Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Fabrcio volta ser heri do Benfica

Betumeleano Ferro - 16 de Agosto, 2015

Encarnados no se deixaram intimidar pelos polcias e conquistarem mais trs pontos com golo solitrio de Fabrcio numa partida pautada pelo equilbrio

Fotografia: Eduardo Bernardo

O Benfica de Luanda teve ontem tudo a sua mercê para vencer sem sofrer. A equipa encarnada desperdiçou por intermédio Hélio Roque a primeira oportunidade para inaugurar o marcador que daria a vantagem a equipa da casa, mas este foi displicente demais ao cobrar a grande penalidade quando eram decorridos apenas dois minutos de jogo.

A forma como "ofereceu" a bola ao guarda-redes Jotabé, acabou por contagiar a equipa até quase no fim da partida, quando Fabrício voltou a usar a cabeça para ser herói aos 90', num lance em que a defesa do Interclube ficou mal na fotografia.

A águia não realizou um voo tranquilo e em várias ocasiões demonstrou ansiedade demais para chegar ao golo. Ainda assim, teve o mérito de criar as melhores oportunidades para marcar mais golos do que o adversário. Minutos depois de Hélio Roque desperdiçar o penálti, foi a vez do capitão Gomito Cassule falhar, depois de um mau alívio da defensiva do Interclube.

Os polícias souberam tirar benefícios da visível intranquilidade do adversário originada pelos falhanços. A equipa conseguiu esticar-se por todo o campo para fazer o seu jogo.

A supremacia da equipa orientada por Zeca Amaral era tão evidente que os pupilos de Vaselim Vesko, não beneficiou de qualquer oportunidade clara de golo.

A equipa atacou pelas alas e pelo centro, mas os seus atletas tomavam más decisões na hora de definir os lances no último terço do campo, motivo por que o único perigo que criou na etapa inicial resultou dum desvio involuntário de um defesa do Benfica que quase traiu Elber.

A obrigação de vencer forçou a águia a correr mais riscos na segunda parte, a equipa encarnada até cheirou o golo aos 50', mas o esforço do avançado Pedro foi em vão, pois, a bola não levou a direcção desejado para a baliza escancarada.

O Interclube não se intimidou com os sinais de aviso que o Benfica tentava dar, mas a equipa acabou por sofrer um duro revés quando o buliçoso Nandinho se lesionou sem ser tocado por ninguém aos 71'. Sem desprimor para os demais, foi o poder de drible de Nandinho que permitiu muitas vezes ao Interclube repartir o domínio com o Benfica.

A cartada decisiva de Zeca Amaral aos 86' acabou por desamarrar o jogo. Trocou Osório por Ruben e quatro minutos mais tarde festejou de punho cerrado, quando o recém-entrado Ruben conseguiu colocar a bola no coração da área, Fabrício saltou entre Jotabé e Aguinaldo para ser mais eficaz. O Interclube quase empatou de imediato, a baliza de Elber estava deserta, mas a bola sobrevoou o travessão.