Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Estabilidade financeira est garantida no ASA

Augusto Panzo - 01 de Abril, 2016

Ministrio dos Transportes arrola empresas do sector para dar dignidade ao clube aviador que atravessa uma grande crise financeira

Fotografia: Dombele Bernardo

O Atlético Sport Aviação (ASA), cuja equipa principal compete no Girabola Zap 2016, vai ter a situação financeira assegurada, depois de um encontro realizado na última quarta-feira, 30, entre o ministro dos Transportes (Augusto da Silva Tomás) e as direcções do clube aviador e das empresas a serem arroladas para futuras patrocinadoras, soube ontem o Jornal dos Desportos do director-geral do grémio aviador, José Morais Bumba.

O dirigente aviador, disse estar esperançado num futuro risonho para o clube, depois do aludido encontro de concertação.

"Quarta-feira (anteontem) fomos recebidos por Sua Excelência o senhor ministro dos Transportes (Augusto da Silva Tomás), e na presença das direcções das empresas arroladas, para substituir a Taag na liderança dos patrocínios para o ASA, abordámos a questão. Recebemos garantias do senhor ministro de que a questão financeira do nosso clube está assegurada para melhor", disse.

Indagado a respeito dos nomes de tais empresas arroladas, José Morais Bumba preferiu não entrar em pormenores, mas deixou transparecer que se trata daquelas ligadas ao ramo dos transportes no país, e que têm uma situação financeira estável. 

"Não consigo precisar exactamente quais são, mas em princípio se trata daquelas empresas ligadas ao ramo dos transportes no país, que financeiramente respiram boa saúde. Estou em crer que sejam as capitanias dos Portos de Cabinda, Luanda, Benguela e Namibe", presumiu.

A estas empresas citadas com prováveis patrocinadoras, o director-geral do ASA não descartou a hipótese de juntar também as dos Caminhos-de-Ferro do país, que agora estão a reaparecer com alguma energia.

"Aqui também posso arriscar a citar os nomes das empresas dos Caminhos-de-Ferro de Luanda, Benguela e Moçamedes, a julgar pela sua integração no sistema dos transportes do nosso país. É preciso saber que o ASA deixou de ser propriedade exclusiva da Taag, e passou para um clube das empresas de transportes do país", esclareceu.

Sobre os valores a serem disponibilizados pelos potenciais patrocinadores, o director-geral do ASA disse em princípio não ultrapassar aquilo que a Taag dava, que se cifra em 19 milhões de kwanzas/mês.

"Bem, falar directamente dos valores que essas empresas vão alocar para o ASA fica muito difícil. Mas acredito que estejam na ordem dos 19 milhões de kwanzas, que é aquilo que a Taag dava mensalmente. Mas se houver um valor maior que este, então será bem-vindo", disse.


SUBSÍDIOS
Taag mantém apoio aos aviadores


O director-geral do Atlético Sport Aviação (ASA), José Morais Bumba, assegurou ontem ao Jornal dos Desportos que, apesar da Taag, antiga principal patrocinadora do clube do aeroporto ter retirado o apoio financeiro, continua a subsidiar outras vertentes sociais do clube.

Morais Bumba garantiu que a situação da transportação das equipas do clube, assim como do abastecimento de combustível para os transportes do clube continuam a ser garantidas pela companhia nacional de bandeira.

"Precisamos esclarecer aqui que, apesar de todo o mundo saber que a Taag retirou os apoios ao ASA, trata-se apenas da componente financeira que foi cortada. A transportação das delegações desportivas do ASA, bem como o subsídio dos combustíveis para os transportes do clube, continuam da alçada da Taag", afirmou.

Na senda de alguns esclarecimentos achados pertinentes a fazer para o público no geral, o director-geral do ASA disse também que o seu clube deixou de ser propriedade exclusiva da Taag, como era antigamente, passando agora à tutela de todas as empresas de transportes de Angola.

"O ASA é hoje um clube pertencente às empresas ligadas ao ramo de transportes do país. Deixou de ser uma propriedade exclusiva da Taag, como era antes. Isso faz com que outras empresas desse ramos sejam arroladas, para substituir a Taag no capítulo de atribuição dos patrocínios", elucidou. 

Outrossim, José Morais Bumba agradeceu o empenho do ministro dos Transportes na resolução de uma das principais questões que tem provocado muita dor de cabeça aos dirigentes do ASA.

"Quero aproveitar a oportunidade para agradecer Sua Excelência o senhor ministro dos Transportes (Augusto da Silva Tomás), pelo seu empenho e dedicação sobre a nossa preocupação, que agora começa a apontar para uma solução plausível. Os meus agradecimentos vão igualmente para as direcções das empresas arroladas para o efeito", acrescentou.
AP