Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

"Estamos aptos para o título"

Jorge Neto - 21 de Outubro, 2016

Carlos Hendrick presidente de direcção do 1º de Agosto crente na consagração da sua equipa como campeã nacional

Fotografia: Jornal dos Desportos

O presidente de direcção do 1º de Agosto, Carlos Hendrick, afirmou, ontem, em entrevista ao Jornal dos Desportos, que o conjunto militar está preparado para conquistar este ano o título do Girabola Zap, nestas três últimas jornadas que restam para o final do campeonato nacional.

Na antevisão que fez sobre a ponta final desta competição o número "um" do emblema rubro e negro destacou a importância dos últimos três jogos, apresentando-os como tendo um carácter decisivo.

"Faltam três jornadas e elas de facto são muito importantes para o 1º de Agosto. Esperamos que resolvamos o problema e não perder nenhum dos jogos que faltam para a equipa alcançar o seu objectivo. Nós pensamos que a próxima jornada, diante do Interclube, poderá ser decisiva tanto para um como para o outro, Petro e 1º de Agosto. Cada jogo é um jogo, mas nós estamos preparados para vencer o campeonato", afirmou.

Carlos Hendrick considerou que este ano a equipa apresenta uma motivação diferente em relação ao ano passado, criando uma sintonia a larga escala no universo agostino, confiando no potencial da formação orientada pelo técnico bósnio Dragan Jovic.

"Neste momento a equipa está motivada, estamos preparados para chegar até ao fim e ganhar ao Petro. Essa motivação vê-se desde a direcção do clube, os jogadores até aos nossos adeptos e simpatizantes. Temos uma equipa capaz e acreditamos que vamos conquistar o Girabola",  analisou.

A concorrência que se faz sentir da parte do arqui-rival, Petro de Luanda, é vista como natural pelo presidente agostino, considerou que a luta pelo título ficou reduzida à dois, após a derrota do Recreativo do Libolo diante do Progresso do Sambizanga.

"Vemos uma concorrência normal, o Petro tem vários jogos difíceis pela frente, com o Progresso e o Benfica de Luanda, penso que o Libolo, não adivinho, mas está afastado da corrida pelo título. Penso que nesta altura existe apenas dois concorrentes, o 1º de Agosto e o Petro e estamos mais a espera do último jogo, mas penso que os próximos dois desafios também poderão ser decisivos", apontou deslize dos libolenses como fatal.

Sem fazer futurologia Carlos Hendrick admite que tudo pode acontecer, mas que está confiante no desempenho do grupo que lidera no sentido de levantarem o troféu no final deste campeonato.

"Penso que não contámos que vamos escorregar, mas não sou adivinho, tudo pode acontecer, nós estamos preparados para conquistar o campeonato. Temos uma boa equipa, falha muitos golos, é pouco eficaz, mas faz golos e o importante é não sofrer golos e marcar", disse, apontando a superação que a equipa tem mostrado.


Militares sem receio de qualquer equipa na ponta final

Carlos Hendrik confia plenamente na grande capacidade do conjunto orientado por Dragan Jovic assegurando que não têm receio de defrontar qualquer equipa em torneios ou jogos oficiais, pelo que, vê com naturalidade uma possível finalíssima a ser disputada contra o Petro de Luanda na última jornada do campeonato.

O presidente de direcção do 1º de Agosto antevê um clássico difícil entre os dois maiores clubes do Girabola Zap na última jornada, mantendo sempre a convicção de que têm fortes possibilidades de ganhar.

"Nós não temos receio de jogar contra qualquer equipa nem, que seja em torneios ou jogos do Girabola, sabemos que temos uma boa equipa, veloz, pode resolver os jogos nos primeiros minutos. Vamos ver o que vai suceder, jogar contra o Petro é um dérbi, já vi o 1º de Agosto a perder por três ou quatro noutros tempos, e nós temos essa oportunidade também e o resultado é imprevisível", disse.

O numero "um" da direcção militar garantiu que estão focados apenas em si próprios, sem qualquer distracções de modos a cumprirem com a meta traçada no inicio do campeonato.

"Estamos preocupados connosco, em ir para o campo, jogar e ganhar os jogos. Queremos ganhar dentro do campo e estamos concentrados nisso. Temos hipóteses de ganhar e estamos determinados", assegurou determinado.

O presidente agostino evitou a "guerra de palavras" com o seu homologo do Petro de Luanda, minimizou dizendo que faz parte do jogo e que é uma forma de pressionar os lideres do campeonato nacional.

"Cada um age em função da sua personalidade. Acho que não há provocações, o presidente do Petro acha que é assim que deve pressionar o 1º de Agosto, penso que é normal, isto faz parte do jogo", concluiu o dirigente recentemente reeleito no cargo para os próximos quatro anos e que espera dar à equipa de futebol o primeiro título no novo consulado.     
 JN