Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Estudantes do Lobito reprovam no Buraco

11 de Maio, 2015

No desafio de ontem o Progresso da Lunda Sul esteve melhor na segunda metade

Fotografia: Santos Pedro

A Académica Petróleos do Lobito continua a revelar simpatia para com as equipas recém promovidas ao Girabola.  De forma reiterada não consegue vencer os seus ex- “companheiros” da Segundona.

Isto ficou patente no jogo realizado ontem no Estádio do Buraco em que perdeu para o Progresso da Lunda Sul, por 1-2, um resultado que acabou com o mito de que  no Estádio do Buraco ninguém passa.

 É como dizer que os "estudantes" lobitangas viram as suas lições bem estudadas pelos seus  adversários  com os quais competiram na final da segunda divisão.

Quer o Domant FC do Bengo quer o Progresso da Lunda Sul revelaram-se superiores que a Académica do Lobito que acabou derrotada no confronto directo contra essas duas formações, mais uma vez pelo mesmo  resultado, 1-2, o que desde já se confirma o mal-estar no seio da colectividade lobitanga. No desafio de ontem o Progresso da Lunda Sul esteve melhor na segunda metade da contenda. Jogou à bola e, inclusive, deu-se ao luxo de desperdiçar uma grande penalidade.

No minuto 66, o zambiano Tshiletshi atirou para cima da baliza aquele que seria o golo da viragem, porém, o dia foi mesmo para os lundas que, apesar de tudo não abanaram, pelo contrário, espevitaram-se ainda mais até que no minuto 89, o congolês democrático Hervé Ndonga, desfez o empate que durava desde o minuto 14, altura em que os lobitangas festejavam o golo de Diogo.

O Progresso da Lunda Sul foi o primeiro a marcar por intermédio de Tshiletshi, no minuto 11. Um golo que acabou por aterrorizar a estrutura técnica e táctica da Académica que esperava por outra reacção dos visitantes. O público viu todo aquele abalo e acabou por render-se à supremacia do adversário que teve em Tchibuabua, Hervé Ndonga, e em Tshiletshi como grandes quebra-cabeças.  A arbitragem liderada por Armando Silva teve alguns altos e baixos, porém não influenciou no resultado, apesar de se revelar inseguro no “julgamento” de alguns lances susceptíveis de falta. No minuto 34, fez vista grossa a uma falta na grande área da formação lunda. Ainda assim, merece a nota regular, pelo trabalho que desempenhou ao longo dos 90 minutos regulamentares.