Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Estrangeiros na galeria dos melhores artilheiros

SRGIO V. DIAS - 09 de Dezembro, 2019

Internacionais Tiago Azulo e Meyong deixaram vincada a sua marca goleadora no Girabola Zap

Fotografia: Kindala Manuel| Edies Novembro

Numa galeria em que o ex-internacional angolano Carlos Alves ostenta o melhor registo na artilharia, com os 29 golos apontados na edição do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão de 1980, os avançados camaronês e brasileiro Meyong e Tiago Azulão notabilizaram-se como dois dos estrangeiros que deixaram também a sua marca na prova ao longo deste 40 anos que a prova assinala. O compatriota de Samuel Eto’o foi o artilheiro das edições de 2013 e 2014, com 20 e 17 golos, ao passo que o de Edson Arantes do Nascimento “Pelé” brilhou nas épocas de 2017 e 2018, com 16 e 21.
Além de Meyong e Azulão, que actuaram pelo Kabuscorp do Palanca e Petro de Luanda, ao longo dessas sucessivas 41 edições já disputadas da prova que nos últimos anos ganhou o cognome de Girabola Zap salta à vista o facto Daniel Mpele Mpele ser outro estrangeiro a ater em conta. O ex-jogador do emblema do Palanca, foi o golaedaor da época de 2010, com 14 golos apontados.
Por outro lado, se Carlos Alves, que envergou a camisola do 1º de Agosto, continua a ser o melhor goleador de todos os tempos com os já referenciados 29 golos marcados na época de 1980, Jesus e Love Kambungula, têm assinalado o facto de ser os únicos que por três ocasiões, subiram no pódio da artilharia. O antigo craque do Petro de Luanda, foi goleador sucessivamente das épocas de 1982, 1984 e de 1985.
Já o antigo jogador do Atlético Sport Aviação (ASA), que também chegou a representar as cores do Petro de Luanda, foi o goleador das épocas do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão em 2004, 2005 e 2011, respectivamente.
É de salientar ainda que na lista de 28 artilheiros que o Girabola Zap já registou ao longo destas épocas que se disputa a prova, Maluka (1º de Maio de Benguela) em 1981 e 1982; Amaral Aleixo (Sagrada Esperança e Petro de Luanda) em 1991 e 1992; Serginho (Eka do Dondo) em 1993 e 1995; Flávio Amado (Petro de Lunada) em 2001 e 2002); Manucho Gonçalves (igualmente do emblema do Catetão) em 2006 e 2007 e Yano (Progresso do Sambizanga) em 2012 e 2015 são ao lado dos já referenciados Meyong e Tiago Azulão outros dos goleadores que bisaram na prova.
Depois um extensa lista de jogadores que apenas em uma época mostraram a sua veia goleadora. Estão nesta condição além de Carlos Alves, Túbia e André (Interclube), Mavó (Ferroviário da Huíla), Manuel, Isaac e Gelson Dala (1º de Agosto), André (Grupo Desportivo da Cuca), Mona, Betinho, Santana e David (Petro de Luanda), Kabongó (ex-Sonangol do Namibe), César Caná (Académica do Lobito), Zé Neli (Petro do Huambo) e Blanchard (Benfica de Luanda), respectivamente.
Técnico Português foi campeão pelo ASA e pelo Petro