Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

FAF descarta reintegrao do Benfica do Lubango

Betumeleano Ferro - 08 de Agosto, 2019

Direco do Benfica mantm a desistncia da equipa

Fotografia: Aro Martins, Edis Novembro

A Federação Angolana de Futebol "FAF" descartou todas as hipóteses de haver uma reintegração do Benfica do Lubango, no Girabola 2019/2020, mesmo que se confirmem os rumores relacionados com o interesse das águias em disputar o campeonato, depois de ultrapassar a questão financeira, que serviu de alegação para anunciar a desistência.
Desde há semana passada, que se começou a falar do passo atrás dos encarnados, um cenário que já não tem como se tornar realidade. O Jornal dos Desportos apurou, que a posição da federação que consta no Comunicado N. 31/SG/19 de 1 de Agosto é irredutível.
Além de confirmar o anúncio de desistência do Benfica, a federação também tornou público o processo de licenciamento do Williet de Benguela, para participar no campeonato nacional no lugar do Benfica do Lubango.
O nosso jornal apurou, que uma vez que a direcção da FAF escreveu no comunicado que autorizou o licenciamento de uma outra formação, o Conselho Técnico, único órgão que lida com as inscrições dos clubes, vai agir em conformidade com a orientação que recebeu, analisar apenas o processo do estreante Williet, adversário do Petro de Luanda na primeira ronda do Gira 2019/20.
O licenciamento é um processo administrativo, a que se sujeitam todos os clubes que vão participar no campeonato nacional. Em comunicados sucessivos, a federação colocou todos os requisitos que os clubes devem cumprir para serem licenciados, ao mesmo tempo que alertou, que será intratável com os que estiverem em falta com as suas obrigações.Como noticiado em tempo oportuno pelo Jornal dos Desportos, a FAF adoptou uma atitude de espera, até mesmo quando já se falava numa possível desistência da equipa encarnada do campeonato. Tão logo o Benfica entregou por escrito a sua desistência, o órgão reitor do futebol nacional deu todos os passos necessários para lidar com a situação, pelo que agora só resta a águia cumprir com o que saiu em comunicado, cumprir a pena de dois anos de todas as competições oficiais, antes de fazer planos para retornar ao campeonato.
A desistência daquela que seria o segundo representante do Lubango no Girabola 2019/20, abriu um precedente no campeonato nacional, pois foi a primeira vez na história, que um participante anunciou desistência, depois de se realizar o sorteio da competição.
O voo rasante das águias voltou a colocar a federação debaixo de críticas, por ser recorrente situações em que as equipas sobem de divisão e logo a seguir alegam questões financeiras, para disputar a maior competição do nosso futebol.
Ao contrário do que muita gente tem pedido, a FAF limitou-se a punir o Benfica, mas isentou os dirigentes do castigo, já que entende que os dirigentes assim como os técnicos e atletas, não podem ser privados de exercer as suas funções, até mesmo numa outra agremiação, por causa do anúncio de  desistência do clube.
O campeonato nacional tem sido assolado nas últimas épocas, com sucessivos casos de  ameaças de desistência, motivo por que a federação tem sido pressionada a encontrar uma maneira eficaz de impedir, que equipas com problemas financeiros tenham chances de chegar ao campeonato.