Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Estudantes atropelam tricolores

Avelino Umba - 19 de Abril, 2015

E nem mesmo com experiente Lam em campo, cumprido que foi na semana passada um jogo de suspenso por castigo federativo

Fotografia: Jornal Desportos

Quando ao 5 minutos, os jogadores da Académica do Lobito apostaram em fazer  um jogo sem pensar no favoritismo do Petro de Luanda, com Marinho a enviar uma "bomba" de livre directo que rompeu a barreira tricolor, ficou-se com a sensação que os estudantes queriam disputar de igual para igual o duelo com o adversário.

Quem assim pensou esteve certo. Ou seja, o Petro, que até entrou bem no desafio, foi reduzido a menoridade pela Académica. Aliás, a derrota por 3-1, no estádio 11 de Novembro, explica isso. E nem mesmo com experiente Lamá em campo, cumprido que foi na semana passada um jogo de suspensão por castigo federativo, os tricolores foram capazes de evitar o "furacão Lobito".

Ainda assim, foram os tricolores quem tiveram as primeira grande oportunidade chegar ao golo. Aos 23´, Job assistido por Mabululu, com o guarda-redes Fany fora da baliza, este ainda conseguiu voltar e socar a bola para cima da baliza. Os lobitangas continuavam acreditar que podiam ir ao intervalo com resultado a seu favor. E assim foi. Aos 36´, na transformação de um livre directo, a partir da meia lua, Efemberg levou a menina ao lado direito superior da baliza de Lamá. Que golo!

Os tricolores, mal refeitos do golo sofrido, três minutos depois viram as redes da baliza de Lamá mexer novamente. Após uma jogada colectiva, Nelito "ofereceu" um chapéu requintado ao guardião Lamá. Os estudantes lobitangas, aproveitando o desnorte dos tricolores, poderiam ter chegado aos 3-0, aos 40´, mas o forte remate de Efemberg teve a resposta devida do guarda-redes tricolor. Duarte e Mabululu, ambos em posição irregular na grande área adversária, não aproveitaram a ajuda do árbitro para reduzirem a desvantagem no fim da primeira parte.

A excelente atitude demonstrada pelos tricolores na segunda parte apenas serviu para marcarem um golo, porém, insuficiente para alterar o marcador, pois, aos 52´, quando se esperava por uma reviravolta da equipa da casa, foram os visitantes quem aumentaram o marcador. Jack, após passe de Nelito que deixou Vado pelo meio, fez o terceiro golo dos estudantes.

Com o resultado a seu desfavor, o Petro lançou-se ao ataque mas, como dissemos, apenas conseguiu um golo, aos 86´, por Mira. A equipa de arbitragem chefiada por Abel Bamba realizou um bom trabalho. Foi bem acompanhado pelos assistentes Rosário Cassinda e Elias Caley.

OPINIÃO DOS TÉCNICOS
Alexandre Grasseli

(Petro )

"Saímos tristes"
“Dizer que o nosso projecto foi mostrado hoje (ontem), principalmente no corpo e na alma daqueles que entram e fizeram aquilo que devia ser durante o jogo. Saímos evidentemente tristes, mas com pensamento muito claro do plano que temos, da responsabilidade que é levar este projecto para frente, é esse o nosso compromisso e levantar a cabeça. Os jogadores aceitarem as críticas"

Ekrem Esma
(Académica)

“Estamos a jogar com muita força”


“Não  estivemos bem na primeira parte, tivemos algumas falhas  que resultou nos dois golos. Já na segunda parte  fizemos melhor e se o resultado fosse o empate estaria muito bem. Vamos continuar a trabalhar para que no próximo jogo possamos fazer melhor”.