Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Estudantes motivados para caa dos lees

09 de Junho, 2018

Mesmo sem a pujana de outrora, o Libolo ainda ficou com sobras suficientes para conseguir silenciar os proletrios, como sucedeu na primeira volta.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O castigo federativo imposto ao 1º de Maio, jogar à porta fechada, vai fazer com que, amanhã, os adeptos proletários sintam ciúmes do vizinho Académica do Lobito quando receberem, a partir das 15h30\', o Recreativo do Libolo, no estádio de Ombaka.
Os lobitangas estão isentos de qualquer castigo e, de certeza, terão o Buraco lotado de adeptos na caça aos leões, cognome do Sporting de Cabinda, adversário deste domingo.
As duas equipas benguelenses estão com desempenhos distintos no campeonato. Os estudantes são a surpresa, porque pegaram de estaca no pelotão da frente. A quinta posição atesta a boa média estudantil, motivo porque, amanhã, o leão pode sofrer um golpe mortal.
Académica está a demonstrar que tem olhos singelos, já que não tem permitido nenhuma adversidade para atrasar-lhe o passo na corrida. As contas de alguns são feitas no fim, mas parece não ser esse o caso dos lobitangas. Esta época têm alcançado bons resultados, por isso a perspectiva agora mudou. Se antes o alvo era garantir a manutenção, agora dá para começar a pensar num prémio melhor.
O Buraco costuma dar muitos pontos aos estudantes e a boa fase que atravessam está a alimentar a esperança dos adeptos. A massa associativa tem todos os motivos para estar sorridente com o desempenho aceitável, pois, a coisa está tão boa que ninguém precisa fazer apelos para ter as bancadas cheias.
A prestação leonina no campeonato é aceitável, porém, em época de bonança todo o ponto que vem é lucro. Fica claro que o Sporting de Cabinda tem motivação suficiente para regressar a sorrir ao enclave, mesmo que seja com o pontito amealhado.
Sem público mas com pontos em disputa, 1º de Maio de Benguela e Recreativo do Libolo vão tentar manter-se focados no mais importante. A ausência de público é sempre uma desilusão para os atletas, mas isso faz parte dos ossos do ofício, já que os 22 artistas têm de ter poder de superação, para suar com êxito à camisola que defendem.
Noutros tempos, ninguém teria dúvidas de que lado estaria o favorito, a realidade hoje é diferente, pelo que os dois contendores vão ter de fazer pela vida para sorrir no final do jogo. A intermitência é a imagem real de proletários e libolenses no presente Girabola ZAP. Ainda assim, um deles pode mostrar eficiência no Ombaka, para ficar com a totalidade dos pontos.
As duas equipas estão com dificuldades de acertar o passo. Os proletários às vezes se dão bem com os ventos caseiros, a bem da verdade têm a responsabilidade de dar o exemplo como bons anfitriões. Se aceitar correr o risco de pegar no jogo, seguramente vai aumentar as chances do êxito final.
Os libolenses têm trocado muito o bom com o mau, mas a deslocação a Benguela nem por isso é de alto risco. Mesmo sem a pujança de outrora, o Libolo ainda ficou com sobras suficientes para conseguir silenciar os proletários, como sucedeu na primeira volta.