Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Falta de eficácia dita empate

19 de Fevereiro, 2018

Diamatíferos voltam a perder pontos no arranque do campeonato nacional

Fotografia: José Soares| Edições Novembro

Depois da derrota na estreia do Girabola Zap 2018 na deslocação ao reduto do Domant FC de Bula Atumba, o Sagrada Esperança da Lunda Norte, equipa que apontou a conquista do título como meta, demonstrou estar longe das expectativas criadas. Os diamantíferos ainda brilharam nos dois jogos disputados, um fora e outro em casa.
Por aquilo que vimos no jogo de sábado frente ao Desportivo da Huíla, o conjunto treinado, por Ekrem Asma, acusa falta de entrosamento entre os diferentes sectores fundamentalmente nas transições do meio-campo para o ataque, embora  o porta voz da equipa técnica, Roque Sapiri, refuta dessa avaliação.  “ dificuldades na finalização “.
“Não é propriamente falta de níveis de competição ou entrosamento, nesse momento estamos com algumas dificuldades na finalização”, justificou.
 Não obstante o equilíbrio em termos de posse de bola, os militares da Região Sul revelaram-se mais concentrados e perigosos no ataque. A equipa da casa só a partir dos sessenta minutos começou a dar alguns sinais de inconformismo o que lhe permitiu controlar o jogo e subir no terreno. 
 “ Tivemos um controlo total do segundo tempo, que foi a nossa melhor etapa do jogo. Nesse período, o adversário quase que não saiu do seu meio-campo. Para nós o mais importante não aconteceu, que era marcar golos e obtivemos a nossa primeira vitória no campeonato. Acreditamos que apesar de momentos menos bons vamos conseguir ultrapassar esta fase”, declarou Roque Sapiri.
 O treinador adjunto do Sagrada Esperança, admitiu que à semelhança de outros contendores, a equipa diamantífera está em início da prova. Por isso, acredita que o plantel vai melhorar a sua postura nos próximos jogos.
 “Trabalhamos o jogo todo e fizemos uma boa circulação de bola, mas no momento exacto quando precisamos do golpe letal, ai é que não conseguimos porque os avançados não foram inteligentes na finalização. Faltou apenas o golpe letal”, disse.
 Por sua vez, o Desportivo da Huíla, conseguiu com muita classe, mérito e determinação sair do Dundo com um ponto na sua bagagem. Os pupilos do “ astuto” Mário Soares dominaram por completo a primeira parte do desafio e criaram várias situações para visarem à baliza contrária. A equipa do Lubango demonstrou muita qualidade em termos de ligação entre os sectores. Concentrada na defesa e organizada no jogo ofensivo, o seu futebol fluía de forma positiva, parecia ser uma que vinha de um outro campeonato e com mais jogos em relação a equipa Lunda.
“ É um empate que considero justo, por aquilo que as duas equipas fizeram durante os noventa minutos”, reconheceu Mário Soares, apontando como negativo o facto de o empate ter sido sem golos.
Para o treinador do Desportivo da Huíla as duas equipas criaram oportunidades de golos. Revelou que estudaram bem os pontos fortes e fracos do Sagrada Esperança, estratégia que foi determinante para impor o empate.
“Tivemos a oportunidade de ver o Sagrada Esperança a jogar desde os seus pontos fortes aos fracos. Por isso, conseguimos sair daqui com um ponto, um dos nossos objectivos”, salientou. Reconheceu que a sua equipa apresentou-se com uma disposição táctica  forte que permitiu anular todo o futebol ofensivo do adversário.