Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Estudantes superam registo

Paulo Caculo - 21 de Outubro, 2019

Fotografia: Edies Novembro

A equipa da Académica do Lobito, décimo segundo classificado da edição passada do Girabola Zap, protagoniza esta época um arranque de campeonato, a todos os níveis, histórico. Os “estudantes” confirmam este ano a máxima de que ter a “lição” muito bem estudada ajuda a passar nos “testes”.

Considerado um “out-sider” da prova e acostumado a brindar os seus adeptos com objectivos modestos, o conjunto lobitanga realiza um percurso de campeonato, em que os êxitos alcançados jornada a jornada deixam transparecer a ideia clara de que estão decididos em criar enorme surpresa.Há quatro anos que não se via um começo de época da Académica do Lobito tão prometedor, espelhando uma formação aguerrida e cheia de vigor, a somar pontos como consequência natural da força colectiva do grupo e da acção demolidora do seu ataque.

E como os números não mentem e ajudam a dissipar dúvidas, o registo hoje patenteado pela equipa do Lobito no campeonato supera, em absoluto, os números produzidos há sensivelmente quatro épocas, com a particularidade dos pupilos de Zé Águas estarem a revelar permanente crescimento de qualidade.

Só para se ter uma ideia do quão “gigante” tem sido esta equipa, na edição passada, a esta altura, ao cabo de oito jornadas disputadas, ocupava os lugares da cauda da tabela de classificação, precisamente no 13.º posto, com apenas oito pontos, ou seja, menos nove dos 17 totalizamos actualmente, na segunda posição do campeonato e a um “pontito” de igualar o 1.º de Agosto, na liderança.

Os factos são evidentes e obrigam a colocar os “estudantes” do Lobito entre as equipas de mérito deste começo de campeonato. As cinco vitórias, dois empates e apenas uma derrota somadas até ao momento fazem parte de um registo de oito jogos nunca antes alcançados pela Académica na maior competição futebolística do país.

ESPERANÇA SAGRADA 

Entre as equipas com registo negativo na presente época é incontornável a referência ao Sagrada Esperança da Lunda Norte. A equipa diamantífera, sexta classificada do último campeonato, ainda não reencontrou-se na presente época.A retumbante vitória muito bem conseguida na primeira jornada, por números gordos (4-1), no Dundo, na recepção ao Interclube, acabou sendo “sol de pouca dura”. Pois, apesar de mostrar bom futebol e prometer muito em termos de exibição, a equipa às ordens de Paulo Torres, passou por uma sequência de jornadas de resultados comprometedores e que quase custaram a “cabeça” do técnico português.

As derrotas ante o Bravos do Maquis (1-0), 1.º de Agosto (1-0), Petro de Luanda (1-0) e Académica do Lobito (1-0) e os empate (1-1) frente ao Recreativo do Libolo e Williet de Benguela agudizaram a crise de resultados nas hostes da equipa da Lunda Norte, embora a vitória (2-1) sobre Sporting de Cabinda tivesse trazido uma “lufada de ar fresco”.