Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Estudantes em dificuldades abrem as "oficinas" hoje

Jlio Gaiano | Lobito - 01 de Outubro, 2018

FAF exige que o clube primeiro se pague o que os clubes devem aos atletas, tcnicos e demais funcionrios

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

O presidente da Académica do Lobito, Luís Gonçalo Borges, disse ao Jornal dos Desportos que, apesar da crise financeira que assola o clube, a preparação da equipa arranca hoje, a partir das 9h00, no estádio do Buraco, tendo em atenção a época que arranca no dia 27 deste mês.
Sem dinheiro para inscrever jogadores, e agravada com a elevada soma de dívidas contraída para com os atletas, técnicos e funcionários administrativos, a direcção do clube espera que, das entidades competentes do município, em particular, e da província, no geral, surjam respostas favoráveis para os sustento do clube, que necessita, no mínimo, de 250 milhões de kwanzas para sobreviver.
O dirigente disse que a Académica do Lobito acumulou, ao longo da época passada, cerca de 300 milhões de kwanzas em dívidas resultantes das despesas inerentes a prova e, caso não as liquide, poderá ver impedida a inscrever novos jogadores, para disputar o GirabolaZap2018/19.
\"A FAF exige que primeiro se pague o que os clubes devem aos atletas, técnicos e demais funcionários. Só depois disso é que se pode proceder com as novas inscrições. Infelizmente, a Académica está nestas condições \", sublinhou.
\"Mesmo assim, decidimos arrancar com os trabalhos de campo, a partir de segunda-feira, na expectativa de que os dinheiros prometidos pelas pessoas idóneas do município surjam, para assegurar a nossa participação no GirabolaZap2018/19. Caso a situação se mantiver inalterável, anunciaremos a nossa desistência. Vai ser duro para muitos, porém, terá de ser assim\", acrescentou.
A Académica do Lobito é oficialmente patrocinada pela Esso Exploration-Angola/Sonangol, EP. De acordo com informações colhidas de fontes próximas da colectividade lobitanga, nos últimos anos, a referida empresa tem vindo a reduzir os montantes destinados, para o sustento das actividades desportivas ao clube. Isto é, de 1,3 milhões de dólares, que alocava, passou para metade, ou seja, 500 mil dólares, convertidos em kwanzas ao câmbio oficial (do BNA).
\"Foi com esta quantia que suportamos, que asseguramos a manutenção da equipa no GirabolaZap 2017. Como podem reparar, não foi fácil, mas aguentámos. Este ano, não recebemos valor algum, apesar das garantias com as quais nos alimentamos. Nem por isso, deixamos de acreditar nas pessoas. São idóneas e sabem da responsabilidade que os assiste\", revelou Luís Borges, para quem, a mudança de liderança na direcção da Sonangol, EP, terá contribuído pelo atraso na alocação das verbas ao seu clube, podendo, por isso, fazê-lo a qualquer momento.

Júnior Paulino
assume comando


A direcção da Académica do Lobito confiou, ao professor Francisco Júnior Paulino, a liderança da equipa sénior, com o propósito de repetir a proeza conseguida na época transacta ou, na pior das hipóteses, manter a equipa na primeira divisão. 
Para a referida empreitada, Júnior Paulino vai contar com a colaboração de Carlos Sambaka "Pickot" e Ernesto Kotelele. Uma tripla que já trabalhou com Rui Garcia na época passada, pelo que está à altura de construir, em tempo recorde, um plantel capaz de proporcionar a alegria aos associados, adeptos e dirigentes do clube.
Devido às dificuldades financeiras, o clube dissolveu todo o plantel que competiu na época. Aos técnicos foram-lhes dadas a liberdade de escolher entre ficar ou partir para outro clube, e foi nesta perspectiva que o professor Rui Garcia decidiu sair e partir.
No desafio de estreia, a Académica do Lobito mede forças com o Sporting de Cabinda, um adversário que enfrenta semelhantes problema e, de igual forma, ameaça não participar da competição, caso o governo provincial de Cabinda não atenda ao pedido de apoios a si endereçado.

Lubitangas apostam
em plantel alternativo


A direcção da Académica do Lobito, em concertação com os membros da equipa técnica, decidiu apostar na prata da casa e nalguns jogadores menos cotados no mercado interno."Julgamos ser uma decisão arriscada, mas é a mais acertada em função da incapacidade de resposta que atravessámos. O clube está despido financeiramente e, por isso, decidimos atacar o GirabolaZap com os jogadores que temos", disse o presidente do clube.
" Vamos ver até onde pode chegar as nossas forças. É difícil, infelizmente, o contexto levou-nos a esta (arriscada) posição", referiu o presidente da Académica do Lobito.
Sem precisar nomes dos possíveis jogadores contactados para formar o plantel para o GirabolaZap2018/19, o Jornal dos Desportos sabe que uma lista de 30 jogadores foi elaborada pelo técnico Júnior Paulino para a devida apreciação da direcção.
Consta da referida lista, jogadores que tinham e que agora regressam à procedência. São os casos de Cebola, Yasser Kundumula, Mendinho entre outros.