Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Etah termina época mais cedo

Paulo Caculo - 31 de Outubro, 2016

Defesa central camaronês (o segundo a contar da esquerda) está afastado dos relvados por orientação médica

Fotografia: Paulo Mulaza

O defesa central do Petro de Luanda, Michael Etah, terminou a época 2016 mais cedo, quando faltavam ainda cinco jornadas para o fim do Girabola Zap. O camaronês de 32 anos, uma das principais referências do sector defensivo dos tricolores, padece de uma crise de hipertensão, que o afastou dos treinos da equipa desde a 24ª jornada do campeonato.

Afastado dos relvados desde a 25ª jornada, altura em que os tricolores defrontaram o Kabuscorp, o atleta não voltou mais a pisar os relvados e muito menos integrar os convocados dos tricolores, em virtude do problema de saúde que enfrenta. O experiente central camaronês chegou a ser suplente não utilizado nos jogos frente ao Sagrada Esperança, Porcelana do Cuanza Norte e 1º de Maio de Benguela, respectivamente na 21ª, 22ª e 23ª jornadas. A última vez que esteve em campo, nos titulares, foi diante do Libolo, em Calulo, na 20ª ronda do campeonato.

Com a indisponibilidade prematura de Etah, o sector defensivo do Petro de Luanda ficou privado de um dos seus mais experientes e fundamentais jogadores preponderante na manobra defensiva do conjunto tricolor, ainda assim a equipa conseguiu manter o civclo vitorioso. O central está impedido de treinar, enquanto não 'vencer' a doença, por orientação médica.

O atleta que numa das suas recentes entrevistas ao Jornal dos Desportos manifestou o desejo de ajudar o clube a tornar-se novamente campeão nacional, depois dos títulos que ajudou a conquistar nas épocas de 2008 e 2009, está inconformado mas ciente de que a saúde está acima de tudo. “O meu sonho é ganhar mais títulos, atingir o patamar mais alto da minha carreira e deixar uma recordação neste clube. Quero terminar a minha carreira a conquistar títulos", disse, na altura, o camisola 7 do Petro de Luanda.

Etah protagoniza a décima época consecutiva ao serviço do conjunto tricolor. O defesa diz guarda boas recordações do clube tricolor, onde confessou ter feito "quase a metade da minha vida". Congratula-se com os títulos conquistados, mas sobretudo orgulha-se pelo facto de ter alcançado no Petro tudo aquilo que não conseguiu em nenhum dos clubes onde passou.

"Sinto-me feliz por apostar certo na minha carreira, por ter feito uma boa escolha. Antes de chegar aqui não tinha a real noção da dimensão do clube que estava a representar. Hoje, sinto-me muito feliz e espero viver muito mais alegrias com esta camisola, porque é um orgulho enorme estar aqui a representar o Petro Atlético", assegurou, na mesma entrevista.

"Traído" pelo seu coração o jogador não escondeu, o desejo se for possível de acabar a carreira em Angola e ao serviço do Petro, pois, garantiu, na altura, estar disposto a jogar os anos que forem possíveis, "desde que o meu corpo esteja sempre em forma", porque "hoje a idade já não diz muito no futebol", parecia estar a sentenciar o seu futuro.

TREINADOR
Bianchi lamenta estado clínico do atleta


O treinador do Petro de Luanda, Beto Bianchi, confirma o afastamento dos relvados do central camaronês por problemas de saúde. O responsável da equipa-técnica dos tricolores lamenta a situação vivida pelo jogador, mas assegura que os médicos estão a fazer de tudo para recuperar o atleta.
"A situação do Etah é clínica. O nosso jogador está com problemas de pressão alta e baixa e em risco de saúde, portanto, como é lógico não pode praticar futebol, enquanto os médicos não darem o aval positivo", esclareceu.

 O brasileiro não escondeu a tristeza pelo facto de não puder contar com um jogador da dimensão de Etah na fase derradeira e importante de disputa do campeonato, onde a equipa arrisca(va) ainda hipótese de ser campeão. "É claro que faz falta o Etah quanto fazem os demais jogadores, mas não podemos força-lo a entrar em campo, estando a viver este problema de saúde", asseverou.

O treinador anunciou, por outro lado, o regresso de Diógenes aos trabalho da equipa após algumas semanas afastado do plantel principal, em virtude de ter assinado contrato com outro clube, alegadamente o Libolo. Bianchi garantiu que o médio, de 19 anos, já pode treinar sem qualquer impedimento, porque foi capaz de redimir-se do erro cometido. 

"O Diógenes voltou para o clube. Estava afastado do plantel principal por minha decisão, e, porque parece que queria ou tinha assumido compromisso com outro clube e não podia aceitar treinar um jogador que não é do meu clube. Agora volta a ser um elemento do clube e já pode treinar", assegurou Beto Bianchi.Congratula-se igualmente com a transferência do jovem futebolista Tomé Osvaldo Pedro, recentemente promovido à equipa principal, para o CF Ranero de Espanha.

MASSA ASSOCIATIVA
Direcção do Petro
pede apoio à equipa

A direcção do Petro de Luanda exorta em mensagem divulgada nas redes sociais, os adeptos a elevarem o nível de apoio á equipa nesta fase derradeira do campeonato. Na nota publicada na sua página no facebook, os tricolores apelam a massa associativa a engajarem-se em prol dos objectivos do clube.

"Aos adeptos fiéis do nosso grandioso clube, peço que aumentem o apoio às nossas equipas nos recintos de jogo fazendo-se presente em massa e mobilizando mais apoiantes para empurrarem as nossas equipas á vitória, pois é nosso entendimento que ninguém conquista nada sozinho, assim, unidos, clube e os seus sócios e adeptos, venceremos", lê-se na referida nota.

A direcção do conjunto acrescenta ainda no mesmo comunicado aos adeptos que todos "devemos transformar a nossa relação num casamento eterno, não nos importando com o que vier, porque estamos comprometidos a viver juntos para sempre, apoiando-nos mutuamente, resolvendo as nossas dificuldades e ir a busca da realização plena desta relação", numa clara demonstração de união e fortalecimento do clube.Finaliza a direcção de Tomás Faria, na mesma mensagem, que este apoio à equipa e aos propósitos do clube deve ser feito com "disciplina e fair-play, pois o desporto é uma festa, só desta forma ajudaremos o nosso clube a não ser penalizado".