Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Estudantes disciplinam Polcias

Jlio Gaiano - 02 de Abril, 2018

Ou seja, mostrou competncia e autoridade no jogo, pelo que mereceu da nossa parte distino positiva.

Fotografia: Contreiras Pipa | EDIES NOVEMBRO

Académica do Lobito teve um regresso feliz no seu estádio, dois jogos depois de actuar fora do seu domicílio, na condição de anfitriã.
No desafio disputado frente ao Interclube de Angola, referente à 8ª jornada do GirabolaZap2018, em que venceu, por 2 a 1, mostrou competência e provou o seu estado de ascendência competitiva, o que espelha bem a aposta da direcção num técnico que até à dada altura era desconhecido, pelo menos na condição de líder.
Os Polícias renderam-se à supremacia e à inteligência dos estudantes que foram donos de um futebol de encher os olhos.
Diante de um adversário menos ofensivos e excessivamente perdulário, os comandados do professor Rui Garcia marcaram dois golos e sofreram um, contra a corrente do jogo, isto é numa altura em que tinham tudo sob o domínio total.
O público vibrou com o triunfo da formação lobitanga que, diga de passagem, está uma senhora equipa. Marcou dois golos como poderia ter marcado mais, não fosse a falta de discernimento, associada a \"infantilismo\" denotado, em última instância, pelos seus atacantes.
Lelas revelou-se pesado e facilmente deixou-se bater pelos defesas contrários. Vander, outro trapalhão na zona do rigor, poupou o adversário de uma derrota histórica.Ainda assim, valeu pela entrega e espírito de luta que redundou numa festa à brava, com os jogadores e técnicos a deixarem o estádio sob ovação da assistência que apareceu em número considerável.O triunfo da Académica do Lobito começou a ser construído aos 26 minutos por intermédio de Filipe, que aproveitou o deslize dos defesas do Interclube. Pesados e brutos deixaram-se facilmente ultrapassar pela agilidade do jovem médio trinco da formação lobitanga.
Jorge Kadú, no minuto 75, confirmou de penálti a festa da vitória diante de um adversário que mais se valeu pela qualidade técnica individual dos seus jogadores. Do ponto de vista táctica colectiva apresentou fragilidade e incompetência nesse jogo.
Por isso e diante daquilo que foi a sua prestação em campo, perdeu (1-2) por merecer. A actuação da equipa de arbitragem liderada por Bernardo Moreira pautou-se pela positiva. Entrou trémulo, mas com o decorrer do jogo concentrou-se e tomou conta das operações, disciplinando inclusive os prevaricadores. Ou seja, mostrou competência e autoridade no jogo, pelo que mereceu da nossa parte distinção positiva.