemos bem em Dar es Salaam”, realçou Zoran Maki, antes de informar que o experiente defesa central Hernâni, que se encontra em Lisboa, em tratamento, devido a uma lesão, é das ausências de vulto no jogo de hoje.

GUARDA-REDES ESTÁ DOENTE
Yuri em risco de falhar o jogo

 O guarda-redes Yuri, umas das unidades em destaque até o Sagrada Esperança atingir a última eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação, está em risco de falhar o jogo de hoje no Dundo, diante do Young Africans, referente à segunda mão. O atleta está desde ontem com fortes dores de dentes, segundo o técnico Zoran Maki.

Com intervenções que permitiram evitar uma derrota mais pesada em Dar-es-Salam, no jogo da primeira mão, Yuri é o jogador mais utilizado até ao momento no Sagrada Esperança na presente época. O jogador totaliza 1.440 minutos de jogo nas duas competições - Girabola e Taça da Confederação.

O treinador Zoran Maki destacou a importância do atleta no fortalecimento da equipa, disse aguardar pela recuperação do titular da baliza do Sagrada Esperança, para ajudar o grupo a passar a eliminatória.“ Para além de Hernâni, temos também problema com o Yuri que está com dores de dentes. Temos esperança na sua recuperação antes do jogo, porque é um jogador que oferece confiança ao grupo e esperamos que esteja à altura de ajudar a equipa a passar a eliminatória”, referiu.

A equipa técnica dos lundas, tal como fez com a baliza e o sector defensivo, em que se espera por maior consistência para que a equipa não sofra golos, teve atenção especial com a linha avançada. Maki justificou que o Sagrada Esperança precisa de violar por três vezes ou mais a baliza do Young Africans e não sofrer qualquer golo, pois só assim pode sonhar com a fase de grupos da Taça da Confederação.

“Estamos preocupados com esta notícia de última hora, com o guarda-redes Yuri. Salientamos que os jogadores do sector defensivo devem funcionar em pleno, porque não podemos sofrer golos, mas também tivemos uma atenção específica virada para o ataque, uma vez que precisamos de marcar três ou mais golos”, recordou o técnico que elogiou  o nível de entrega e determinação dos jogadores para a empreitada desta tarde.

Caso os jogadores cumpram com a estratégia da equipa técnica, segundo Zoran Maki, o Sagrada Esperança  com maior ou menor dificuldades consegue anular a desvantagem de dois golos e carimbar o passe para a almejada fase de grupos.“ Se os meus jogadores cumprirem com o planificado, vamos recuperar a desvantagem e apurarmo-nos  para a fase de grupos, o que era bom, tanto para o clube, como para o País”, salientou.  AS

CONFIANÇA
Zoran Maki
afasta pressão


O treinador do Sagrada Esperança, Zoran Maki, não está preocupado com a pressão em torno do grupo às suas ordens, que hoje à tarde, no Dundo, defronta o Young Africans, com o objectivo de anular a desvantagem de 2-0 e garantir o passe para a fase de grupos da Taça da Confederação.

“Desde a altura que decidimos competir nas eliminatórias de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação, que a pressão é um dado adquirido no Sagrada Esperança perante qualquer resultado, porque todos sabem que estamos a representar as cores do País. Por isso, não estou muito preocupado com a pressão e já transmiti esta mensagem aos meus atletas”, disse.

O Young Africans, segundo Zoran Maki, é uma equipa muito mais experiente, pois a equipa tanzaniana é presença assídua nas eliminatórias da Liga dos Clubes Campeões, competição em que foram afastados antes de serem relegados para a Taça da Confederação.

Zoran Maki disse que não obstante a derrota no jogo da primeira mão ter sido o resultado menos esperado pelos angolanos, o  desafio disputado há duas semanas em Dar es Salaam permitiu aprofundar o conhecimento da filosofia de jogo do Young Africans.

“Conhecemos melhor o Young Africans, apesar de reconhecermos que o resultado da primeira mão foi o menos esperados por todos os angolanos, mas o jogo em si permitiu-nos aprofundar quanto sabíamos sobre o adversário, o que nos motiva a montar novas estratégias”, referiu.                                      
AS